Menu
domingo, 18 de abril de 2021
Andorinha Fevereiro
Andorinha Fevereiro
Geral

Vereador Baianinho é inocentado por falta de provas

24 maio 2017 - 07h46Gesiane Medeiros
Vereador exercia cargo sob julgamento. Foto: Assessoria Câmara Municipal de Corumbá

Publicação desta quarta-feira (24) do Diário da Justiça Eleitoral de Mato Grosso do Sul (DJEMS), trouxe sentença do julgamento eleitoral n° 2-14.2017.6.12.0007, referente ao caso do vereador de Corumbá, Irailton Oliveira Santana, conhecido por Baianinho. Irailton era acusado pelo Ministério Público de praticar crimes contra o sigilo ou exercício do voto, boca de urna e corrupção eleitoral, ele foi julgado e inocentado, por falta de provas, pelo juiz da 7° zona eleitoral, Dr. Daniel Scarmella Moreira.

Baianinho venceu as eleições municipais de 2016 com 1.524 votos pela coligação “Por Corumbá estamos Juntos” e foi alvo de ação da Polícia Federal (PF) no dia 2 de outubro do ano passado. No mesmo dia em que as eleições ocorriam, viatura da PF cumpria mandato de busca e apreensão na casa do vereador, na Rua Barão de Melgaço, no centro, à procura de provas.

De um lado o Ministério Público apontava com base no inquérito policial n°130/2016, que o vereador teria praticado diversos atos que caracterizam captação ilícita de sufrágio, utilizando um "esquema sofisticado de compra de votos" montado para vencer as eleições do ano passado. “Os atos de captação ilícita de sufrágio consistiam em promessas, oferecimentos e doações em dinheiro, bens e serviços para diversos eleitores no Município de Corumbá/MS, restando o andamento e a conclusão dos atos devidamente monitorados pela equipe de assessores do Representado”.

Segundo a investigação policial o esquema acontecia dividido por eixos, sob a responsabilidade de assessores, que buscavam líderes em bairros para realizar então a compra de votos. Cada eleitor recebia R$ 100 e os lideres R$ 200.

As provas apresentadas pelo Ministério Público em juízo, para comprovar o suposto esquema de compra de votos, foi julgada como insuficientes pelo juiz Dr. Daniel Scarmella Moreira. “JULGO IMPROCEDENTE a presente ação de representação eleitoral proposta pelo Ministério Público Eleitoral, nos termos da fundamentação. Sem custas, nos termos dos arts. 373 do Código Eleitoral, 1º da Lei n. 9.265/96 e 213 do Regimento Interno do TRE-MS”.

 

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

KIT INTUBAÇÃO
Cooperativa médica adota medidas emergenciais para otimizar uso de medicamentos em falta no mercado
GERAL
Presos brigam em cela e um acaba morto em presídio de MS
SAÚDE
Dia Mundial da Hemofilia: condição genética dificulta coagulação
UEMS
UEMS oferta 78 bolsas no valor de R$ 400 para Projetos de Ensino
SAÚDE
Com mais um drive thru na Praça CEU, Prefeitura retoma vacinação contra a Covid-19
GERAL
Dupla-Sena da Páscoa sorteia prêmio de R$ 30 milhões neste sábado
GERAL
Pandemia e isolamento aumentam procura por cultivo de plantas em casa
ECONOMIA
Prorrogação de imposto alivia orçamento de bares e restaurantes, avalia Abrasel
PANTANAL
Com mais de 50 programas, apresentador divulga belezas do Pantanal na TV
GERAL
Servidores da Agepen recebem primeira dose da vacina contra Covid-19

Mais Lidas

GERAL
Presos brigam em cela e um acaba morto em presídio de MS
PANTANAL
Com mais de 50 programas, apresentador divulga belezas do Pantanal na TV
CORONAVÍRUS
Coronavírus: variante P1 já é predominante em Mato Grosso do Sul
SAÚDE
Com mais um drive thru na Praça CEU, Prefeitura retoma vacinação contra a Covid-19