Menu
segunda, 25 de outubro de 2021
Andorinha - Setembro e Outubro
Andorinha - Outubro e Novembro - MOBILE
Geral

Força-tarefa instala base operacional no Amolar e intensifica trabalho

06 outubro 2020 - 09h20Redação com informações da MB

A Operação Pantanal de combate aos focos de incêndio, deflagrada em parceria pelos governos federal e estadual no final do mês de julho, tem reforçado atuação na porção sul-mato-grossense do bioma pantaneiro, a região tem recebido quase que diariamente  novos meios aéreos, terrestres e navais desde o dia 28 de setembro.

Estão atuando na região de Corumbá e Ladário sete aeronaves da Marinha do Brasil (MB), Polícia Militar de Minas Gerais, Governo de MS e Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais (Ibama), utilizadas para voos de reconhecimento e transporte de pessoal e material às regiões mais distantes e de difícil acesso.

Estão sendo empregadas na rodovia BR-262 e no Rio Paraguai três viaturas do Comando do 6º Distrito Naval (Com6ºDN) e o Navio-Transporte Fluvial Almirante Leverger, com objetivo de aumentar a capacidade de localização de novos focos e transportar pessoal com vistas ao pronto acionamento de equipes de combate.

Está sendo instalada uma base de operações na Serra do Amolar para concentração de equipes e aeronaves, a fim de otimizar o transporte de material e pessoal às regiões mais afetadas.

Corumbá recebeu no dia 29 de setembro, caminhões pipa que vieram do Estado do Paraná. Foto: Divulgação/Bombeiros

Desde o início da última semana, o número de combatentes em solo foi aumentado para 150 homens, entre fuzileiros navais, bombeiros militares e brigadistas do Ibama, nas regiões da rodovia BR-262, Serra do Amolar, Jatobazinho, Serra Negra, Fazenda Bodoquena, Fazenda Santa Tereza e Fazenda Santa Clara. Cinco caminhões-pipa do Corpo de Bombeiros de MS apoiam a equipe.

A previsão é que a operação ganhe o reforço de mais sete caminhões-pipa do Exército Brasileiro e do Corpo de Bombeiros do Paraná. A Operação de combate às queimadas no Pantanal foi deflagrada pelo Ministério da Defesa em 25 de julho e suas ações obtiveram resultados significativos nos dois estados. O baixo nível dos rios, a ausência de cheias no bioma no último ano, o acúmulo de material combustível e a vegetação extremamente seca, no entanto, favorecem o surgimento novos focos de incêndios.

Em Mato Grosso, que concentra 1/3 do Pantanal, equipes de combate compostas por bombeiros militares do estado e fuzileiros navais do Com6ºDN permanecem atuando.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Flagrante
Dois turistas são multados em R$ 1,8 mil por pesca predatória no rio Miranda
Alerta
Últimos dias para inscrições em editais da Funarte
Imunização
Quem pode se vacinar contra Covid neste fim de semana
1 hora a menos
Agepan defende o retorno do horário de verão para economia de energia em MS
74 vagas
Concurso público da Sanesul recebe inscrições até 11 de novembro
Boletim Epidemiológico
MS volta a registrar mortes por Covid-19
Orientação
O que fazer para prevenir problemas durante e após temporais
CNH MS Social
Programa de habilitação gratuita já tramita na Assembleia Legislativa
Tempo
Chuva ganha força a partir deste sábado e pode trazer nova tempestade para MS
Precaução
Tradicional Procissão Fluvial é cancelada devido previsão de mal tempo

Mais Lidas

Causa não definida
Motorista de ônibus fretado com 42 passageiros perde o controle e colide na mureta da ponte
Dom Bosco
Homem baleado pede socorro em escola, mas não resiste e morre
Desdobramento
Embarcação que naufragou e fez sete vítimas no rio Paraguai não era de transporte turístico
Boletim Epidemiológico
MS volta a registrar mortes por Covid-19