Menu
domingo, 26 de setembro de 2021
Expresso Mato Grosso - Junho
Geral

Vereador quer municípios acompanhando mais de perto a Reforma da Previdência

09 agosto 2019 - 10h22Câmara de Corumbá

A Reforma da Previdência tramita no Congresso Nacional e o assunto foi debatido na última sessão do Poder Legislativo Corumbaense, com o vereador Haroldo Cavassa reforçando a necessidade de os municípios brasileiros acompanharem mais de perto o processo, compreendendo as consequências das possíveis mudanças nas regras da Previdência.

“A proposta ainda se encontra em discussão no Congresso. É grande possibilidade de que esta reforma ainda resulte na reinclusão dos regimes próprios de previdências dos Estados e dos Municípios em sua abrangência. Por isso mesmo precisamos acompanhar a questão de perto”, enfatizou Cavassa.

Nesse sentido, por meio de requerimento, o vereador solicitou à Secretaria de Finanças e Gestão do Município, responsável pelo Fundo de Previdência Social dos Servidores Municipais de Corumbá, bem como ao Conselho de Previdência (COMPREV), informações importantes para que os vereadores possam acompanhar o processo.

Entre as informações solicitadas estão, se houver, estudos que preveem os possíveis impactos ocasionados na eventual reforma, bem como o cenário atual do fundo que demonstrem a situação financeira, valor das reservas existentes, superávit ou déficit mensal, além do cálculo atuarial realizado e outros relatórios que possibilitem a compreensão da projeção da ‘saúde financeira’ do Regime de Previdência do Município de Corumbá.

“Nos últimos três anos a Reforma da Previdência tem se tornado uma das principais pautas de debate em todo o País, com os últimos dois governos federais propondo projetos. Uma delas, a PEC 287/2016, não obteve êxito e acabou por padecer de condições favoráveis para sua tramitação”, lembrou Haroldo.

“Já a segunda proposta, a PEC 6/2019, apresentada em um novo cenário político, tramita com muita celeridade no Congresso Nacional, evidenciando grande possibilidade de aprovação”, citou. Haroldo argumentou ainda que, no início das discussões, as propostas dispunham sobre uma reformulação expressiva do sistema previdenciário brasileiro, abrangendo todos os regimes, geral e próprios, compreendendo a União, Estados e Municípios.

“No entanto, a proposta que tramita hoje no Congresso Nacional, a fim de facilitar sua aprovação, restringiu sua abrangência apenas no Regime Geral e parte do Regime Próprio da Previdência dos Servidores, excluindo os Regimes Próprios de Previdência dos Estados e Municípios. Mas, precisamos acompanhar de perto, diante da possibilidade da reinclusão na proposta em discussão”, reforçou.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Denúncia
Homem morre e família acusa médica da UPA de negligência
Palestras
3ª edição da Semana da Saúde do Sesc tem foco nos reflexos da pandemia
SCT 2021
IFMS abre inscrições para Semana de Ciência e Tecnologia
Javaporco
PMA flagra criação ilegal de javalis em propriedade de Dourados
Alerta
De agendamentos a esquemas de 'pirâmides', entenda os maiores golpes do Pix em MS
Retomada
Fundtur recebe inscrições no Programa "Incentiva+MS Turismo" até 5 de outubro
Bonito
Mulher é multada em R$ 5 mil por desmatamento ilegal em área protegida
Imunização
Veja quem pode se vacinar neste fim de semana em Corumbá
Balanço
Mais de 50% das drogas apreendidas na Operação Fronteiras e Divisas I são de MS
Economia
Comércio deve facilitar pagamento e ser cauteloso para o Dia das Crianças

Mais Lidas

Denúncia
Homem morre e família acusa médica da UPA de negligência
Imunização
Veja quem pode se vacinar neste fim de semana em Corumbá
Desenvolvimento
Comissão mista homologa consórcio que vai construir ponte da Rota Bioceânica em MS
Bonito
Mulher é multada em R$ 5 mil por desmatamento ilegal em área protegida