Menu
segunda, 22 de abril de 2024
Governo - Fazer Bem Feito - Abril 24
Andorinha - Novos Ônibus - Agosto 2023
Geral

TSE libera candidatura de fichas sujas que estariam inelegíveis até outubro

02 setembro 2020 - 08h47Redação Capital do Pantanal com informações da Agência Brasil

Um assunto polêmico e muito aguardado pelos políticos penalizados pela Lei da Ficha Limpa foi decidido nesta terça-feira, 1º de setembro, no TSE (Tribunal Superior Eleitoral). Por maioria de votos, os ministros entenderam que a mudança na data das eleições devido à pandemia beneficiará candidatos que estariam impedidos de disputar o pleito com base na Lei da Ficha Limpa até outubro.

O caso foi definido após consulta feita pelo deputado Célio Studart, do Partido Verde do Estado do Ceará. O político questionava de um candidato cuja inelegibilidade vencia em outubro, quando se realizaria a eleição, poderia ser considerado elegível para disputar o pleito em 15 novembro, nova data da eleição estabelecida pelo Congresso.

O congressista argumentou que, na nova data, já estaria vencido o prazo de oito anos de inelegibilidade para os condenados por abuso de poder político e econômico nas eleições de 2012, por exemplo. Isso porque, nesses casos, conforme deliberado pela própria Justiça Eleitoral, a contagem teve como marco inicial o dia 7 de outubro, data do 1º turno da eleição daquele ano.

Devido à pandemia da covid-19, o Congresso promulgou emenda constitucional que adiou o 1º turno das eleições deste ano de 4 de outubro para 15 de novembro. O 2º turno, que seria em 25 de outubro, foi marcado para 29 de novembro.

A decisão da maioria dos ministros do TSE segue recomendação da área técnica do Tribunal. Em parecer (íntegra), os técnicos da Corte dizem que o Congresso deveria ter se manifestado sobre o assunto caso desejasse o veto aos candidatos fichas sujas.

“Não tendo o Congresso Nacional optado por postergar o prazo final das inelegibilidades em razão da alteração da data do pleito para o mês de novembro, entende-se não haver campo para que tal providência se dê no âmbito desta Corte Superior”, diz o parecer.

Em Ladário, o pré-candidato a prefeitura municipal, Munir Sadeq Ramunieh (MDB) será beneficiado. Devido condenação com perda dos direitos políticos por oito anos, a contar de outubro de 2012, o político estaria inelegível para disputar o pleito este ano e, com a decisão do TSE, ele poderá regsitrar sua candidatura. 

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

Expedição
"Juizados em Ação" suspende em navio da Marinha para atender comunidades indígenas
Obrigatório
Aposentados e pensionistas por invalidez têm até julho para perícia médica bianual
Segurança Pública
4ª Fase da Operação Mute avança com telamento de presídios em MS
Trânsito
Motorista atropela casal em moto e foge sem prestar socorro
Ministério Público
Empresa alega que "poeira de minério" tem causado morte de animais na zona rural de Corumbá
MPMS instaurou inquérito para apurar a denúncia apresentada por empresa proprietária de Fazenda na região de Maria Coelho
Campeonato
Torneio Centro-Oeste de Natação atrai 470 atletas para Campo Grande
Calendário
Caixa paga Bolsa Família a beneficiários com NIS de final 4
Em Jardim
Ação conjunta apreende 12 toneladas de maconha; a maior do ano
Plantão
Acidentes de trânsito fazem quatro vítimas nas últimas 24 horas
Saúde
Região do Baixo Pantanal recebe atendimento do Povo das Águas a partir de hoje

Mais Lidas

Hoje
Visitante tenta entrar no presídio de Corumbá com cocaína escondida no chinelo
Expedição
"Juizados em Ação" suspende em navio da Marinha para atender comunidades indígenas
Obrigatório
Aposentados e pensionistas por invalidez têm até julho para perícia médica bianual
Segurança Pública
4ª Fase da Operação Mute avança com telamento de presídios em MS