Menu
sábado, 25 de setembro de 2021
Expresso Mato Grosso - Junho
Geral

Tempo seco e instabilidade na temperatura mantém situação de alerta no Pantanal

02 agosto 2021 - 09h37Redação

Mesmo com 79% menos focos de incêndio registrados até agora no Pantanal, em relação ao ano passado, a situação não está sob controle e, com o frio e a baixa umidade, pode se complicar ainda mais, apesar da falsa sensação de que as baixas temperaturas amenizam a ocorrência de queimadas.  

O tenente-coronel do Corpo de Bombeiros de Mato Grosso do Sul, Leandro Mota de Arruda, explica que é uma ideia errônea de que o frio ajuda a diminuir os incêndios e na verdade, até os piora. "Pelo contrário, potencializa, porque o frio aumenta a amplitude térmica".  

Ele exemplifica dizendo que nas primeiras horas da manhã as temperaturas estão baixas, mas as horas mais quentes do dia alcançam quase 30ºC e sem alta umidade, o que ajuda a ressecar a vegetação, que se transforma em potencial combustível para o fogo. "Essa variação ajuda a ressecar a vegetação, que quanto mais seca, com baixa umidade e vento, cria a situação propícia para um incêndio".  

Arruda comenta ainda que no caso do Pantanal, a redução dos focos pode ser explicada pela antecipação dos combates e ainda, o planejamento que possibilitou a aplicação de ferramentas de forma anterior ao alastramento do fogo.  

"Nossas equipes estão lá desde o fim de junho, com trocas a cada 10 dias. Os focos aparecem constantemente, mas não fogem do controle porque há monitoramento constante. O governo também se preparou, locando aeronaves que agora já estão disponíveis para o combate, o que imprescindível no Pantanal, onde o acesso é bem mais difícil", ressaltou.  

A Fazenda Cáceres é um dos focos de incêndio sendo combatidos no momento. Segundo dados do Inpe (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais), desde janeiro, ocorreram 879 focos de incêndio na região pantaneira, valor 79% menor que no mesmo período do ano passado, quando haviam ocorrido 4.218.  

No entanto, a cidade de Corumbá, é a segunda no País com maior número de queimadas registradas, com 531 ocorrências desde o começo do ano. Em 24 horas, foram 44 ocorrências em todo Estado, sendo 28 delas na região pantaneira.  

Texto de  Lucia Morel do Campo Grande News

Deixe seu Comentário

Leia Também

Denúncia
Homem morre e família acusa médica da UPA de negligência
Palestras
3ª edição da Semana da Saúde do Sesc tem foco nos reflexos da pandemia
SCT 2021
IFMS abre inscrições para Semana de Ciência e Tecnologia
Javaporco
PMA flagra criação ilegal de javalis em propriedade de Dourados
Alerta
De agendamentos a esquemas de 'pirâmides', entenda os maiores golpes do Pix em MS
Retomada
Fundtur recebe inscrições no Programa "Incentiva+MS Turismo" até 5 de outubro
Bonito
Mulher é multada em R$ 5 mil por desmatamento ilegal em área protegida
Imunização
Veja quem pode se vacinar neste fim de semana em Corumbá
Balanço
Mais de 50% das drogas apreendidas na Operação Fronteiras e Divisas I são de MS
Economia
Comércio deve facilitar pagamento e ser cauteloso para o Dia das Crianças

Mais Lidas

Bairro Vila Mamona
Funcionários de construção amarram autor de furto e acionam PM
Capital
Presos usam celulares até em banho de sol na Máxima
Flagrante
Dupla é presa por tráfico de drogas na área central de Corumbá
Estava Foragida
Boliviana investigada por desastre da Chapecoense é mantida em Corumbá até extradição