Menu
sábado, 24 de julho de 2021
Expresso Mato Grosso - Junho
Expresso Mato Grosso - Promoção de Junho
Geral

Simpósio da Pesca em Corumbá reforça a decisão do Estado de adotar a cota zero

08 junho 2019 - 07h59Portal do MS

A cota zero para a pesca esportiva e amadora é a única saída para garantir o repovoamento dos rios das bacias do Paraguai e do Paraná. Esta foi a opinião unânime dos técnicos, empresários e pescadores que prevaleceu durante as explanações e debates no 1º Simpósio da Pesca no Pantanal, realizado em Corumbá, nesta sexta-feira (7/6). O evento foi realizado pela prefeitura local, com apoio do Governo do Estado.

Com testemunho de ex-pescadores profissionais, agora guias de pesca, relatando que os rios do Pantanal deixaram de ser abundantes em peixes como no passado, o simpósio reuniu autoridades e estudiosos em ictiofauna de vários estados, como Tocantins e Amazonas. Todos relataram as experiências de sucesso com a adoção da cota zero, medida em vigor em Mato Grosso do Sul a partir de 2020, e o aumento crescente da pesca esportiva.

Governo presente

“Proibir a captura dos peixes do Pantanal, como fez Mato Grosso do Sul, é o modo mais prático e sustentável para repovoar os rios e trazer o turista para o estado, o exemplo está na Argentina”, afirmou o diretor da Confederação Brasileira de Pesca Esportiva (CBPE) e presidente da Federação Paulista de Pesca Esportiva, Ivan Miraldo, presente ao simpósio. “A cota zero significará mais peixes, mais pescadores e mais recursos para a região.”

Representando o governador Reinaldo Azambuja, o secretário-adjunto da Semagro (secretaria estadual de Meio Ambiente, Desenvolvimento Regional, Produção e Agricultura Familiar), Ricardo Senna, fez uma explanação sobre as medidas tomadas pelo Estado para recuperar o estoque pesqueiro nas duas bacias. Disse que os próximos passos serão a criação da Câmara Setorial da Pesca, o zoneamento do setor e o recadastramento do pescador profissional.

Todos ganham

Ao contrário dos estudos apresentados pela Embrapa Pantanal, que considera o estoque pesqueiro estável e apontando outros fatores e não a pressão da pesca como responsáveis pela redução de algumas espécies, como ações antrópicas, níveis de cheia e seca e implantação de barragens, o corpo técnico presente ao simpósio sustentou que o extrativismo é a principal causa pela queda do estoque pesqueiro no Pantanal e outras regiões do País.

“Parabéns ao governo de Mato Grosso do Sul por acabar com a matança de peixe”, afirmou o especialista em pesca esportiva Jorge Kiroschi, apresentador do programa “Rancho do Pescador”. “Até que enfim alguém teve a coragem de tomar essa decisão. A palavra hoje é preservar, caso contrário não tem o peixe e o pescador vai para a Argentina, mesmo gastando mais. Preservar gera recursos para todo mundo, principalmente para o meio ambiente”, citou.

No caminho certo

Kiroschi disse ainda que apoia “cem por cento” o decreto assinado pelo governador Reinaldo Azambuja, em fevereiro deste ano, enfatizando que a medida repercutiu em todo o País e a médio prazo haverá uma corrida de turistas ao estado. “O mundo inteiro vai olhar para o Pantanal”, comentou. Jair Rigotti, do programa de TV “Hora do Pescador”, disse que o entristece o fato de não ter mais o peixe no Pantanal, para ele o melhor destino de pesca.

Durante o simpósio, realizado a bordo de um barco-hotel, os palestrantes convidados apresentaram um panorama da pesca em seus estados com as leis mais restritivas à pesca amadora: Andrey Chama da Costa, do Tocantins, e Rogério Bessa, do Amazonas.  O consultor Kelven Lopes coordenou o encontro e abordou aspectos da pesca nos principais destinos. “O Estado está no caminho certo, o momento ambiental não permite mais o extrativismo”, frisou.

A abertura do 1º Simpósio de Pesca no Pantanal contou com a presença do prefeito de Corumbá, Marcelo Iunes; da deputada Federal Beatriz Cavassa; empresários de pescada região; vereadores

 

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

Acidente
Motociclista fratura clavícula após perder controle em lombada
Bombeiros
Incêndio urbano atinge vegetação em morraria com difícil acesso
Município
Decreto prorroga por mais 14 dias medidas para diminuir contaminação pela Covid-19
Decisão Popular
Servidores optaram por receber o 13° salário de forma integral em dezembro
Previsão
Sancionada LDO que prevê receita de R$ 18,47 bilhões para MS em 2022
Esperança
Taxa de contágio da Covid se mantém abaixo de 0,90 há uma semana em MS
Investigação
Caso Maria Stella Coimbra: jovem teria fotografado documento do suposto estuprador
Sem contrato
Santa Casa de Corumbá perde serviço de Urologia
Tempo
Final de semana continua com alerta para tempo seco em Mato Grosso do Sul
Facilidade
Saúde credencia laboratório e exames podem ser agendados na própria unidade de saúde

Mais Lidas

Sem contrato
Santa Casa de Corumbá perde serviço de Urologia
Investigação
Caso Maria Stella Coimbra: jovem teria fotografado documento do suposto estuprador
Acidente
Motociclista fratura clavícula após perder controle em lombada
Município
Decreto prorroga por mais 14 dias medidas para diminuir contaminação pela Covid-19