Menu
sexta, 19 de julho de 2024
Andorinha - 76 anos - Junho 2024
Andorinha - 76 anos - Junho 2024
Geral

Mulher morre por H1N1 e sobe para 21 nº de mortes por gripe A em MS

25 maio 2016 - 10h09G1
Uma mulher de 59 anos morreu na madrugada desta quarta-feira (25) vítima do vírus H1N1 na Santa Casa de Campo Grande. É a sétima morte registrada por H1N1 na capital. Marilene Hashimoto estava internada em isolamento no Centro de Terapia Intenstiva (CTI), onde outros três pacientes também estão isolados com confirmação de H1N1, segundo a assessoria do hospital. Campo Grande tem 158 casos suspeitos de gripe A e 34 confirmados, sendo 29 casos do vírus H1N1, um caso do vírus H3N2 e outros 4 casos do vírus Influenza B, que levou um adolescente de 14 anos a óbito, segundo a Secretaria Municipal de Saúde Pública (Sesau). Mato Grosso do Sul contabiliza 21 mortes pela doença, sendo 20 pelo vírus H1N1 e 1 pelo vírus Influenza B, que foi o caso do adolescente na capital. São 106 casos de gripe A em 23 municípios, sendo 101 de H1N1, 1 de H3N2 e 4 de Influenza B, segundo último boletim divulgado pela Secretaria Estadual de Saúde (SES) no dia 17 de maio. As cidades com maior quantidade de confirmações são Campo Grande (29), Naviraí (13) e Dourados (10). A Secretaria de Saúde investiga outras 373 suspeitas de H1N1. A SES monitora isolamento de 271 pessoas com suspeita de H1N1, 8 por H3N2 e 10 por influenza B. Quais são os sintomas do H1N1? A gripe - tanto a causada pelo vírus H1N1 quanto a H3N2 ou a Influenza B - tem como sintomas febre alta e súbita, tosse, dor de garganta, dor no corpo, dor nas articulações e dor de cabeça. No caso do H1N1, um sintoma que chama a atenção é a falta de ar e o cansaço excessivo. É importante distinguir a gripe do resfriado comum, que é muito mais leve, com sintomas menos graves como coriza, mal estar, dor de cabeça e febre baixa. Como é o tratamento do H1N1? O tratamento deve envolver boa hidratação, repouso e uso do antiviral específico, prescrito pelo médico. Um deles é o Oseltamivir (mais conhecido pela marca Tamiflu), distribuído pela rede pública para hospitais e unidades básicas de saúde. Trata-se de um antiviral específico contra o vírus Influenza, indicado para pessoas com maior risco de desenvolver complicações. É importante que o paciente consiga tomar a medicação nas primeiras 48 horas do início dos sintomas, para que a eficácia seja maior. O tratamento também pode envolver o uso de analgésicos para aliviar os sintomas.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Oportunidade
Parceria com a Coca-Cola oferece capacitação gratuita para empreendedoras em MS
Tempo
Sexta-feira registra temperaturas acima da média e sol é destaque na previsão para o Estado
Corumbá dia inicia com 20°C e chega aos 33°C nos horários mais quentes
Policial
Operação conjunta recupera objetos furtados na Igreja Nossa Senhora da Candelária
Participação Popular
Responda a pesquisa que vai deixar o Capital do Pantanal com a sua cara
Mais do que informar, queremos estar presentes na vida dos leitores com pautas que sejam interessantes e importantes para o dia a dia
Oportunidade
Concurso público unificado da Justiça Eleitoral: prazo de inscrição termina hoje (18)
Em Campo Grande
Fazenda da família de Michel Teló é multada por desmatamento ilegal
Consumidor
Preço do etanol sobe média de R$ 0,40 em uma semana no estado
Empreendedorismo
Etapa estadual do Prêmio Sebrae Mulher de Negócios está com inscrições abertas em MS
Moda
Estilista de MS cria coleção com famosas onças da artista visual Lúcia Martins
Direitos Humanos
Mortes violentas no Brasil diminuem 3,4% em 2023

Mais Lidas

5 mandados
Operação da PF combate tráfico de drogas e lavagem de dinheiro em Corumbá
Últimas 24 horas
Óbito de motociclista em Ladário é destaque no plantão dos Bombeiros
Últimas 24h
Plantão registra facada, agressão física e resgate fluvial no Pantanal
Atualização
Equipes mantém monitoramento nas regiões Maracangalha e Morro do Urucum