Menu
segunda, 21 de junho de 2021
Andorinha - Maio
Andorinha - Maio
Geral

Mato Grosso do Sul deve se tornar o maior produtor de celulose a partir de 2017

17 agosto 2016 - 10h00Correio do Estado

Mato Grosso do Sul será o primeiro estado do ranking nacional de produção de celulose a partir do ano que vem. Projeção foi feita pela diretora de Relações Governamentais e Institucionais da Indústria Brasileira de Árvores (Ibá), na noite de ontem.

Conforme a diretora, até 2020 o Estado vai atrair 64% de todo o investimento privado pelo setor no Brasil.

“Nós vemos o Mato Grosso do Sul com uma vocação muito forte para o eucalipto, pois tem condições geográficas e climáticas favoráveis, além de políticas para atração de investimentos do setor que nos levam a essa projeção realista”, disse, durante seminário “Panorama do Setor Floresta Mundial, Brasileiro e Sul-Mato-Grossense.

Governador Reinaldo Azambuja (PSDB), informou que entre as propostas para solucionar problemas logísticos e deixar o estado mais competitivo, está a negociação para retomada da ferrovia.

“A perenização da Hidrovia Paraná-Tietê também é um avanço logístico para o setor florestal do Estado”, disse.

Conforme o secretário Estadual de Meio Ambiente e Desenvolvimento Econômico, Jaime Verruk, celulose já está consolidada no Estado com as principais indústrias mundiais, Fibria e Eldorado. Além disso, área plantada de eucalipto é próxima a um milhão de hectares e expectativa é atrair novos empreendimentos que utilizem essas florestas.

PANORAMA

Conforme o Ibá, nos últimos 10 anos houve crescimento médio de 22% da área plantada de florestas em Mato Grosso d Sul. Com esse patamar de produção, investimentos previstos para o Estado permitirão manter o Brasil como o 2º maior produtor mundial de celulose em 2017.

Ainda segundo Beatriz, participação nas exportações do setor deve ser mais que o dobro a partir de 2018, saltando de 16,5% para 35%.

Engenheiro florestal e diretor da Reflore-MS, Moacir Reis, afirma que apesar do crescimento do plantio, estrutura dos municípios que abrigam o setor, como Três Lagoas e região não estão suportando a demanda e, para dar continuidade ao desenvolvimento do mercado, são necessários investimentos, sendo uma delas a duplicação da BR-162 para que a colheita chegue até a fábrica.

Além do eucalipto, MS também deve aumentar a produção de pinus e seringueira, segundo Verruk.

O futuro já está definido para o Estado. Temos de focar em parcerias público-privadas e aproveitar o conjunto de fatores favoráveis que dispomos, como o clima, mecanização, hidrografia e legislação”, finalizou o secretário. 

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

PROCURADOS
Mato Grosso do Sul tem 8 dos criminosos mais importantes na lista da Interpol
CORONAVÍRUS
Vacinação e sequenciamento genômico são destaques de MS no enfrentamento à Covid-19, diz OPAS
GERAL
SPPM e UEMS assinam acordo de cooperação para projeto de extensão
ECONOMIA
Caixa paga 3ª parcela do auxílio para nascidos em fevereiro e março
RESGATE DE ANIMAL
PMA de Corumbá resgata filhote de veado em condomínio no Aeroporto
POLICIAL
PMA prende infrator por porte ilegal de arma de caça
ESPORTE
Invictos, Flamengo e Bragantino duelam pelo Brasileiro no Maracanã
Embate tem início às 21h e será transmitido ao vivo da Rádio Nacional
GERAL
Mega-Sena pode pagar R$ 7 milhões neste sábado
LEI SECA
Lei seca completa 13 anos e PRF alerta para os perigos da combinação álcool e direção
UEMS
UEMS está com inscrições abertas para bolsas de iniciação científica no valor de R$ 400

Mais Lidas

PROCURADOS
Mato Grosso do Sul tem 8 dos criminosos mais importantes na lista da Interpol
GERAL
Com lotes a partir de R$ 200, SAD fará leilão de 38 lotes de veículos e sucatas de veículos em julho
RESGATE DE ANIMAL
PMA de Corumbá resgata filhote de veado em condomínio no Aeroporto
POLICIAL
PMA prende infrator por porte ilegal de arma de caça