Menu
quarta, 03 de março de 2021
Governo do Estado - Campanha de Março
Geral

Mercado reduz estimativas para inflação e queda no PIB este ano

11 julho 2016 - 09h39Agência Brasil

A projeção de instituições financeiras para a inflação, medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), foi levemente reduzida ao passar de 7,27% para 7,26%. Essa foi a segunda semana seguida em que houve redução na estimativa. Para 2017, a projeção também caiu, ao passar de 5,43% para 5,40%, no segundo ajuste consecutivo. As projeções fazem parte de pesquisa feita todas as semanas pelo Banco Central (BC).

As estimativas estão distantes do centro da meta de inflação, de 4,5%. O limite superior da meta de inflação é 6,5%, este ano, e 6% em 2017. Portanto, pelas expectativas das instituições financeiras, a inflação vai estourar o teto da meta, este ano.

É função do BC fazer com que a inflação fique dentro da meta. Um dos instrumentos usados para influenciar a atividade econômica e, consequentemente, a inflação, é a taxa básica de juros, a Selic.

Quando o Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central aumenta a Selic, o objetivo é conter a demanda aquecida, e isso reflete nos preços, pois os juros mais altos encarecem o crédito e estimulam a poupança. Já quando o Copom reduz os juros básicos, a tendência é que o crédito fique mais barato, com incentivo à produção e ao consumo, mas a medida alivia o controle da inflação.

Selic
O BC tem que encontrar equilíbrio ao tomar decisões sobre a taxa básica de juros, de modo a fazer com que a inflação fique dentro da meta estabelecida pelo Conselho Monetário Nacional. Atualmente, a Selic está em 14,25% ao ano.

A expectativa das instituições financeiras para a taxa segue em 13,25% ao ano, ao final de 2016, e em 11% ao ano, no fim de 2017.

PIB
A estimativa de instituições financeiras para a queda do Produto Interno Bruto (PIB), soma de todos os bens e serviços produzidos no país, foi reduzida de 3,35% para 3,30%, neste ano. Para 2017, a estimativa de crescimento é mantida em 1%, há quatro semanas.


Dólar
A projeção para a cotação do dólar foi alterada de R$ 3,46 para R$ 3,40, ao final deste ano, e de R$ 3,70 para 3,55, no fim de 2017.

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

COMBATE A PANDEMIA
Vereadores buscam emendas parlamentares para aquisição de vacinas contra a Covid-19
ADMINISTRAÇÃO
Projeto de Lei prevê criação de Subprefeituras no Município de Corumbá
BOLETIM COVID
Covid-19: MS tem mais de 183 mil casos confirmados e 3,3 mil mortes
DESENVOLVIMENTO
Cinco mil pessoas que vivem em áreas remotas do Pantanal terão energia elétrica
SEM MÉDICO PERITO
INSS de Corumbá não realiza perícia médica e complica vida de trabalhadores
POLICIAL
Após briga mulheres são presas no bairro Aeroporto
POLICIAL
PM prende irmãs após briga no Popular Nova
DESAPARECIDO
Trabalhador de fazenda na Região do Paiaguás está desaparecido
ECONOMIA
Preços de produtos industrializados sobem 3,36% em janeiro
HABITAÇÃO
Durante sessão, vereador pede à Prefeitura, regularização fundiária no Jatobazinho

Mais Lidas

OPORTUNIDADE
IEL oferece vagas de estágio para Corumbá e mais 5 cidades do Estado
POLICIAL
PM prende irmãs após briga no Popular Nova
POLICIAL
Após briga mulheres são presas no bairro Aeroporto
EDUCAÇÃO
Vereadores aprovam projeto do Executivo que atende professor temporário na Reme