Menu
domingo, 28 de fevereiro de 2021
Andorinha Fevereiro
Andorinha Fevereiro
Geral

Greve dos bancários continua após reunião com Fenaban terminar sem acordo

29 setembro 2016 - 09h57Agência Brasil

Terminou sem acordo a reunião entre a Federação Nacional dos Bancos (Fenaban) e o Comando Nacional dos Bancários hoje (28), em São Paulo, informou o Sindicato dos Bancários de São Paulo, Osasco e Região. Com o fracasso da negociação, a greve dos bancários continua. Essa é décima rodada de negociação, que começou com a entrega da pauta de reivindicações dos trabalhadores no dia 9.

O Comando Nacional rejeitou a proposta dos bancos e convocou assembleia para segunda-feira (3), às 17h, na quadra dos bancários. Mesmo assim, o Comando diz que vai se manter de plantão em São Paulo caso a Fenaban queira fazer uma nova proposta.

Na reunião de ontem (27), os bancos fizeram uma proposta de novo modelo de acordo para a categoria, com validade de dois anos, em vez de um, como ocorreu nos últimos anos. Hoje, a Fenaban manteve o reajuste em 7%, com abono de R$ 3,5 mil e, para o ano que vem, propôs 0,5% de aumento real, o que representaria perda real, nesses dois anos, de 1,9%, de acordo com informações do sindicato dos bancários.

“A Fenaban perdeu a oportunidade de resolver a greve. Em sintonia com a política do governo, banqueiros querem reduzir o custo do trabalho no acordo com os bancários. A greve continua e estamos à disposição para nova negociação com a Fenaban”, disse Juvandia Moreira, presidenta do Sindicato dos Bancários de São Paulo, Osasco e região e uma das coordenadoras do Comando Nacional dos Bancários.

Reivindicações

Os trabalhadores reivindicam reajuste de 14,78%, sendo 5% de aumento real, considerando inflação de 9,31%; participação nos lucros e resultados (PLR) de três salários acrescidos de R$ 8.317,90; piso no valor do salário-mínimo do Dieese (R$ 3.940,24), e vales alimentação, refeição, e auxílio-creche no valor do salário-mínimo nacional (R$ 880). Também é pedido décimo-quarto salário, fim das metas abusivas e do assédio moral.

Atualmente, os bancários recebem um piso de R$ 1.976,10 (R$ 2.669,45 no caso dos funcionários que trabalham no caixa ou tesouraria). A regra básica da participação nos lucros e resultados é 90% do salário acrescido de R$ 2.021,79 e parcela adicional de 2,2% do lucro líquido dividido linearmente entre os trabalhadores, podendo chegar a até R$ 4. 043,58. O auxílio-refeição é de R$ 29,64 por dia.

Um balanço feito pelo Sindicato dos Bancários de São Paulo, Osasco e Região mostra que 838 locais de trabalho, sendo oito centros administrativos e 828 agências fecharam nesta quarta-feira (28), na base do sindicato, com mais de 29 mil trabalhadores aderindo à greve.

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

PGE
Vídeo sobre planejamento financeiro está disponível no canal da PGE/MS
SAÚDE
Fiocruz espera ter 'protagonismo' na vacinação em abril com 30 milhões de doses
NOTA MS PREMIADA
Chance de ganhar no Nota MS Premiada é 28 vezes maior do que na Mega-Sena
TRÂNSITO
Capotamento na BR-163 mata adolescente e deixa motorista em estado grave
EDUCAÇÃO
IFMS oferece vagas para portadores de diploma e transferências no Campus Corumbá
SAÚDE
Brasil tem recorde de mortes por covid-19 pelo terceiro dia seguido
ECONOMIA
Acumulada, Mega-Sena sorteia hoje R$ 50 milhões
ECONOMIA
Banco do Brasil ajuda estados e municípios a cobrar impostos via Pix
TURISMO
Fornatur e ABEAR se reúnem para alinhar acordos com empresas aéreas durante pandemia
GERAL
Agesul conclui manutenção de muitas estradas após período de chuvas

Mais Lidas

EDUCAÇÃO
IFMS oferece vagas para portadores de diploma e transferências no Campus Corumbá
TRÂNSITO
Capotamento na BR-163 mata adolescente e deixa motorista em estado grave
GERAL
Complexo hospitalar de Corumbá está com 85% de sua estrutura pronta
PESCA
PMA lança e disponibiliza Cartilha do Pescador 2021 com todas regras de pesca