Menu
terça, 22 de setembro de 2020
Andorinha - Linha em Operação
Andorinha - Linha em Operação
Geral

Crea e bombeiros auxiliam perícia policial no Atacadão de Campo Grande

15 setembro 2020 - 10h11Marta Ferreira e Bruna Marques, Campo Grande News

A Polícia Civil vai usar auxílio técnico do Crea (Conselho Regional de Engenharia) e do Corpo de Bombeiros), além da perícia da própria corporação, para municiar o inquérito sobre o incêndio que consumiu a loja do Atacadão na Avenida Duque de Caxias. Responsável pelo trabalho policial, o delegado Bruno Urban, da 7ª Delegacia de Polícia Civil, está no local, junto com peritos responsáveis pelos levantamentos.

Por ora, não é possível ainda fazer a perícia porque não há segurança. Os bombeiros seguem no lugar, há mais de 40 horas, mas o acúmulo de material combustível e o calor estão dificultando o trabalho do Corpo de Bombeiros. 

Conforme a autoridade policial, o inquérito vai responder as perguntas que “todo mundo” se faz desde o incêndio de grandes proporções, visto de longe. 

“Se foi acidental, como foi o alastramento, se foi criminoso...”, diz o delegado sobre algumas das dúvidas a cerca do sinistro.

Segundo ele, entre os depoimentos, já estão identificados dois funcionários que tentaram combater o fogo, um deles o que aparece em vídeo gravado por clientes tentando usar água, sem êxito, contra as chamas em uma prateleira de produtos de limpeza, entre eles álcool, altamente inflamável.

Bruno Urban explicou que o auxílio técnico dos outros órgão vai ser necessário para agregar o máximo de informação técnica possível. Inicialmente, explicou, a tipificação em investigação é incêndio.

“Pode evoluir para um dano qualificado, por exemplo”, citou o delegado. 

A Polícia Civil só vai ter acesso ao prédio quando o foco for extinto. Segundo o tenente-coronel Fernando Carminatti, relações públicas da Corporação, os militares estão fazendo o resfriamento do local, mas os focos de incêndio ainda aparecem devido ao acúmulo de material combustível e o calor.

"Está muito perigoso do pessoal entrar e tem risco de desabamento. Por isso, o combate está sendo feito à distância e demorado", explicou. 

Também está sendo feito o serviço de retirada de material combustível com uma máquina retroescavadeira, sem previsão de término dos trabalhos. Os bombeiros estão usando, desde domingo, o caminhão equipado com escada elevável até 60 metros. 

Deixe seu Comentário

Leia Também

Economia Local
Abaixo do esperado, dia das crianças deve movimentar R$ 6,39 mi na região
Atualização Covid
Corumbá registra baixo número de positivos nas últimas 24 horas
Socorro Urgente
Famílias são resgatadas de incêdio gigantesco no Pantanal
Economia
Comerciantes paraguaios protestam pela abertura da fronteira com o Brasil
Meio Ambiente
Força-tarefa investiga número de animais mortos no Pantanal
Economia
Indústria de MS recupera mesmo patamar de produção anterior à Covid-19
Oportunidade
IFMS abre inscrições para 13 vagas na graduação em Corumbá
Ronda Ostensiva
Perseguição policial prende suspeito de tráfico de drogas
Cerimônia Ecumêmnica
Líderes religiosos homenageiam vítimas da Covid e clamam por chuva para o Pantanal
Corumbá
Moto é recuperada em patrulhamento no Guatós

Mais Lidas

Comoção
Assassino da professora Nádia Sol vai a júri popular em outubro
Atualização Covid-19
MS inicia semana com registro de 7 óbitos e 185 novos casos de Covid
242 anos
Ato cívico celebra aniversário da cidade e homenageia vítimas da Covid-19
Meteorologia
Previsão de chuva em 77 dos 79 municípios do Estado nesta segunda-feira