Menu
terça, 23 de julho de 2024
Andorinha - 76 anos - Junho 2024
Andorinha - 76 anos - Junho 2024
Geral

Bombeiros do Paraná relatam dificuldades no combate às chamas no Pantanal

14 outubro 2020 - 11h31Gesiane Bernardo

Militares do Corpo de Bombeiros do Mato Grosso do Sul, Paraná, Santa Catarina e do Distrito Federal continuam, unidos na tentativa de salvar a biodiversidade sobrevivente no Pantanal de Corumbá. No momento, eles atuam na região do Passo do Lontra, trecho da rodovia MS 184, confeccionando aceiros e utilizando técnicas de combate indireto para conter o avanço das chamas, que ameaçam toda a vegetação até a Curva do Leque.

Relatos emocionantes mostram a garra dos militares que deixaram suas famílias em outros Estados para lutar pelo vida no Pantanal, que enfrenta neste ano de 2020 a maior seca da história. De acordo com a estimativa do Lasa/UFRJ, as queimadas já consumiram 3.977.000 hectares do Pantanal e seguem com força.

O 1º Sargento CB Erivelton, de Ponta Grossa/PR e o 3º Sargento CB Emerson, de Curitiba/PB, explicam que o trabalho segue com dificuldades devido a extenção das chamas, que atingem diversas fazendas e ameaçam pontes de acesso. Máquinas pesadas estão sendo usadas para criar aceiros na tentativa de proteger a vegetação e os animais que ainda resistem ao fogo. 

Paulo Sérgio da Silva, 1º Sargento CB/PR, com mais 16 anos de corporação define a situação como calamitosa. “Estamos solidarizados com o trabalho dos Bombeiros de Mato Grosso do Sul e, apesar do trabalho escaldante tenho satisfação em ter sido escolhido. O objetivo é trabalhar em prol desse bem maior do país, o Pantanal”.

Márcio, soldado CB/PR, relata que tem aprendido muitas técnicas durante as operações de combate. “Vim para render equipe que já estava prestando os primeiros atendimentos na área. O Pantanal pertence ao Brasil, viemos defender nossa flora e fauna”.

A operação Pantanal II iniciou no final de julho, quando ocorreu a primeira onda de queimadas na região. De lá até hoje, a situação foi controlada em agosto e retornou com ainda mais força em setembro, quando o governo do Estado decretou emergência, permitindo a ajuda do governo federal, que enviou tropas militares, aeronaves e mais de R$ 3 milhões em verbas. São mais de 400 homens empenhados na operação, de forma direta e indireta.

 

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

Agenda Cultural
Programa Cine Andante divulga programação de agosto em Corumbá
Cidadania
Encerra em 31 de julho inscrições de oficinas e qualificação para crianças e jovens em Corumbá
Garantia de Recursos
Fiscalização da PF contra incêndios no Pantanal seguirá até o fim deste ano
Futebol
Técnico destaca classificação do Costa Rica no 'grupo da morte'
Oportunidade
IFMS abre 150 vagas de graduação para portadores de diploma, reingressos e transferências
Até sexta-feira
Inscrições para o Prouni abrem nesta terça-feira
No centro
Perícia encontra seringa e medicamentos no apartamento de mulher encontrada morta
Neste domingo
Ritmista da Nova Corumbá morre em colisão com carro
Até 26 de julho
Escola Sesi abre processo seletivo com 104 vagas de gratuidade na educação básica
VEM 2024
Festival de música católica tem dois sul-mato-grossenses entre os classificados

Mais Lidas

Time de Miranda
20ª edição do Amistoso da Diversidade reúne grande público no Poliesportivo
Consequência
Fumaça volta a encobrir área urbana de Corumbá
Oportunidade
Funtrab oferece mais de 4,8 mil vagas de emprego em Mato Grosso do Sul
Plantão
Bombeiros registram oito incêndios urbanos nas últimas 24 horas