Menu
quarta, 27 de janeiro de 2021
Senar MS
Andorinha Janeiro/Fevereiro Mobile
Geral

Vereador pede intervenção do Procon para melhorar serviços da Vivo na cidade

06 abril 2018 - 13h01Câmara Municipal de Corumbá-MS

O precário serviço prestado pela operadora de telefonia Vivo está causando inúmeros prejuízos à população corumbaense e isto levou o vereador e presidente da Câmara Municipal, Evander Vendramini, a pedir intervenção do Procon no sentido de que sejam tomadas medidas positivas para estabelecimento do sinal de telefonia móvel e internet que tem oscilado constantemente na região.

O pedido está sendo dirigido ao diretor-executivo da Fundação Procon de Corumbá, Alexandre Vasconcelos, diante do que o vereador classificou como “serviço de péssima qualidade que está sendo oferecido à população pela operadora de telefonia”.

O assunto foi bastante debatido na noite de ontem, terça-feira (03), na Câmara, com os vereadores apoiando a iniciativa e reforçando a necessidade de melhoria do sistema, de forma urgente.

“As reclamações são constantes. A população cobra um serviço de melhor qualidade e o que está sendo ofertado hoje pela empresa, está trazendo prejuízos àquelas pessoas que necessitam do sinal de internet e da telefonia móvel, para os seus negócios. Por isso pedimos intervenção do Procon, visando solucionar esta situação”, explicou Evander.

Orla Portuária

Por outro lado, o vereador está solicitando ao diretor-presidente da Agência Municipal Portuária, José Antônio Assad e Faria, a realização de estudos visando a sinalização de toda a Orla Portuária de Corumbá.

Para o edil, a instalação de placas informativas é necessária para orientar a população e minimizar riscos de acidentes. Ele cita que é preciso definir espaços para as pequenas embarcações, como também os locais onde há riscos de afogamento. Como se sabe, a prainha do porto é muito utilizada por banhistas, mas não há qualquer tipo de placa para orientar as pessoas que frequentam aquele espaço.

Transporte coletivo

Evander está também solicitando à Agência Municipal de Trânsito e Transporte (Agetrat), medidas urgentes para instalar a cobertura, com assento, de um ponto de ônibus na Rua Cabral, na altura do número 1988.

“O ponto existe mas sem nenhuma infraestrutura. O resultado disso é que as pessoas que utilizam o transporte coletivo, inclusive alunos de escolas próximas, acabam ficando sob o sol forte que faz costumeiramente em Corumbá, bem como debaixo de chuva, já que não existe nenhuma proteção”, justificou.

Também à Agetrat, o vereador reivindicou a instalação de um conjunto semafórico no cruzamento das ruas 21 de Setembro e Cabral, devido ao grande fluxo de veículos. O pedido visa proporcionar maior segurança ao trânsito, evitando acidentes e beneficiando também os pedestres.

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

DENÚNCIA
Funcionários demitidos do hospital não recebem rescisão trabalhista
ENCHENTE
PMA de Miranda e Defesa Civil municipal trabalham no resgate de famílias atingidas por enchentes
Geral
Curiosidade: quando foi fabricada a tecnologia Smartwatch
POLÍTICA
Presidente da Alems, Paulo Corrêa assume como governador em exercício de MS
COVID-19
Janeiro registra mais de 460 óbitos por coronavírus e já é o 3º pior mês da pandemia
MORTE POR COVID-19
Cinco dias após morte do marido, ex-primeira-dama de Dourados não resiste à Covid-19
EDUCAÇÃO
IFMS reabre prazo de matrículas da 1ª chamada para cursos técnicos integrados
Aprovados têm até esta quarta-feira, 27, para fazer a matrícula em cursos técnicos integrados ao ensino médio. Retificação altera datas previstas para novas chamadas
EDUCAÇÃO
Gabaritos do Enem serão divulgados nesta quarta-feira
CHUVA FORTE
Temporal em Corumbá causa queda de árvores e alagamentos
ECONOMIA
Governo federal aprova auxílio emergencial para 196 mil pessoas

Mais Lidas

DENÚNCIA
Funcionários demitidos do hospital não recebem rescisão trabalhista
ECONOMIA
Governo federal aprova auxílio emergencial para 196 mil pessoas
CHUVA FORTE
Temporal em Corumbá causa queda de árvores e alagamentos
MORTE POR COVID-19
Cinco dias após morte do marido, ex-primeira-dama de Dourados não resiste à Covid-19