Menu
sábado, 10 de abril de 2021
Ambiental MS Pantanal - Aegea
MOBILE - Ambiental MS Pantanal - Aegea
Geral

Transporte intermunicipal e interestadual em Ladário deve ser reestabelecido até 20 de julho

17 julho 2020 - 11h47Gesiane Sousa

Acordo judicial firmado entre o Ministério Público do Estado de Mato Grosso do Sul (MPE-MS)e o Município de Ladário (MS), reestabelece o serviço público de transporte intermunicipal e interestadual de passageiros na cidade com a reabertura do Terminal Rodoviário Municipal, até o dia 20 de julho, mediante novo Decreto.

O acordo foi firmado entre as partes com o intuito de resguardar a continuidade do serviço público, diante da problemática gerada pelo transporte clandestino, objeto da Ação Civil Pública nº 0900029-93.2020.8.12.0008 proposta pelo MPMS, por meio dos Promotores de Justiça Ana Rachel Borges de Figueiredo Nina e Luciano Bordignon Conte, titulares da 2ª e 5ª Promotorias de Justiça de Corumbá, respectivamente.

Na ação, os Promotores de Justiça solicitaram a anulação do Decreto nº 5.122, de 24 de março de 2020, do Município de Ladário, com o consequente restabelecimento do transporte intermunicipal e interestadual de passageiros, a ser prestado por ônibus e vans de linhas regulares ou fretamentos no perímetro urbano, com a reabertura do Terminal Rodoviário Municipal. O prefeito de Ladário, Iranil Soares, procurou o MPE e deu positivo para negociar uma solução para o problema através da autocomposição.

O MPMS e o município de Ladário chegaram ao acordo que estabelece cláusulas de obrigação que deverão ser cumpridas pelo município, tais como: 

  • regulamentar as medidas sanitárias e de biossegurança a serem adotadas pelas empresas privadas e pelas concessionárias e permissionárias de transporte coletivo intermunicipal e interestadual, o que deverá ser efetivado até o dia 20 de julho de 2020, mediante Decreto; 
  • promover a implantação de barreira sanitária no local de embarque/desembarque de passageiros, disponibilizando material de higiene e EPIs (Equipamentos de Proteção Individual) aos profissionais que integrarem a equipe responsável pela barreira, o que deverá ser efetivado até o dia 20 de julho; 
  • comunicar os casos de desobediência das medidas sanitárias à Autoridade Policial, com cópia às Promotorias de Justiça para a adoção de providências cabíveis nos casos de desobediência às medidas sanitárias que coloquem em risco a contenção da pandemia, nos termos do artigo 268 do Código Penal; 
  • abster-se de editar ato normativo ou regulamentar que implique na proibição de transporte intermunicipal e interestadual em descompasso com os requisitos impostos pela Lei Federal nº 13.979/2020.

Caso haja descumprimento das cláusulas estipuladas, o Município pagará multa diária, no valor de R$ 10 mil, a qual incidirá até a data em que for restaurado o cumprimento do acordo, limitada a até 30 dias, mediante comprovação documental a ser entregue ao MPE.

O MPE ressalta que o acordo tem eficácia de título executivo judicial, na forma do artigo 515, II, do Código de Processo Civil, e a execução da pena de multa não exclui a possibilidade da propositura pelo Ministério Público de medidas judiciais de qualquer espécie visando assegurar a tutela específica da obrigação assumida ou o resultado prático equivalente, para o caso de descumprimento total ou parcial do pactuado.

Em Corumbá

Na cidade vizinha, Corumbá, o terminal rodoviário continua interditado por decreto municipal desde o final de março. Um plano visando a reabertura já foi desenvolvido pela Fundação de Turismo, quem adminsitra a rodoviária, com protocolo de biossegurança e barreiras sanintárias. O local já foi readequado para o retorno, mas até o momento não há pronunciamento positivo por pate do executivo.

Clandestinidade

O aumento da clandestinidade no transporte é a grande preocupação do MPE-MS, que já recomendou a reabertura da rodviária de Corumbá, mas recebeu recusa do prefeito Marcelo Iunes e também da justiça, que entendeu que a decisão é exlcusiva do município. Pessoas oferecem "caronas" em grupos de WhatsApp com destino a diversas cidades do Estado, sem regras de cobrança nem mesmo segurança no trajeto. O objetivo do muncícipio em fechar a entrada da cidade para conter a disseminação do vírus, infelizmente perde força com a clandestinidade.

Agepan flagrou cinco carros realizando transporte clandestino em última fiscallização dentro da cidade de Corumbá. Foto: Divulgação

A Agetrat, Agência de Trânsito do município, já constatou a irregularidade inclusive praticada por ônibus de fretamento. A Agepan, que já autorizou o retorno do transporte intermunicipal desde o mês de maio, autuou recentemente, no início de julho, duurante fiscalziação, cinco veículos de passeio por prática de serviço de transporte intermunicipal de passageiros não autorizado. 

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

GERAL
Alta taxa de letalidade preocupa as autoridades sanitárias do MS
GERAL
Governo detalha ações de combate a incêndios florestais para 2021
OPERAÇÃO
Operação Ágata Oeste tem resultados expressivos de apreensão de drogas e armas
GERAL
Vereador solicita direcionamento de emenda parlamentar para aquisição de Castramóvel
GERAL
Rede Voluntária Vale apoia campanhas de combate à fome
EDUCAÇÃO
Prazo de inscrições para o Sisu termina nesta sexta-feira
EDUCAÇÃO
UEMS oferta 78 bolsas no valor de R$ 400 para Projetos de Ensino
GERAL
Servidora estadual vítima de violência sexual ou doméstica terá prioridade na remoção
GERAL
Empresas se unem para doar 3,4 milhões de medicamentos para intubação para o Brasil
Ação solidária emergencial já começou a importar insumos da China para fazer frente ao aumento de pacientes com Covid-19
POLICIAL
Homem é acusado de agredir a própria mãe no bairro Vila Guarani

Mais Lidas

POLICIAL
Homem é acusado de agredir a própria mãe no bairro Vila Guarani
OPERAÇÃO
Operação Ágata Oeste tem resultados expressivos de apreensão de drogas e armas
SAÚDE
Campanha de vacinação contra a gripe começa na segunda
SAÚDE
Corumbá institui Núcleo de Reabilitação Pós Covid com atendimento multidisciplinar