Menu
quinta, 22 de fevereiro de 2024
Governo - Fazer Bem Feiro - Fevereiro 2024
Governo - Fazer Bem Feiro - Fevereiro 2024
Geral

Toffoli toma posse hoje na presidência do STF

13 setembro 2018 - 14h46Agência Brasil

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Dias Toffoli toma posse hoje (13) no cargo de presidente da Corte. A cerimônia de posse será às 17h, no plenário do Supremo. O ministro ficará no cargo pelos próximos dois anos. Ele irá suceder Cármen Lúcia.

Toffoli tem 50 anos e foi nomeado para o STF, em 2009, pelo então presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Antes de chegar ao Supremo, o ministro foi advogado-geral da União e advogado de campanhas eleitorais do PT.

Perfil pacificador

O ministro é conhecido por evitar polêmicas e por ter um tom pacificador em suas decisões. De acordo com os colegas da Corte, o novo presidente fará um trabalho ligado à gestão administrativa do Judiciário, por meio do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), órgão que também comandará.

A partir da semana que vem, Toffoli comandará as primeiras sessões da Corte. Foram pautadas somente ações que tratam de licenciamento ambiental e ações de inconstitucionalidade contra leis estaduais.

A expectativa é de que pautas polêmicas não sejam julgadas antes das eleições de outubro. Segundo assessores próximos, o tribunal não deve julgar novamente a autorização para a execução de condenações criminais, fato que é defendido por advogados de condenados na Operação Lava Jato.

Para o ministro Gilmar Mendes, um dos integrantes da Corte que deram apoio inicial quando Toffoli chegou ao STF, o novo presidente poderá dar continuidade às políticas públicas do Judiciário.

“Eu tenho boa expectativa. O ministro Toffoli é muito voltado para a questão de gestão, dedicou-se a isso na AGU e também no TSE, tem um gabinete organizado, acho que fará uma boa gestão, tanto no Supremo como no CNJ. De alguma forma acho que para o Judiciário, na visão administrativa, o CNJ é até mais importante do que o Supremo, porque ele trata políticas judiciárias, define regulamentos do Judiciário como um todo, faz prioridades, portanto, acho importante ter um bom gestor à frente do CNJ para dar continuidade a políticas públicas que vem se desenvolvendo”, disse Mendes.

No mais recente balanço divulgado no final do ano passado, Toffoli informou que, em 8 anos, reduziu o acervo de seu gabinete em 77%. Quando chegou ao Supremo, o ministro tinha cerca de 11 mil processos em seu acervo. Atualmente, existem cerca de 2 mil.

Deixe seu Comentário

Leia Também

20 mil litros
Dois homens são presos por contrabando de combustível em Corumbá
Partidas Dobradas
Operação conjunta apura entrada ilegal de produtos estrangeiros pela fronteira de MS
Pagamento Especial
Bolsa Família antecipa pagamento para municípios do RS e ES
Leão
Receita abre consulta a lote residual do Imposto de Renda
No Rio de Janeiro
Reforma em organizações internacionais é destaque em 2º dia de G20
Ação conjunta
Conjunto Corumbella recebe ação assistência à saúde neste sábado (24)
Saneamento
Mais de 62% do estado já possui esgotamento sanitário
Proposta
Vereador sugere tarifa zero aos domingos nos ônibus de Corumbá
Plantão
Bombeiros registraram sete quedas de árvores causadas pelo temporal desta quarta
Seminário
Combate à incêndios em MS será aliado a mudança da prática do uso do fogo

Mais Lidas

Plantão
Pessoa é encontrada morta em casa do Popular Velha
Turismo
Anhuma, no Pantanal de Albuquerque: refúgio dos amantes da pesca e natureza
Você viu?
Bailarinos de Corumbá se apresentaram no palco do Caldeirão com Mion
Oportunidade
Marinha abre inscrições para concurso para Colégio Naval