Menu
terça, 16 de abril de 2024
Andorinha - Novos ônibus - agosto 2023
Andorinha - Novos Ônibus - Agosto 2023
Geral

TJMS lança campanha de combate ao superendividamento nesta sexta-feira (23)

22 fevereiro 2024 - 11h54Assessoria, TJMS

O Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul (TJMS), por meio do Núcleo Permanente de Métodos Consensuais de Solução de Conflitos, lança na sexta-feira (23), a Campanha Cejusc de Superendividamento. A cerimônia terá início às 17 horas, no plenário do Tribunal Pleno do TJMS, e contará com a presença do presidente do TJ, Des. Sérgio Fernandes Martins, do coordenador do Núcleo Permanente de Métodos Consensuais de Soluções de Conflito e da Justiça Restaurativa (Nupemec), Des. Vilson Bertelli, e de autoridades representantes de órgãos parceiros da campanha.

Pessoas que não têm como pagar suas dívidas, sem comprometer o mínimo para sobrevivência, podem ser classificadas como superendividadas. Na lista das dívidas negociais estão o cartão de crédito, as compras parceladas, empréstimos bancários, cheque especial, serviços de prestação continuadas, contas de água, luz e telefone, boletos de consumo em lojas e crediários. É neste cenário que entra o Poder Judiciário, que depois de estudar cada caso, dá encaminhamento para encontrar a solução.

Este é o programa de combate ao superendividamento. Uma política pública voltada ao atendimento de cidadãos devedores de boa-fé, inclusive idosos e servidores públicos. Com a ajuda dos profissionais da campanha do Cejusc Superendividamento, será possível a elaboração de um plano de pagamento, com prazo de até cinco anos para quitação dos débitos e negociar isso junto às empresas credoras. Além de ter ajuda por meio de oficinas de prevenção ao endividamento e na preparação para a sessão de conciliação, realizadas em parceria do Poder Judiciário de MS com a Faculdade Insted, que fornecerá equipe multidisciplinar em apoio.

A disponibilização deste serviço ganhou reforço na gestão do Presidente do TJMS, Des. Sérgio Fernandes Martins, e da coordenação do Des. Vilson Bertelli, responsável pelo Núcleo Permanente de Métodos Consensuais de Soluções de Conflito e da Justiça Restaurativa (Nupemec), que nomearam a juíza Denize de Barros Dodero para coordenar o Cejusc Superendividamento.

Para o cidadão se adequar à Lei nº 14.181/21, Lei do Superendividamento, que alterou e introduziu diversos dispositivos ao Código de Defesa do Consumidor, para aperfeiçoar a disciplina do crédito e dispor sobre a prevenção e tratamento do superendividamento, basta que o consumidor, pessoa física, seja maior de 18 anos, e que não consegue quitar suas dívidas e está com sua renda comprometida, prejudicando seus gastos essenciais.

A medida foi publicada em meio à pandemia de Covid-19 que acabou por maximizar a quantidade de superendividados no país. Atualmente, estima-se que mais de 70% das famílias não consigam arcar com seus compromissos financeiros. Com a revisão e repactuação de dívidas de forma justa e equilibrada, o consumidor evita a perpetuação dessa dívida e o crescimento de uma verdadeira bola de neve.

Importante ressaltar que este programa é exclusivo do Poder Judiciário e não abarca os impostos. A dívida pública fica fora. O objeto é o consumo consciente, que além de necessário é extremamente importante para fomentar a economia do país, uma vez que gera renda, empregos e tributos.

Todos os serviços são gratuitos dispostos à população pelo Poder Judiciário em cooperação com diversas instituições públicas e privadas. Desde as oficinas de superendividamento, as audiências conciliação pré-processuais e até mesmo os grupos reflexivos.

Mas atenção, “este programa enfoca o público-alvo denominado ‘devedor de boa-fé’ e é preciso retirar o estigma do devedor para que não tenha vergonha ou fique intimidado em participar do programa”, destaca a juíza Denize de Barros Dodero.

As diferenças entre endividamento e superendividamento, é que o endividamento são dívidas planejadas, pontuais, que cabem no orçamento e se pode pagar normalmente. Já o superendividamento é quando o devedor não consegue pagar suas contas, por um longo período de tempo, com o salário que ganha, o que compromete a renda mínima existencial.

Porém, ambos serão encaminhados em busca de soluções nos Cejuscs. Só que o endividamento tem o rito comum de conciliação com a parte, enquanto o superendividamento tem políticas próprias, que possibilitam a audiência global de credores. Tem todo um tratamento próprio estipulado no rito processual desta Lei.

De acordo com a juíza Denize Dodero, “todo aquele cidadão que levou a sua dívida para o Cejusc terá atendimento, com a diferença de que o superendividado poderá tratar com todos os seus credores em uma única audiência. Já o endividado buscará conciliação individualmente com cada credor, mas assistido pelo Cejusc”.

Receba as notícias no seu Whatsapp. Clique aqui para seguir o Canal do Capital do Pantanal.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Em Corumbá
Homem é multado em R$ 4.842 pela pesca ilegal de Dourados no rio Paraguai
Oportunidade
Processo seletivo abre 24 vagas para o HRMS
Destaque
TJMS lança ferramenta para devolver R$ 314 milhões à população
Sancionado
Lei estadual: número de série de bicicleta deve constar no documento fiscal na hora da compra
Termo de Cooperação
Fundo Municipal da Criança destina R$ 87 mil a dois projetos sociais de Ladário
Praça
Vereador denuncia vandalismo nos brinquedos do Jardim da Independência
Destaque
Prefeito empossa 31 aprovados em concurso público da Rede Municipal de Educação
Destaque
Prefeitura divulga relação dos locais de realização das provas do concurso da Guarda Municipal
As provas serão realizadas no próximo domingo, dia 21, no período vespertino
Exército
Menor de idade é flagrada com droga presa ao corpo e escondida na bagagem
Comemorativo
Banda de Música do Exército faz apresentação no Poliesportivo nesta terça-feira (16)

Mais Lidas

Vila Guarani
Autor de homicídio morre em confronto com a Polícia
Policial
Carro que saiu de Corumbá com 98 kg de cocaína é interceptado na BR 163
Tráfico de Drogas
Brasileiras são flagradas com 10 kg de cocaína na BR 262
Preço baixo
De perfumes a eletrônicos, leilão da Sefaz/MS abre visitação