Menu
quarta, 20 de outubro de 2021
Andorinha - Setembro e Outubro
Andorinha - Outubro e Novembro - MOBILE
Geral

Telmário Mota é escolhido relator de caso Delcídio no Conselho de Ética

03 março 2016 - 14h58G1
O senador Telmário Mota (PDT-RR) foi escolhido nesta quarta-feira (2) para ser o novo relator da representação que apura quebra de decoro parlamentar por parte de Delcídio do Amaral (PT-MS) no Conselho de Ética do Senado. Mota foi escolhido por sorteio e foi um dos 13 senadores que votaram contra a prisão de Delcídio no plenário do Senado. Após ser escolhido, o pedetista terá um prazo de cinco dias úteis, a partir desta quinta (3), para apresentar um parecer favorável ou não à continuação do caso. O novo relatório deverá ser apresentado na sessão do conselho da próxima quarta-feira (9). Delcídio do Amaral foi preso em novembro do ano passado acusado de tentar obstruir as investigações da Operação Lava Jato. O senador foi gravado oferecendo dinheiro e um plano de fuga para que Nestor Cerveró não o citasse durante depoimento de delação premiada. Delcídio do Amaral foi preso em novembro do ano passado acusado de tentar obstruir as investigações da Operação Lava Jato. O senador foi gravado oferecendo dinheiro e um plano de fuga para que Nestor Cerveró não o citasse durante depoimento de delação premiada. Uma semana após a prisão de Delcídio, a Rede e o PPS protocolaram a representação no Conselho de Ética para apurar se Delcídio feriu o decoro parlamentar na ocasião. A defesa do senador, que está afastado do PT, alega que Delcídio não estava exercendo a função de parlamentar quando foi gravado e que as declarações – inclusive aquelas em que Delcídio diz que conversaria com ministros do Supremo Tribunal Federal – foram “simples” bravatas. Na semana passada, após pedido da defesa de Delcídio, o Conselho de Ética considerou o senador Ataídes Oliveira (PSDB-TO) impedido de continuar na relatoria. A defesa de Delcídio do Amaral alegava que, por ser do PSDB, Ataídes Oliveira não tinha isenção suficiente para ocupar o cargo de relator. O motivo é o fato de ele ser do Bloco da Oposição, composto também PV e DEM, partido que apoiou por escrito a representação da Rede e do PPS em desfavor de Delcídio. Por este motivo,o presidente João Alberto acatou o pedido da defesa de Delcídio do Amaral. Antes do início da sessão que escolheu o novo relator do caso, os membros do colegiado se reuniram a portas fechadas para ouvir um recurso do senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP). Randolfe queria que o entendimento sobre o número de possíveis relatores do caso fosse revisto a fim de que mais senadores pudessem participar do sorteio. De acordo com entendimento preliminar do Conselho de Ética, apenas três senadores poderiam relatar a representação: Sérgio Petecão (PSD-AC), Romero Jucá (PMDB-RR), membros do bloco da Maioria; e Douglas Cintra (PTB-PE), do bloco União e Força. Isso porque os demais senadores fazem parte dos blocos Apoio ao Governo – composto por PT, partido de Delcídio, e PDT; Oposição – formado por DEM, que apoiou a representação, PSDB e PV; e Socialismo e Democracia – integrado por Rede e PPS, autores da representação, e PSB. O entendimento previa que nem o bloco do representante, nem o do representado e nem o do paritdo apoiador poderiam ter senadores escolhidos relator. Mas, durante a reunião que antecedeu a sessão do colegiado, os membros desfizeram o entendimento inicial e determinaram que apenas os partidos, e não os blocos, de representante, representado e apoiador estavam impedidos de relatar o caso. Dessa forma, PMDB, PDT, PSDB, PTB, PSD e PSB estariam aptos a participar do sorteio. PMDB, PSDB, PSD e PTB, no entanto, decidiram renunciar ao sorteio. Com isso, novamente, restaram apenas três senadores: Telmário Mota (PDT-RR), que foi sorteado, Lasier Martins (PDT-RS) e João Capiberibe (PSB-AP).   Relator contrário à prisão O novo relator do caso Delcídio foi contrário à prisão do senador decretada pelo STF em novembro do ano passado. Telmário Mota disse que considerou a prisão ilegal. A maioria do plenário do Senado, contudo, deu aval à prisão, por 59 votos favoráveis, 13 contrários – entre eles o voto de Telmário – e uma abstenção. Ele afirmou, porém, que o voto contrário à prisão não vai ter influência no relatório. “Não vai influenciar. Eu entendi que a prisão de Delcídio não foi dentro da legalidade porque ele nem investigado estava sendo, entendi que ele não poderia ser preso por aquilo ali. Agora é outra situação, vamos julgar a questão dele enquanto senador com relação ao decoro. Vou ser relator com maior naturalidade, dentro da legalidade”, disse o pedetista. O senador Randolfe Rodrigues, da Rede, partido autor da representação, disse esperar que Telmário “acate a representação”. “A prisão do Delcídio foi um fato consumado com manutenção decidida pelo plenário do Senado. Espero sinceramente que Telmário compreenda isso e acate a representação”, declarou Randolfe.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Flexibilidade
Com redução dos casos de Covid-19, Prefeitura altera Toque de Recolher em Corumbá
Monumento Histórico
Vereadores defendem resgate de antigo Farol do Balduíno no Rio Paraguai
Sem Emendas
Câmara aprova Moção em Apoio à regulamentação da profissão de podologia
Pobreza Menstrual
Vereadora pede apoio de deputados para derrubar veto presidencial na distribuição de absorventes
Em tramitação
Proposta cria programa de apoio a catadores de recicláveis em Corumbá
Briga Antiga
Anatel convoca a Oi para reunião sobre internet em Corumbá
Na Câmara
Vereador questiona índices do ICMS Ecológico estabelecidos para 2022
Desdobramento
Denúncia contra os nove indiciados pelo Dracco na Operação "Dark Money" vira processo judicial
Desdobramentos
PF apreende arma, munição e faz termo de conduta durante operação Mercês
Crime na Capital
Após disparos, polícia prende ladrões que fizeram idosa e cuidadora de reféns na Capital

Mais Lidas

Investigação
Polícia federal cumpre sete mandados judiciais por crimes praticados na eleição 2020
Desdobramentos
PF apreende arma, munição e faz termo de conduta durante operação Mercês
Monumento Histórico
Vereadores defendem resgate de antigo Farol do Balduíno no Rio Paraguai
Desdobramento
Denúncia contra os nove indiciados pelo Dracco na Operação "Dark Money" vira processo judicial