Menu
sábado, 24 de fevereiro de 2024
Andorinha - Novos ônibus - agosto 2023
Geral

Semana de Execução termina com R$ 2,3 mi pagos aos trabalhadores em MS

24 setembro 2018 - 15h03Sylma Lima

A 8ª Semana Nacional de Execução Trabalhista, realizada entre os dias 17 e 21 de setembro, arrecadou R$ 2.378.324,92 milhões que serão pagos aos trabalhadores de Mato Grosso do Sul. A ação atendeu 687 pessoas e contou com audiências, leilões judiciais e pesquisa patrimonial. O evento reuniu todos os tribunais do trabalho do país numa tentativa de garantir o pagamento das dívidas trabalhistas pelos devedores.

Em todo o Estado, foram realizadas 41 audiências com percentual de acordos de 44%. Em um único processo, a Juíza Titular da 5ª Vara do Trabalho de Campo Grande, Ivete Bueno Ferraz, fechou um acordo no valor de R$ 1.028.062,83 entre uma gerente de banco e a BV Financeira. A ação, movida em 2014, pedia a integração de comissões de venda no salário e o pagamento de horas extras e reflexos, desde 2009.

Também foram realizados leilões judiciais de bens penhorados como imóveis, terreno, veículo, máquinas e materiais de escritório. Ao todo foram arrecadados quase R$ 2 milhões em Campo Grande e Mundo Novo.

Uma das estratégias utilizadas pela Justiça do Trabalho durante a Semana de Execução foi a "Maratona de Pesquisa Patrimonial", que consiste em estudos e ações de investigação de bens junto aos sistemas informatizados, como Bacenjud, Renajud e Serasajud para buscar valores e bens em nome dos executados.

Um exemplo foi o bloqueio, durante 48 horas, de R$ 157 milhões de 36 empresas e uma pessoa física na tentativa de garantir o pagamento das verbas rescisórias de cerca de 1.500 trabalhadores do Consórcio da UFN3, em Três Lagoas. Os valores foram bloqueados pelo Núcleo de Execuções e Pesquisa Patrimonial do Tribunal Regional do Trabalho da 24ª Região. O coordenador do núcleo, juiz Márcio Alexandre da Silva, explica que a atitude foi necessária porque os devedores estavam ocultando o patrimônio e quem os tinha usava medidas protelatórias para dificultar a execução da dívida. As empresas recorreram e o bloqueio foi suspenso até o julgamento do mandado de segurança pelo Tribunal Pleno do TRT/MS.

Atualmente, mais de 32 mil processos na fase de execução estão pendentes de finalização na Justiça do Trabalho de Mato Grosso do Sul, o que representa 39% do total de ações em estoque.

Histórico

Durante a Semana Nacional de Execução Trabalhista de 2017, a Justiça do Trabalho de Mato Grosso do Sul arrecadou R$ 2.928.513,43 que foram pagos aos trabalhadores. Em todo o país, foram arrecadados mais de R$ 819 milhões, no ano passado. Desde 2010, o Conselho Superior da Justiça do Trabalho (CSJT), em parceria com os 24 TRTs, realiza o esforço concentrado, voltado para a solução definitiva de processos na Justiça do Trabalho. (Informações da Assecom TRT)

 

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

Até 9h de amanhã
Corumbá e mais 23 cidades de MS estão sob alerta de chuvas intensas
Na entrada
Perícia estima que morte de homem encontrado em mata na cidade tenha ocorrido há 4 dias
Dados IBGE
Em 12 anos, quase 60 mil pessoas trocaram casa por apartamentos em MS
Nota Oficial
APAE de Campo Grande divulga nota de esclarecimento sobre bolsas coletoras
Pesquisa
UFMS apresenta Plano de Desenvolvimento e Integração da Faixa de Fronteira à Sudeco
Cursos
Academia de Música Manoel Florêncio abre inscrições para 127 vagas
Um menor
Operação resgata 20 trabalhadores sob condições de escravidão em fazenda de limão
Vindo do RJ
Boliviano de 21 anos é detido com 35 celulares sem nota fiscal
Convênio
Pacientes bolivianos em tratamento oncológico em Corumbá terão 75% de desconto na Andorinha
Protesto
Religiosos pedem retratação à site da capital por desrespeito à Iemanjá

Mais Lidas

Protesto
Religiosos pedem retratação à site da capital por desrespeito à Iemanjá
Na entrada
Perícia estima que morte de homem encontrado em mata na cidade tenha ocorrido há 4 dias
Oportunidade
Concurso da Caixa tem 3 vagas para Corumbá com salário de R$ 3,7 mil
Vindo do RJ
Boliviano de 21 anos é detido com 35 celulares sem nota fiscal