Menu
domingo, 26 de maio de 2024
Andorinha - Novos ônibus - agosto 2023
Andorinha - Novos Ônibus - Agosto 2023
Geral

Parceria entre Prefeitura e Marinha garante assistência aos ribeirinhos

03 março 2016 - 15h12Sylma Lima
Realizado pela Prefeitura de Corumbá para levar atendimento médico, dentário, social e educacional para os moradores das regiões isoladas do Pantanal corumbaense, o Programa Social Povo das Águas retorna em março e desta vez em parceria com a Marinha do brasil que vai levar a tripulação no navio Nash Maximiano até as regiões mais distante do Pantanal Sul Mato-grossense. Segundo o prefeito Paulo Duarte essa união de esforços é inédita em todo país e tem o objetivo de reduzir custos, já que ambos fazem o esmo trabalho durante o ano inteiro, “em três anos já fizemos trinta ações. Até ano passado a prefeitura ia para um lado e Marinha para outro gerando custos altíssimos e devido à crise eu tomei a iniciativa de procurar a Marinha e propor a parceria, porque esse é um serviço que não pode parar. Nessa edição de Março, vamos fazer mais com menos. E com certeza vai melhorar o atendimento dos ribeirinhos, pois é uma ação de forma integrada e não isolada.  Essas pessoas , devido a dificuldade de acesso e distancia  tem muitos problemas, fator que inviabiliza a vinda até a cidade, e temos conhecimentos de suas carências e necessidades, por isso a ação será diferente, e muito mais abrangente”. A primeira edição do mês de Março vai atender os ribeirinhos da região do Taquari, do local conhecido como Corixão até o Porto Sairu, na colônia do Bracinho.Outras regiões que terão atendimento também são:  (de Domingos Ramos até o Porto Novo Horizonte, na divisa com o Mato Grosso) e Baixa (do Porto Formigueiro até o Forte Coimbra) do Pantanal. Cada uma das três regiões da zona ribeirinha receberá o Programa Social três vezes ao longo de todo o ano. A estimativa é atender mais de 800 famílias.Empresários também do turismo também participam da parceria ajudando com alojamento, alimentação e logística aos tripulantes da embarcação . Este é o caso da empresária Odila Maria Silveira Gonçalves que atua desde o início do projeto, “cedo apartamento do meu hotel para os médicos, enfermeiros, dentistas e toda tripulação. O objetivo é ajudar ao povo da nossa comunidade que é muito carente desses serviços. Na última ação foi atendido mais de cem pessoas, e maior procura é por médicos e dentistas. O povo não tem condição de vir até a cidade” , disse explicando que na região são mais de 30 famílias, “ e o prefeito desde o início de sua gestão tem mantido o projeto e agora com ajuda da Marinha vai ficar melhor ainda” , disse Odila ao Capital do Pantanal. O Programa é coordenado pela Secretaria Municipal de Governo e conta com a participação de profissionais das secretarias de saúde, Educação, Assistência Social, Produção Rural, Meio Ambiente e da Defesa Civil. A Prefeitura também atuou na parte preventiva da saúde dos habitantes tradicionais da planície pantaneira. Mais de 30 mulheres realizaram exames preventivos do câncer do colo do útero, e quase 40 palestras sobre Educação em Saúde também foram levadas às famílias ribeirinhas. Trabalho semelhante foi desenvolvido pela equipe do CAPS ad, que focou no abuso do álcool e drogas. As crianças ribeirinhas também receberam atenção especial da Prefeitura no ano passado. Durante as ações, quase 2 mil brinquedos foram entregues aos pequenos corumbaenses. Técnicas da Secretaria de Educação realizaram atividades lúdicas que auxiliaram no desenvolvimento cultural, motor e social das jovens e adolescentes. Cheia  O volume pluviométrico das águas já mostra que o ano será de cheia no Pantanal. Como se trata da maior planície alagável do planeta e suas características são os ciclos de cheia e seca ,que se revezam entre as duas estação predominantes na região. As chuvas começaram a cair em Dezembro e não deu trégua. Como resultado surge o velho problema da volta as aulas e a dificuldade do acesso as unidades educacionais devido ao alagamento. Quanto a esta situação o prefeito disse que os reflexos já são sentidos e por isso já está tomando as providencias necessárias no sentido de não prejudicar o ano letivo das crianças, “podem ficar tranquilos que todos vão estudar. Esse é um problema sério, mas não podemos lutar contra a natureza, entretanto todos os ribeirinhos terão acesso à educação” .

Deixe seu Comentário

Leia Também

Meio Ambiente
Relatório da ONU sobre o clima responsabiliza a humanidade por aumento de fenômenos extremos
Facilidade
Mais de R$ 1,8 milhão em taxas judiciárias já foram pagos via Pix
Variedades
Cassinos Online: Sorte e estratégia na era digital
Reitoria
Colégio Eleitoral da UFMS mantém Camila Ítavo em primeiro lugar na lista tríplice
Meio Ambiente
Juiz mantém proibido o desmate no Parque dos Poderes
Crime
Na delegacia, assassino "confesso" diz que conheceu corretora em aplicativo
Educação
UEMS e Fundect investem R$ 4 mi para fortalecer ensino superior em Mato Grosso do Sul
Em Maracaju
Estudantes do IFMS levam tecnologia a maior evento agro do Estado
Destaque
Dia da Indústria: Longen destaca força do setor industrial de Mato Grosso do Sul
Extrema magreza
Polícia resgata cães em situação de maus-tratos no Popular Nova

Mais Lidas

Tráfico de Drogas
Boliviana é presa com 12,7 kg de cocaína em botijão de gás transportado dentro de mala
Soldado Cidadão
Projeto da Marinha vai oferecer formação de condutores para recrutas em Ladário
Interdição
Ponte sobre o rio Paraguai fecha às 17 horas deste sábado; interdição deve durar 19 horas
Investigação
Polícia Civil prende homem acusado por furto de joias e celulares na cidade