Menu
terça, 16 de abril de 2024
Andorinha - Novos ônibus - agosto 2023
Andorinha - Novos Ônibus - Agosto 2023
Geral

Religiosos pedem retratação à site da capital por desrespeito à Iemanjá

23 fevereiro 2024 - 10h17Gesiane Sousa

Matéria veiculada nesta quinta-feira (22), pelo site Midimax, de Campo Grande, não agradou em nada os religiosos e representantes dos terreiros de umbanda e candomblé de Corumbá. No texto, o jornalista narra um possível ato sexual entre casal que se banhava nas águas do rio Paraguai e, menciona que os dois poderiam estar praticando sexo em plena luz do dia e ao ar livre, para serem abençoados por Iemanjá, orixá consagrada como a rainha das águas e associada a fertilidade feminina. 

Os religiosos caracterizam a conotação do jornalista como desrespeitosa. Em contato com o Capital do Pantanal, eles afirmam que incluir a orixá neste contexto é considerado intolerância religiosa. Crime, que pela Lei brasileira pode gerar detenção de um mês a um ano ou multa. 

Presidente da tenda espírita São José, do terreiro de Pai Amilton de Xangô, no bairro Universitário, em Corumbá, Milton Costa afirma ter ficado perplexado. "É uma afronta ele comparar o ato sexual a uma oferenda para Iemanjá. Talvez ele não conheça o Santo ou talvez quisesse chamar atenção, mas chamou atenção de forma errada. Ele afrontou as religiões de matrizes africanas e nós vamos ao extremo", destaca Milton, que confirma já estar reunindo outros representantes religiosos da cidade para além da retratação pública, acionarem a justiça.

"Isso não pode ficar assim, isso não pode ser assim, ele não teve respeito pelas regiligiões de matrizes africanas. Precisamos lutar e defender nossas descendências e religiosidade", afirma Milton ao Capital do Pantanal.

Outro representante da religião, que também se posiciona em protesto a matéria veiculada é Pai Robson, Babalorixá com mais de 40 anos de sacerdócio. Para ele, o jornalista não foi profissional e falhou ao incluir Iemanjá no texto, que ao ser publicado na internet toma proporções mundiais. 

"Tratar Imanjá, uma orixá considerada matriarca nas religiões de matrizes africanas, da forma como ele mencionou no texto é desmerecer nossa religião. Não é porque algo acontece nas águas no rio, que se torna oferenda ou homenagem à Iemanjá. Representei Corumbá em Brasília, à convite da ministra Niele Franco, em ato pedindo respeito aos Povos de Matrizes Africanas e já estou em contato com o ministério, também vamos ao Ministério Público. Exigimos respeito!.", afirma Pai Robson.

Receba as notícias no seu Whatsapp. Clique aqui para seguir o Canal do Capital do Pantanal.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Em Corumbá
Homem é multado em R$ 4.842 pela pesca ilegal de Dourados no rio Paraguai
Oportunidade
Processo seletivo abre 24 vagas para o HRMS
Destaque
TJMS lança ferramenta para devolver R$ 314 milhões à população
Sancionado
Lei estadual: número de série de bicicleta deve constar no documento fiscal na hora da compra
Termo de Cooperação
Fundo Municipal da Criança destina R$ 87 mil a dois projetos sociais de Ladário
Praça
Vereador denuncia vandalismo nos brinquedos do Jardim da Independência
Destaque
Prefeito empossa 31 aprovados em concurso público da Rede Municipal de Educação
Destaque
Prefeitura divulga relação dos locais de realização das provas do concurso da Guarda Municipal
As provas serão realizadas no próximo domingo, dia 21, no período vespertino
Exército
Menor de idade é flagrada com droga presa ao corpo e escondida na bagagem
Comemorativo
Banda de Música do Exército faz apresentação no Poliesportivo nesta terça-feira (16)

Mais Lidas

Vila Guarani
Autor de homicídio morre em confronto com a Polícia
Policial
Carro que saiu de Corumbá com 98 kg de cocaína é interceptado na BR 163
Tráfico de Drogas
Brasileiras são flagradas com 10 kg de cocaína na BR 262
Preço baixo
De perfumes a eletrônicos, leilão da Sefaz/MS abre visitação