Menu
domingo, 24 de outubro de 2021
Andorinha - Setembro e Outubro
Andorinha - Outubro e Novembro - MOBILE
Geral

Reincidente, Buser será multada em até R$ 29.850 por transporte clandestino

24 agosto 2020 - 10h20Gesiane Sousa

Mais uma vez a empresa Buser foi flagrada realizando transporte clandestino de passageiros em terras pantaneiras. O novo flagrante ocorreu na manhã de hoje, segunda-feira (24), na Barreira Sanitária de Corumbá, montada no Posto Fiscal Lampião Aceso, na BR 262. Equipe da Agetrat (Agência Municipal de Trânsito e Transporte) acionou a Coordenadoria de Posturas do município e realizou a apreensão do veículo.

O ônibus tinha 18 passageiros que iriam desembarcar em Corumbá e Ladário. Segundo Luciano Cruz, coordenador de Posturas, o desembarque e embarque de passageiros em Corumbá continua proibido por decreto municipal, já em Ladário, é permitido no terminal rodoviário da cidade, porém a Vigilância Municipal deve ser avisada com antecedência, medida que foi desrespeitada pela Buser.

Esta não é a primeira vez que um ônibus da empesa Buser é flagrado tentando burlar a proibição do transporte intermunicipal em Corumbá. Em maio deste ano, além da irregularidade do transporte, uma passageira boliviana transportava 7 mil dólares não declarados, o que é caracterizado crime de evasão de divisas.  Fábio Cruz afirmou que a empresa será multada e que o valor pode chegar até R$ 29.850,00.

O transporte intermunicipal em Corumbá está proibido desde o final do mês de março, quando a pandemia foi anunciada pela Organização Mundial de Saúde. Desde então, pessoas que precisam de deslocar de Corumbá para Capital ou outros destinos estão utilizando opções clandestinas de transporte, como os ônibus de fretamento e as perigosas “caronas”, que além de não oferecer segurança ao passageiro não tem valor tabelado de passagem.

No final de maio, a prefeitura chegou a anunciar um possível retorno do transporte regular, porém desistiu da flexibilização e manteve a proibição. Em Junho, o Ministério Público Estadual (MPE-MS) entrou com ação judicial pelo retorno do transporte, porém a justiça não interferiu na decisão do município, que manteve o terminal rodoviário fechado. Enquanto isso, empresas regulares ficam impedidas de oferecer transporte seguro com respeito as normas de biossegurança estipuladas pela Agência Estadual de Regulação de Serviços Públicos (Agepan).   

Ladário entendeu a necessidade e a responsabilidade com a vida de seus moradores e autorizou o retorno do transporte em 20 de Julho. A decisão ocorreu após negociação com o Ministério Público Estadual. Desde então, passageiros estão podendo viajar com segurança e medidas preventivas, com embarque e desembarque na avenida 14 de Março.

 

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

Flagrante
Dois turistas são multados em R$ 1,8 mil por pesca predatória no rio Miranda
Alerta
Últimos dias para inscrições em editais da Funarte
Imunização
Quem pode se vacinar contra Covid neste fim de semana
1 hora a menos
Agepan defende o retorno do horário de verão para economia de energia em MS
74 vagas
Concurso público da Sanesul recebe inscrições até 11 de novembro
Boletim Epidemiológico
MS volta a registrar mortes por Covid-19
Orientação
O que fazer para prevenir problemas durante e após temporais
CNH MS Social
Programa de habilitação gratuita já tramita na Assembleia Legislativa
Tempo
Chuva ganha força a partir deste sábado e pode trazer nova tempestade para MS
Precaução
Tradicional Procissão Fluvial é cancelada devido previsão de mal tempo

Mais Lidas

Causa não definida
Motorista de ônibus fretado com 42 passageiros perde o controle e colide na mureta da ponte
Dom Bosco
Homem baleado pede socorro em escola, mas não resiste e morre
Desdobramento
Embarcação que naufragou e fez sete vítimas no rio Paraguai não era de transporte turístico
Boletim Epidemiológico
MS volta a registrar mortes por Covid-19