Menu
quinta, 20 de junho de 2024
Câmara - Queimadas 2024
Andorinha - 76 anos - Junho 2024
Geral

Rafa Kalimann participa de expedição do SOS Pantanal em defesa do Bioma

07 outubro 2022 - 10h12Assessoria

Neste mês de outubro, entre os dias 15 e 19, o SOS Pantanal realiza mais uma edição do projeto “Expedição Pantanal”. Entre outros convidados, desta vez a iniciativa contará com a participação da modelo, apresentadora e influenciadora digital Rafa Kalimann, que, além de ser madrinha das Brigadas Pantaneiras (atuam na prevenção e combate a incêndios), com mais de seus 23 milhões de seguidores dará visibilidade às ações fundamentais da instituição.

A última expedição temática ocorreu em 2019 com o objetivo de mostrar a importância do trabalho de projetos de conservação da biodiversidade e documentar o papel do ecoturismo como ferramenta de desenvolvimento econômico e conservação do meio ambiente. Foram 25 dias de viagem com visitas aos principais projetos de conservação e pontos de ecoturismo do bioma e do entorno.

No total, foram percorridos mais de 5 mil km por terra e mais de 600 km cruzando rios, passando por 11 municípios e visitando 20 empreendimentos ecoturísticos, além de 11 projetos de conservação, como o Projeto Arara Azul, Onçafari, Instituto Acaia, Instituto Homem Pantaneiro, Projeto Tamanduá, Projeto Bichos do Pantanal, ONG Panthera Brasil, Projeto Tatu-Canastra, Projeto Onças do Rio Negro, Instituto das Águas da Serra da Bodoquena (IASB) e a Comunidade Kolping Frei Thomás. 

Potencial do ecoturismoSegundo dados do Ministério do Turismo, entre 2017 e 2019 cerca de 19 milhões de turistas estrangeiros escolheram o Brasil como destino de viagem, motivados por nossas belezas naturais e nossa diversidade cultural.Deste total, e em busca da riqueza dos biomas nacionais e das exuberantes fauna e flora, um quinto desses visitantes internacionais (18,6%, ou pouco mais de 3,5 milhões de pessoas) escolheu o ecoturismo como principal modalidade.

Depois de dois anos de severo impacto nas atividades do setor turístico em decorrência da pandemia de Covid-19, este pujante fluxo de viagens que têm como foco o contato estreito com a natureza brasileira volta a ser fortalecido e um dos destinos obrigatórios do turismo ambiental é o Pantanal.

No documento Ecoturismo: Manifesto em Prol das Unidades de Conservação e do Meio Ambiente, divulgado em julho de 2020, a ABETA (Associação Brasileira das Empresas de Ecoturismo e Turismo de Aventura) já destacava a expectativa de que possíveis cenários de demandas turísticas pós-pandemia apontavam para a regionalização e a busca por experiências mais naturais e autênticas. Previsão que vem se confirmando com a ascensão de números absolutos divulgados por agentes governamentais.

Em maio último, por exemplo, a Embratur, entidade ligada ao Ministério do Turismo, estimou que o Brasil deve receber aproximadamente 4,2 milhões de turistas internacionais ao longo de 2022. É o maior número de visitantes vindos do exterior desde que a OMS decretou a pandemia de Covid-19, que teve início em março de 2020.Além de contribuir para a preservação ambiental, o ecoturismo também favorece a economia, por meio de operações desenvolvidas por mais de 13 mil empresas brasileiras dedicadas ao setor.

A Organização Mundial do Turismo (OMT) aponta que, enquanto o turismo no geral avança 7,5% ao ano, a prática de ecoturismo cresce 20%. No Brasil, anualmente cerca de um milhão de viajantes opta pela modalidade, gerando um faturamento de US$ 70 milhões.“Com a ampliação do ecoturismo, chega também uma infraestrutura mais consolidada, preparada para atender demandas. E aumentam as fontes de renda para as comunidades locais e empreendedores que atuam no ramo.

O ecoturismo é uma das principais fontes de renda no bioma Pantanal. Diversas propriedades, inclusive, conseguem conciliar o turismo com a atividade pecuária. Porém, o aumento da atividade também pode trazer prejuízos ambientais, caso seja feito de forma desordenada”, explica Gustavo de Carvalho Figueiroa, biólogo e diretor de Comunicação e Engajamento do Instituto SOS Pantanal. 

Sobre o SOS Pantanal

Fundado em 2009, o SOS Pantanal é uma instituição de advocacy, sem fins lucrativos, que promove a conservação e o desenvolvimento sustentável do Pantanal por meio da gestão do conhecimento e a disseminação de informações do bioma para governantes, formadores de opinião, grandes empreendedores, fazendeiros e pequenos proprietários de terras da região, assim como para a população em geral.

Ao longo das últimas duas décadas, o Instituto SOS Pantanal tem diretamente impactado o ecoturismo ao promover iniciativas de preservação ambiental e desenvolvimento sustentável, a partir de quatro principais frentes de atuação:

  • A promoção de políticas públicas que facilitem o diálogo entre a sociedade e o público, de modo a gerar ações que beneficiem tanto o meio ambiente quanto o desenvolvimento econômico da região;
  • O combate a incêndios, por meio do programa Brigadas Pantaneiras, que estrutura operações incisivas contra queimadas naturais ou decorrentes de ações criminosas;
  • A produção de informações sobre o Pantanal, por meio de monitoramentos remotos e territoriais, agregando e divulgando conhecimentos relevantes sobre o bioma;
  • A restauração socioambiental, com ações desenvolvidas em áreas degradadas e em locais de segurança, com incentivo a pesquisas e projetos locais.Por meio de incentivos à profissionalização do ecoturismo, aliado a uma fiscalização mais efetiva e o consenso de boas práticas conjuntas entre os setores privado, público e terceiro setor, o SOS Pantanal tem contribuído para que o ecoturismo cada vez mais se apresente como um dos pilares do desenvolvimento sustentável do Pantanal.

“Entre outras linhas de atuação, incentivamos a produção de conhecimento sobre o bioma, no que diz respeito à divulgação e a promoção de iniciativas voltadas ao ecoturismo. Não produzimos os dados propriamente ditos, mas divulgamos e estimulamos a atividade através de eventos e em nossas mídias sociais”, esclarece Figueiroa. 

 

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

No Pantanal
Vereador pede instalação de hidrante para combate a incêndios em Forte Coimbra
Assistência
Abertas as inscrições para Casamento Civil Comunitário 2024 em Corumbá
50% + que 2023
Governo de MS libera R$ 72 milhões das emendas parlamentares de 2024
Paredão de fogo
Equipes atuam em cinco frentes de combate ao fogo no Pantanal
Economia
Conselho aprova 86 cartas consulta que pleiteiam R$ 175 milhões em financiamentos pelo FCO
Meio Ambiente
ONGs destacam importância do trabalho conjunto no combate à incêndios no Pantanal
Tempo
Quinta-feira tem chance de chuva em parte do estado, mas em Corumbá o calor continua
Meio Ambiente
Falta de navegabilidade já impacta atuação de combate ao fogo no Pantanal
Programação
Arraial do Banho de São João em Ladário acontece de 20 a 23 de junho
Estado
Aprovados no concurso público da Saúde de MS são convocados para posse

Mais Lidas

Queimadas
Fogo destrói ponte de madeira na Estrada Parque
Ladário
Incêndio atinge região da Apa Baía Negra
Queimada
Fogo cresce na região do Bracinho e brigada da Apa Baía Negra fica sob alerta
Fronteira
Operação conjunta apreende 2 toneladas de mercadorias irregulares, Ilhamas empalhadas e cocaína