Menu
quinta, 13 de junho de 2024
Andorinha - 76 anos - Junho 2024
Andorinha - 76 anos - Junho 2024
Geral

Quadrilha que furtava condomínios de luxo em Campo Grande e ostentava nas redes sociais é presa

13 setembro 2022 - 16h10Midiamax

Nesta terça-feira (13), 8 pessoas foram presas na Operação Patrimonium, em Campo Grande, acusadas de integrarem quadrilha que cometia furtos em condomínios de luxo da cidade. Quatro suspeitos já tinham sido presos em abril e chegaram a revelar que trabalhavam na construção civil dos condomínios, atuando como ‘observadores’ para o grupo.

De acordo com a Derf (Delegacia Especializada em Repressão a Roubos e Furtos), a operação prendeu os integrantes da associação criminosa que tinha como alvo os condomínios principalmente na área central da cidade. Dos presos, quatro eram da mesma família, sendo o alvo principal, a namorada, o cunhado e a sogra.

Ao todo 6 endereços foram alvos de cumprimento de mandados de busca e apreensão. Foram apreendidos celulares, documentos, dinheiro em espécie, veículos e objetos produtos de furtos cometidos contra as vítimas, bem como adquiridos com o proveito dos crimes.

Durante as investigações, a polícia identificou 6 furtos qualificados e uma tentativa de furto em diferentes condomínios de Campo Grande. As duas mulheres eram responsáveis por venderem os produtos furtados e pela lavagem de dinheiro.

Já os outros eram mentor e executores dos furtos. Dois dos alvos também acabaram presos em  por tentativa de furto à uma casa no Bairro Antônio Vendas no domingo (11). O oitavo indivíduo preso na operação era foragido da justiça e foi encontrado em um dos domicílios dos alvos.

Parte da quadrilha já tinha sido presa

Ainda conforme a Derf, parte da quadrilha tinha sido presa no fim de abril, quando vários objetos furtados foram recuperados. Alguns dos acusados atuavam como trabalhadores da construção civil dentro de condomínios como Terra Ville, Damha, Golden Gate, Vilas Park, Terras do Golfe, onde agiam como ‘observadores’ e, depois, praticavam os furtos nas residências.

 

Ao Poder Judiciário foram encaminhadas as provas de que os alvos da operação estavam usufruindo de bens, viagens, veículos e objetos de marcas renomadas, ‘ostentando’ nas redes sociais com dinheiro arrecadado dos furtos.

Para cada furto qualificado a legislação prevê pena de 2 a 8 anos de reclusão. Já por integrar associação criminosa a pena é de 1 a 3 anos de reclusão. Quatro Delegados e 30 agentes de Polícia Judiciária participaram da operação.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Capacitação
Qualifica Ladário está com inscrições abertas até 20 de junho
Novidade
Sorveteria de Caio Castro inaugura loja nesta sexta em Corumbá
Evento
Sábado tem Festival de Pipa em Ladário
Em até 9X
Ladário: prazo para incluir taxa do lixo na fatura de água encerra dia 14
Economia
Reunião aprovou prioridades e novas áreas de financiamento do FCO para 2025
Cidadania LGBTQIA+
Certidão de nascimento garante cidadania, direitos e renascimento de novas histórias
Viva a São João
Estão abertas as inscrições para concursos de Andores, Miniandores e Quadrilhas Juninas
Praça da Independência
Cerimônia cívico-militar comemora os 157 da Retomada de Corumbá
Edital
Sindicato convoca trabalhadores da J&F Mineração para Assembleia Geral
Economia
Em novo recorde para o mês, Junta Comercial registrou abertura de 960 empresas em maio

Mais Lidas

Infraestrutura
Moradores falam de melhor qualidade de vida após lajotamento de vias no Cravo Vermelho
Turismo
Consultoria vai facilitar certificação internacional para destinos e negócios de turismo em MS
Meio Ambiente
Câmara pede apoio técnico e logístico ao Governo Federal para combater queimadas no Pantanal
Meio Ambiente
Estudo alerta para escassez hídrica e aumento de mais de 1000% em incêndios no Pantanal