Menu
quinta, 23 de maio de 2024
Andorinha - Novos ônibus - agosto 2023
Andorinha - Novos Ônibus - Agosto 2023
Geral

Presídios de MS participam de campanha de prevenção ao Aedes aegypti

21 março 2016 - 15h01Noticias MS
O Ministério da Justiça, por meio do Departamento Penitenciário Nacional (Depen), e o Ministério da Saúde estão realizando a campanha com ações de combate ao mosquito Aedes aegypiti nas unidades prisionais de todo o País. Além da dengue, o mosquito é transmissor da febre chikungunya e do vírus Zika. A campanha foi um dos temas discutidos durante a “6ª Reunião do Depen e Secretários/Dirigentes do Sistema Penitenciário”, realizada nesta semana, em Brasília (DF). O evento contou com a participação do diretor-presidente da Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciário (Agepen), Ailton Stropa Garcia. Até o momento, conforme Stropa, não houve nenhum caso confirmado de dengue, zika ou chikungunya entre custodiados da Agepen. “Mas precisamos ficar atentos, e estamos tomando várias providências para que essas doenças não cheguem até os nossos presídios”, afirma, lembrando do excelente trabalho que a Secretaria de Estado de Saúde já vem realizando há alguns meses, envolvendo todos os orgãos do Estado e de várias providências também tomadas pela Secretaria de Justiça e Segurança Pública, o que já resultou em providências contra o mosquito em todas as unidades prisionais do Estado. Estão sendo doados pelo Depen 4 mil repelentes a estabelecimentos penitenciários de todos os estados e Distrito Federal. Na distribuição, será dada prioridade às unidades prisionais femininas ou mistas que abriguem gestantes. Serão distribuídos, ainda, à população carcerária, material informativo e cartilhas. Conforme a chefe da Divisão de Saúde da agência penitenciária, Maria de Lourdes Delgado, atualmente, em Mato Grosso do Sul, 29 internas estão gestantes, correspondendo a apenas 2,16% do total da massa carcerária feminina, que é de 1340 mulheres.   Ações De acordo com o diretor de Assistência Penitenciária da Agepen, Gilson de Assis Martins, várias ações dentro da campanha já estão sendo realizadas nas unidades prisionais do Estado. Segundo ele, estão sendo indicados pelas direções dos presídios servidores responsáveis por coordenar as ações de limpeza e manutenção, visando extinguir e evitar focos dos mosquitos da dengue. “Este trabalho é acompanhado também pelas coordenadorias de vetores das secretarias municipais de Saúde”, ressalta Gilson. Várias inspeções já foram realizadas, informa o dirigente, envolvendo a retirada de depósitos inservíveis, aplicação de inseticida, tratamento de caixas de passagem de esgoto, limpeza de calhas etc. A campanha foi um dos temas discutidos durante a “6ª Reunião do Depen e Secretários/Dirigentes do Sistema Penitenciário”, realizada esta semana, em Brasília (DF). O evento contou com a participação do diretor-presidente da Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciário (Agepen), Ailton Stropa Garcia. Até o momento, conforme Stropa, não houve nenhum caso confirmado de dengue, zika ou chikungunya entre custodiados da Agepen, tanto do sexo feminino quanto do masculino. “Mas precisamos ficar atentos, e estamos tomando várias providências para que essas doenças não cheguem até os nossos presídios”, afirma. Estão sendo doados pelo Depen 4 mil repelentes a estabelecimentos penitenciários de todos os estados e Distrito Federal. Na distribuição, será dada prioridade às unidades prisionais femininas ou mistas que abriguem gestantes. Serão distribuídos, ainda, à população carcerária, material informativo e cartilhas. Conforme a chefe da Divisão de Saúde da agência penitenciária, Maria de Lourdes Delgado, atualmente, em Mato Grosso do Sul, 29 internas estão gestantes, correspondendo a apenas 2,16% do total da massa carcerária feminina, que é de 1340 mulheres.   Ações De acordo com o diretor de Assistência Penitenciária da Agepen, Gilson de Assis Martins, várias ações dentro da campanha já estão sendo realizadas nas unidades prisionais do Estado. Segundo ele, estão sendo indicados pelas direções dos presídios servidores responsáveis por coordenar as ações de limpeza e manutenção, visando extinguir e evitar focos dos mosquitos da dengue. “Este trabalho é acompanhado também pelas coordenadorias de vetores das secretarias municipais de Saúde”, ressalta Gilson. Várias inspeções já foram realizadas, informa o dirigente, envolvendo a retirada de depósitos inservíveis, aplicação de inseticida, tratamento de caixas de passagem de esgoto e limpeza de calhas, entre outros.  

Deixe seu Comentário

Leia Também

Reconhecimento
Investigadora da Civil de Corumbá é homenageada pelo combate à crueldade contra animais
Vigilância Sanitária
Governo cria "MS Vacina Pet" e destina R$ 1,9 milhão contra a raiva
Em Dourados
PF mira em quadrilha de MS que transportava drogas em tanques de combustível
Sob Alerta
Inmet divulga alerta de perigo para o sul do país
Nova Data
Concurso Unificado será em 18 de agosto, confirma Ministério da Gestão
Variedades
Tipos de apostas no futebol
Saúde
Corumbá abre duas unidades de saúde para multivacinação no sábado, 25 de maio
Agenda
Corumbá promove Conferência Municipal da Cidade nos dias 26 e 27 de junho
Edital
Termina hoje o prazo de inscrição para festeiro receber apoio financeiro da Prefeitura
Polícia Civil
Computadores furtados da Secretaria de Infraestrutura são recuperados

Mais Lidas

Agenda Cultural
Evento de som automotivo arrecada doações para RS e Instituto Novo Olhar
Tráfico de Drogas
Mochila abandonada em ônibus é apreendida com 8,7 kg de Skunk
Oportunidade
IHP abre vagas para jovens aprendizes com idades entre 16 e 20 anos
Gaeco
Operação apura desvio de R$ 6 milhões e 1.200 saques para driblar fiscalização no Futebol