Menu
quarta, 29 de maio de 2024
Andorinha - Novos ônibus - agosto 2023
Andorinha - Novos Ônibus - Agosto 2023
Geral

Pesquisador da Embrapa considera a Crotalária ineficiente no combate ao Aedes aegypit

22 fevereiro 2016 - 10h52Gesiane Medeiros
Em meio a uma busca incansável por medidas e dicas de combate ao mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue, chikungunya e a ainda mais preocupante zika vírus, surge uma planta chamada Crotalária. Trata-se de uma leguminosa que atualmente está sendo distribuída em mudas e sementes por diversos órgãos públicos e privados, na intenção de que ela seja útil e eficiente no combate ao transmissor das doenças tão temidas atualmente. O Capital do Pantanal conversou com o pesquisador da Embrapa Pantanal, Alberto Feiden, para entender se a planta pode mesmo ser considerada uma potente arma como está sendo comentada. Segundo o pesquisador, a eficiência da Crotalária “é uma meia verdade que virou uma completa mentira”. Alberto Feiden, explica que a planta cresce pouco mais de 60 centímetros e leva em média 100 dias para florescer e começar o combate ao transmissor. De fato, a planta atrai a libélula, que é uma predadora natural do mosquito, porém os pontos negativos superam este único positivo. “Discordo da eficiência divulgada em relação ao uso da Crotalária no combate ao Aedes, a começar pelo fato da planta depender do complemente do dia para florescer, esse tempo coincide com o período de maior infestação do mosquito, outros pontos é que ela atrai diversos insetos, não apenas a libélula, que por sua vez não é predadora exclusivamente do temido Aedes aegypit, a libélula vai se alimentar de todos os mosquitos que encontrar pela sua frente. Porém o ponto que considero mais negativo, é que a reprodução da libélula se faz da mesma forma que a do transmissor da dengue, na água parada, porém a diferença é que ela necessita de uma quantidade maior de água, além do fato da fêmea do Aedes ser capaz de por muitos mais ovos que uma libélula, ou seja, a arma de combate é paradoxal, já que devo ter as mesmas condições de reprodução para o inimigo e o combatente”, explica o pesquisador. Alberto intensifica seus esclarecimentos afirmando que a população não deve se agarrar a essa solução e deixar de cuidar da higiene de sua casa e quintal, “essa sim é a melhor forma de combater essas terríveis doenças”.   Medidas para impedir a proliferação do mosquito Aedes aegypti Não deixe água acumulada, na menor quantidade que seja, o mosquito é capaz de se reproduzir em pequenas quantidades de água e nos lugares mais improváveis. Vire as garrafas; Cubra as caixas d’água; Coloque os pneus em local onde não pegue chuva; Use água sanitária pura uma vez por semana nos ralos; Coloque telas nos ralos e use repelente, principalmente as gestantes. A recomendação é que vistorie o interior e o quintal das residências e imóveis comerciais todos os dias, principalmente em tempo de chuva.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Embrapa
Campanha Anual de Promoção do Alimento Orgânico chega a sua 20ª edição no Pantanal
Atrativo Turístico
Vereador pede revitalização do Eco Parque Cacimba da Saúde
Bolsistas
IFMS prorroga inscrições para bolsas do Mulheres Mil
Serviço Necessário
Vereador pede atenção especial para recuperar sistema de energia no Taquaral
Solidariedade
Sistema Fiems envia carretas de eletrotécnica e marcenaria para atender desabrigados no RS
Vagas para MS
Divulgado gabarito preliminar do concurso da Caixa
Operação Cartão Vermelho
Cezário pede licença do cargo de presidente da federação
Pavimentação
Obras de infraestrutura avançam em ruas do bairro Jardim dos Estados
Recurso Federal
Luciano Costa busca emenda para atender programas sociais do Moinho Cultural
Obrigatório
Prazo para implantação de QR Code para identificação de táxis termina dia 21 de junho

Mais Lidas

Educação
Inscrições no IFMS para qualificação profissional a distância vão até domingo, 2 de junho
Esporte
Primeira etapa do Circuito Funec de Corrida Rua reúne mais de 400 participantes
+ de 7 quilos
Bolivianas são presas transportando pasta base para São Paulo
Na Câmara
Aprovado Projeto que institui 30 horas de jornada a profissionais de enfermagem em Corumbá