Menu
terça, 21 de maio de 2024
Câmara de Corumbá - Maio Laranja 2024
Andorinha - Novos Ônibus - Agosto 2023
Geral

Pescado apreendido foi superior ao da Operação Semana Santa passada

28 março 2016 - 12h54Gesiane Medeiros
A operação Semana Santa realizada pela Polícia Militar Ambiental de Mato Grosso do Sul, teve início na última quarta-feira (23) e encerrou às 8 horas desta segunda (28), contou com efetivo de 320 militares, nos principais Rios do Estado. Ao todo, as equipes realizaram 17 autuações, aplicaram R$ 18,3 mil reais em multas e apreenderam redes de pesca com até quatro quilômetros. Durante os períodos de feriado prolongado, a prática da pesca predatória sofre aumento, por isso, operações com foco específico de combate a prática proibida são realizadas. O Estado recebe turistas de várias partes do país e a tradição religiosa de comer peixe durante a Semana Santa impulsiona a pesca predatória em alguns Rios. No mesmo período também foram realizadas barreiras de combate a crimes ambientais como desmatamento, poluição, extração ilegal de madeira, carvoarias irregulares e outros. Equipes itinerantes da Capital fiscalizaram Rios e auxiliaram as equipes das unidades de interior. Os Rios que receberam fiscalização estratégica foram: Paraguai, Anhanduí, Pardo, Aquidauana, Miranda, Piquiri, Correntes e Taquari. A operação somou 17 autuações, onde dois foram presos por tráfico de drogas, um por desmatamento ilegal e um poluição, devido a lançamento de esgotos de forma ilegal. As demais 14 infrações foram relativas a pesca ilegal, três pessoas foram presas por pesca predatória e 12 foram autuadas por pescar sem licença, o que não é crime, mas gera infração administrativa.Os números de autuados foram menores à operação passada (17 e 26 na passada). Porém, a quantidade de pescado apreendida foi mais do que o triplo, foram 163 kg, contra 50 kg. Do total apreendido, 121 kg estavam presos a petrechos ilegais como redes de pesca, anzóis de galho e espinheis e, por estarem vivos, foram soltos nos rios. Nesta operação, as apreensões de redes de pesca se destacaram, foram 38 redes no total, enquanto na operação passada foram 21. Houveram redes com até quatro quilômetros de extensão. As multas aplicadas somaram um montante relativamente inferior a operação de 2015. Foram R$ 18.320,00 nesta contra R$ 22.280,00 na operação passada. A PMA esclarece que as multas variam de acordo com as ocorrências, inflações ambientais como poluição, desmatamento, extração ilegal de madeira, incêndio e transporte ilegal de produto perigoso preveem multas mais altas do que a pesca predatória, por exemplo. Com relação aos crimes de natureza comum, foram presos dois traficantes transportando 24,4 kg de cocaína.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Agenda Cultural
Evento de som automotivo arrecada doações para RS e Instituto Novo Olhar
Destaque
Músico sul-mato-grossense é selecionado para intercâmbio na Orquestra Sinfônica Brasileira
Em pauta
Piso salarial e jornada de trabalho dos profissionais da enfermagem são discutidos na Câmara
Desdobramentos
Presidente da Federação é preso após quase 28 anos no comando do futebol em MS
Educação
Apresentações culturais e palestra marcam abertura da Semana do Brincar em Corumbá
Desdobramentos
Sobe para 161 número de mortes por chuvas no Rio Grande do Sul
Desdobramentos
Fornecedora de uniforme de times de MS está entre alvos em operação do Gaeco
Centro da Cidade
Vereador pede providências para recuperação da iluminação do Jardim da Independência
Gaeco
Operação apura desvio de R$ 6 milhões e 1.200 saques para driblar fiscalização no Futebol
Investigação
Padre de MS é denunciado por relacionar bruxaria e satanismo à tragédia no RS

Mais Lidas

Ia para São Paulo
Passageiro é preso no aeroporto de Corumbá com 125 cápsulas de cocaína no estômago
Manifestação
Setor de transporte protesta por falta de combustível e ameaça fechar a fronteira
Assistência Social
Caixa paga Bolsa Família a beneficiários com NIS de final 2
Oportunidade
MS abre semana com 4,1 mil vagas de emprego em diferentes setores