Menu
sexta, 01 de março de 2024
Andorinha - Novos ônibus - agosto 2023
Andorinha - Novos Ônibus - Agosto 2023
Geral

Para proteger gestantes contra Aedes, MS vai distribuir repelentes e visitar casas

23 julho 2018 - 08h58Midiamax

O governador do Estado, Reinaldo Azambuja (PSDB), sancionou um projeto de lei nesta segunda-feira (23) que institui medidas protetivas para gestantes contra a transmissão de Dengue, Chikungunya e Zika Vírus. 

Uma das principais medidas do projeto é a disponibilização de repelentes a base de Icaridina, conforme recomendação da OMS (Organização Mundial da Saúde), de forma gratuita, em toda a rede pública de saúde do Estado.

Outra medida da proposta é que se faça um levantamento das gestantes em pré e pós-natal no Estado, que devem receber visitas mensais de agentes comunitários de saúde em suas casas para combate aos focos do mosquito Aedes Aegypti, até o final da primeira infância.

Conforme o projeto, os estabelecimentos públicos e particulares de assistência a saúde deverão incluir em seus programas pré-natais informações às gestantes sobre os riscos das doenças transmitidas pelo mosquito Aedes Aegypti.

As gestantes também deverão ser informadas no pré-natal sobre a microcefalia e suas consequências, conforme os protocolos do Ministério da Saúde. Gestantes

O projeto ainda contempla a atualização das vacinas na rede estadual conforme o Programa Nacional de Imunização; a orientação da gestante sobre o uso de medicamentos teratogênicos; e informações sobre métodos de proteção contra picadas de insetos.

Por fim, por meio do projeto, o governo do Estado deve ainda capacitar servidores de saúde para o diagnóstico, vigilância e resposta às ocorrências de Dengue, Chikungunya, Zika e microcefalia na rede estadual.

O projeto de lei foi proposto pelo presidente da Assembleia Legislativa, o deputado estadual Junior Mochi (MDB), ainda em março deste ano. A proposta tramitou na Casa até julho deste ano, quando foi aprovada em plenário.

‘Explosão’ de casos

Como justificativa para proposta do projeto, o deputado Mochi apresentou números relativos à “explosão” de casos de contaminação por Zika, Dengue e Chikungunya em Campo Grande desde o ano de 2016.

Naquele ano, o município enfrentou 15 novos casos dessas doenças por dia. Desde então, segundo o parlamentar, houve um crescimento de mais 600% desses números, chegando à marca de 113 casos por dia na Capital.

Um novo caso das doenças surgiria em Campo Grande a cada 15 minutos, segundo o parlamentar, com um aumento de 55% no número de atendimentos na rede municipal da saúde. Os dados teriam sido oferecidos pela Sesau (Secretaria Municipal de Saúde).

Deixe seu Comentário

Leia Também

Bombeiros
Acidentes de trânsito fazem quatro vítimas nesta manhã em Corumbá
Plantão
Tucano é resgatado em casa do bairro Cervejaria
Valorização
Vem aí Super Chef Merendeira; Ladário participa da competição
Destaque
Mato Grosso do Sul dá primeiro passo para inserir inovação em compras públicas
Contra a Dengue
Sábado é Dia D de combate ao mosquito no Alta Floresta II em Ladário
Eventos
Programação do mês da mulher começa na segunda-feira, 04 de março
Medidas
TSE proíbe uso de inteligência artificial para criar e propagar conteúdos falsos nas eleições
27 vagas
Inscrições para concurso de professores da UFMS seguem abertas até 7 de março
Em discussão
Trabalhadores de aplicativo devem ter ganho mínimo e cobertura da previdência
Sorte Grande
Nota Premiada sorteia R$ 300 mil nesta quinta-feira em Mato Grosso do Sul

Mais Lidas

Serviço Público
Santa Casa anuncia fechamento do setor psiquiátrico em Corumbá
10 vagas em MS
Inscrições estão abertas para concurso da Caixa com três vagas em Corumbá
Confirmado
Dupla sertaneja Henrique e Diego é a principal atração cultural do FIPEC 2024
Ensino
Curso "Me salve!" está com matrícula grátis e 1ª mensalidade para 10 de março