Menu
sexta, 21 de junho de 2024
Governo - Detran MS
Andorinha - 76 anos - Junho 2024
Geral

Oposição não descarta possibilidade de Marquinhos depor na Câmara sobre casos de assédio sexual

27 setembro 2022 - 13h16Midiamax

Vereadores da oposição em Campo Grande não descartam a possibilidade do ex-prefeito da Capital e candidato ao Governo de Mato Grosso do Sul, Marquinhos Trad (PSD), prestar esclarecimentos na  sobre casos de assédio sexual os quais ele é investigado pela Polícia Civil.

O candidato do PSD foi intimado para prestar depoimento na Deam (Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher) na quarta-feira (21), sobre os casos em que é suspeito de assédio sexual. Momentos antes, a defesa entregou documento na delegacia, pedindo o adiamento da oitiva para depois da eleição, que acontece em 2 de outubro. O pedido foi aceito pela Justiça.

Alguns vereadores da Câmara Municipal pedem esclarecimentos de Marquinhos na Casa de Leis, mas outros parlamentares explicam que por ele não ser mais prefeito o caso agora tem que ser investigado pela polícia.

Clodoilson Pires (Podemos), diz ser favorável a possível prestação de contas do ex- Chefe do Executivo na Câmara.

“Eu acredito que seria bom para ele, já que se diz inocente. Os vereadores que não são da base do Marquinhos quer que ele venha, mas como ele tem apoio da maioria, seria algo muito difícil de acontecer”, disse.

O vereador  (PDT), diz que não vai medir esforços para o ex-prefeito ir à Câmara, ressaltando que ‘quem não deve, não teme’.

“Ele está fugindo da polícia. Quem não deve não teme. Se não esconde nada da sociedade, não precisa ter medo de depor”.

Zé da Farmácia, do Podemos, também é favorável a presença de Marquinhos na Casa de Leis. “Seria bom recebe-lo para esclarecer muitos assunto para a sociedade saber o que é fato e o que é fake”, destacou.

O vereador Ronilson Guerreiro (Podemos), se limitou a comentar sobre o assunto, adiantando que agora ‘Marquinhos é caso da Justiça’.

“Aqui é uma Casa Legislativa e o Marquinhos não é mais prefeito da cidade. A Justiça tem que investigar e já está sendo investigado. Temos que deixar a Justiça cuidar disso”.

O vereador Junior Coringa (PSD), mesmo partido do candidato investigado, adiantou que chegou a conversar com Marquinhos, destacando que ele vai prestar esclarecimentos à polícia, mas não sabe o dia.

“O Marquinhos já foi acionado pela polícia, conversei com ele e disse que quer se defender, mas não sei quando ele vai depor, não comentou sobre datas comigo”, disse.

O Presidente da Casa de Leis, Carlos Augusto Borges, mais conhecido como Carlão (PSB), também diz que o caso envolvendo o Marquinhos já não tem mais envolvimento com a Câmara.

“A Câmara tem que fazer isso com a prefeita –Adriane Lopes (Patriota)- e não com o prefeito que já renunciou ao cargo. Se ele é inocente ou não, vai ter que responder na Justiça”.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Orientação
Fumaça provocada pelas queimadas no Pantanal exige cuidados extras com a saúde
Flagrante
Dupla é presa com quase 4 kg de maconha em ônibus que seguia para Capital
IBGE
Empresas formadas apenas por sócios e proprietários eram maioria e pagavam menores salários em 2022
Reunião
Brigada Voluntária define plano de ação em caso de incêndio na Apa Baía Negra
Tradição
Banho de São João começa hoje com Concurso de Andores e show de Thaeme e Thiago
Frota
Saúde de Corumbá ganha reforço com nova ambulância UTI Móvel
Oportunidade
Senai e Governo de MS lançam edital de R$ 10 milhões para iniciativas de bioeconomia na indústria
Utilidade Pública
Paço Municipal terá atendimento ao público em horário diferenciado na segunda-feira, dia 24
Cidadania
Programa Povo das Águas atende ribeirinhos do Taquari a partir deste domingo
Operação
Grupo Técnico inicia trabalho de resgate à animais atingidos pelo fogo no Pantanal

Mais Lidas

Cultura Pantaneira
Concurso de Andores e show de Thaeme e Thiago abre Banho de São João nesta sexta (21)
Paredão de fogo
Equipes atuam em cinco frentes de combate ao fogo no Pantanal
Em Dourados
Justiça do Trabalho de MS determina redução de jornada para trabalhador acompanhar filho com TEA
O caso é de Dourados e a redução da jornada de trabalho é de 50%, sem compensação de horas ou perda salarial para o trabalhador
Assistência
Abertas as inscrições para Casamento Civil Comunitário 2024 em Corumbá