Menu
quarta, 03 de março de 2021
Governo do Estado - Campanha de Março
Geral

Operação Carnaval da PMA prende 10 por pesca ilegal e apreende 500 kg de pescado

10 fevereiro 2016 - 13h52Gesiane Medeiros
Operação Carnaval realizada pela Polícia Militar Ambiental foi encerrada às 8h desta quarta-feira, 10. A operação teve como foco principal a prevenção e repressão à pesca predatória, contou com reforço de efetivo nas cidades com tradição carnavalesca, que coincidentemente também possuem rios piscosos e tradição pesqueira. Os principais reforços foram para Corumbá e Porto Murtinho, devido ao rio Paraguai estar permitida a pesca na modalidade pesque-solte no seu leito. Além da pesca, as 25 Subunidades desenvolveram também barreiras e combate e prevenção ao desmatamento e carvoarias irregulares, exploração ilegal de madeira, com visitas às propriedades rurais, bem como combate aos crimes contra a fauna, poluição e outros crimes ambientais.Ao todo foram autuadas 17 pessoas, quatro a mais à operação passada, quando foram 13 autuados. Foram 10 presos por pesca predatória e seis prisões na operação passada. Foram três autuados por pescar sem licença e nenhuma na operação anterior. A pesca sem licença não é crime ambiental, mas somente infração administrativa. Vale ressaltar que a pesca estava aberta na modalidade pesque-solte no leito do rio Paraguai e, por isso, autuação por falta de licença durante a piracema. O número de autos de infração foi excelente, embora dentro da média, tendo em vista que nos anos em que os números foram mais altos, a pesca estava aberta, e por esta razão, mais autuações. Por exemplo, em 2012, só em autuações por falta de licença de pesca foram 12. A quantidade de pescado apreendida foi de 498 Kg, enquanto na operação passada foram apreendidos apenas 31 kg. A diferença ocorreu em razão de duas apreensões no município de Corumbá, sendo um pescador preso com 340 kg e outro com 113 kg. Foi a maior apreensão de pescado desde 2007, quando foram separados números da Operação Carnaval. A apreensão foi maior ao que se apreendeu nos três meses de piracema, quando foram apreendidos 454 kg. A quantidade de petrechos de pesca proibidos teve como destaque a quantidade de redes. Foram 31, medindo 2,2 km, a maior desde 2007 e o dobro da operação passada, com 15. A quantidade de anzóis de galho também foi a maior de todas as operações, desde 2007, quando os números começaram a ser separados. 434 anzóis, contra 253 na operação passada. As ocorrências relativas à pesca predominaram (13), porém, outros crimes foram combatidos e prevenidos. Um fazendeiro foi autuado por desmatamento de 5 hectares e um foi autuado por armazenamento ilegal de madeira. Uma pessoa foi autuada por transporte ilegal de aroeira e outra por construir em área de preservação permanente (APP). Os valores de multas aplicados foram de R$30.300,00, contra R$ 103.000,00 na operação passada. A diferença foi em razão de apreensão de carvão e de autuação por um desmatamento de 57 hectares em área protegida (APP) que preveem multas maiores, às ocorrências desta operação, que predominaram os flagrantes de pesca predatória. O resultado da fiscalização intensificada é fundamental, não só por prender quem desrespeita a lei, mas também, por dissuadir os que desrespeitariam, caso a PMA não fosse vista. Não só com relação à pesca, mas a prevenção também se mostrou importante em relação a outros tipos de crimes. A PMA retirou dos rios 2,2 km de redes de pesca e 435 anzóis de galho, petrechos com alta capacidade de dizimar cardumes. Especialmente quando a pesca está proibida, algumas pessoas armam esses petrechos e voltam pela madrugada somente para conferir, o que torna difícil a prisão desses infratores. Dessa forma, a prevenção ao se retirar esses petrechos, evita a depredação dos cardumes, principalmente neste período reprodutivo.   Números das Operações Carnaval de 2007 a 2016
AUTUAÇÕES 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013 2014 2015 2016
AI (SEMA) 17 22 20 26 10 33 17 31 13 17
Pescado apreendido (Kg) 08 13 57 282 441 91 30 44 31 498
Redes de pesca 26 7 15 21 13 23 16 18 15 31
Tarrafas 10 1 2 08 4 6 5 3 3 2
Espinhéis 01 3 0 02 1 3 2 4 2 1
Anzóis de galho 158 170 70 141 112 187 195 325 253 435
Boias 31 - 24 11 12 17 - 0 0 2
Molinetes/Carretilhas 13 24 42 8 3 48 11 22 7 8
Caniços 06 3 17 2 - 5 2 2 1 2
Caixa de pesca 00 5 0 - - 1 - 0 0 0
Motor de Popa 03 3 1 4 1 5 1 11 3 6
Barcos 03 3 1 3 1 5 1 10 3 6
Arbaletes - - - - - - - - - 2
Canoa - - - 1 - - - 0 0 1
Lancha - 1 0 1 1 - - 1 0 0
Armadilha de Pesca (covo) 02 6 0 - - - - 0 0 0
Linhadas de mão - 7 0 - - 2 4 0 2 0
Caixa isotérmica/frízer - 1 1 1 1 1 - 1 0 5
Iscas vivas - - - 159 - 400 - 0 0 0
Fisga 02 - 0 - - 1 1 1 0 0
Tanque Combustível 00 - 0 1 1 5 1 10 3 6
Lenha (m³) 12 - 0 - - - - 0 40 0
Carvão nativo (m³) 259,5 - 0 122 - 3 - 0 80 0
Carvoaria (interditadas) 04 - 0 05 - 1 - 0 1 0
Madeira serrada (m³) - - 1 - - 26 50 0 0 0
Lascas de aroeira (un) - - 116 - - -
        Informações cedidas pela assessoria de comunicação da PMA

Deixe seu Comentário

Leia Também

COMBATE A PANDEMIA
Vereadores buscam emendas parlamentares para aquisição de vacinas contra a Covid-19
ADMINISTRAÇÃO
Projeto de Lei prevê criação de Subprefeituras no Município de Corumbá
BOLETIM COVID
Covid-19: MS tem mais de 183 mil casos confirmados e 3,3 mil mortes
DESENVOLVIMENTO
Cinco mil pessoas que vivem em áreas remotas do Pantanal terão energia elétrica
SEM MÉDICO PERITO
INSS de Corumbá não realiza perícia médica e complica vida de trabalhadores
POLICIAL
Após briga mulheres são presas no bairro Aeroporto
POLICIAL
PM prende irmãs após briga no Popular Nova
DESAPARECIDO
Trabalhador de fazenda na Região do Paiaguás está desaparecido
ECONOMIA
Preços de produtos industrializados sobem 3,36% em janeiro
HABITAÇÃO
Durante sessão, vereador pede à Prefeitura, regularização fundiária no Jatobazinho

Mais Lidas

OPORTUNIDADE
IEL oferece vagas de estágio para Corumbá e mais 5 cidades do Estado
POLICIAL
PM prende irmãs após briga no Popular Nova
POLICIAL
Após briga mulheres são presas no bairro Aeroporto
EDUCAÇÃO
Vereadores aprovam projeto do Executivo que atende professor temporário na Reme