Menu
sábado, 24 de julho de 2021
Expresso Mato Grosso - Junho
Expresso Mato Grosso - Promoção de Junho
Geral

Novo conflito entre indígenas e fazendeiros gera clima de tensão em Caarapó

27 agosto 2018 - 10h08Midiamax

Uma fazenda que fica na Terra Indígena Dourados-Amambaipegua I, área indígena reconhecida pela Funai (Fundação Nacional do Índio), foi palco de conflito entre indígenas e fazendeiros na manhã do domingo (26), em Caarapó, a cerca de 280 km da Capital.

De acordo com o Cimi (Conselho Missionário Indigenista), o conflito, que foi marcado pela presença de forte aparato policial, teria sido motivado pelo desaparecimento de um indígena, fato atribuído por lideranças a forças policiais e milicianas.

Informações preliminares apontam que cerca de 100 indígenas da etnia Guarani Kaiowá teriam expulsado funcionários da sede da fazenda Santa Maria, que fica no complexo Dourados-Amambaipegua, e feito seis deles reféns, posteriormente libertados.

Todavia, as lideranças indígenas negam que tenham aprisionado funcionários durante o conflito. Em função disso, solicitaram presença de um representante da Funai de Dourados no local. A chefe de coordenação técnica da Funai em Caarapó encontra-se na retomada, mas a reportagem não conseguiu estabelecer contato com ela.

Por telefone, o Cimi destacou que acompanha o conflito na área de retomada e que busca levantar informações acerca do fato. “O que sabemos até o momento é que a presença da Funai foi solicitada após surgirem as afirmações de que os indígenas teriam sequestrado pessoas. Vamos aguardar até ter uma posição mais clara”, destacou um emissário do Cimi.

Terra de conflitos

Com cerca de 56 mil hectares e pelo menos 5 mil indígenas de etnia Guarani Kaiowá em diversas aldeias, a Terra Indígena Dourados-Amambaipegua I é alvo de conflitos sangrentos, intensificados desde que a área passou a ser reconhecida como terra indígena tradicional e passou a integrar o Relatório Circunstanciado de Identificação e Delimitação, da Funai, em maio de 2016.

Desde então, indígenas passaram a pressionar pela demarcação e homologação das terras, onde também há várias fazendas. A partir de então, conflitos se intensificaram, o mais grave deles em junho de 2016, episódio conhecido como “Massacre de Caarapó”.

Na ocasião, o agente de saúde e indígena Guarani Kaiowá Clodiodi Aquileu Rodrigues de Souza foi assassinado – cerca de 40 caminhonetes, com o auxílio de três pás carregadeiras e mais de 100 pessoas, muitas delas, armadas, retiraram à força um grupo de aproximadamente 40 índios da propriedade ocupada, no caso, a fazenda Yvu.

Além do agente de saúde Clodiodi, outras oito pessoas ficaram feridas. Cinco fazendeiros da região, acusados de envolvimento no massacre, chegaram a ter prisão preventiva decretada pelo Tribunal Regional Federal (TRF) da 1ª Região e Superior Tribunal de Justiça (STJ). Após habeas corpus, a 1ª Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu pelo retorno dos fazendeiros à cadeia, em setembro de 2017.

Todavia, o TRF-3 (Tribunal Regional Federal da 3ª Região) concedeu, em novembro, novo habeas corpus aos fazendeiros investigados – isso após terem, em 2 de outubro de 2017, pedido de liberdade provisória negado.

Reintegração de posse

Em abril deste ano, a Funai confirmou ordem da Justiça Federal de Dourados para proceder com reintegração de posse de fazendas localizadas na retomada, onde há dois acampamentos indígenas. A informação causou comoção nas comunidades, que prometeram resistir, mas temiam conflitos violentos, aos moldes do que vitimou Clodiodi de Souza dois anos antes.

Em função disso, a Funai pediu ao STF (Supremo Tribunal Federal), em regime de urgência, a suspensão da decisão liminar que permitia o despejo de dois acampamentos da etnia Guarani Kaiowá. A presidente do STF, ministra Carmen Lúcia, atendeu o pedido e suspendeu a reintegração.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Seguiriam para Bolívia
Dois veículos que seriam atravessados para Bolívia são recuperados
Mais tempo
Exame toxicológico na emissão de CNH tem prazo ampliado para utilização do laudo
Empreendedorismo
Cinco erros que o empresário deve evitar no Marketing e Vendas
Imunização
Sábado tem vacinação contra Covid até 12h no drive do Poliesportivo
Investigaçã
Famosos em MS, grupos de venda estão 'recheados' de produtos roubados
Saúde
Anvisa suspende estudos clínicos da Covaxin no Brasil
Sorte
Mega-Sena pode pagar R$ 7 milhões no sorteio deste sábado
Cidade Tranquila
Operação conjunta combate crimes fronteiriços em Corumbá e Ladário
Tempo
Ar seco e quente pode marcar o sábado em Mato Grosso do Sul
Acidente
Motociclista fratura clavícula após perder controle em lombada

Mais Lidas

Sem contrato
Santa Casa de Corumbá perde serviço de Urologia
Investigação
Caso Maria Stella Coimbra: jovem teria fotografado documento do suposto estuprador
Acidente
Motociclista fratura clavícula após perder controle em lombada
Município
Decreto prorroga por mais 14 dias medidas para diminuir contaminação pela Covid-19