Menu
domingo, 09 de maio de 2021
Andorinha - Maio
Geral

MS registra aumento de 45,3% dos casos de HIV

20 agosto 2018 - 08h03Kamilla Marques (Com informações da assessoria de comunicação)

Dados do Sistema de Informação de Agravos de Notificação (SINAN), mostram que Mato Grosso do Sul notificou em 2017, aumento de 45,3% no número de casos de HIV/Aids em comparação a 2016, e também uma redução de 32,3% na quantidade de óbitos.

O presidente do SIMS (Sociedade de Infectologia do Mato Grosso do Sul), Bruno Filardi ressalta que estes dados são espelho de campanhas de incentivo ao diagnóstico, orientações do CFM, disponibilização de testes rápidos nas unidades de saúde, tratamento e acompanhamento efetivo dos pacientes, além de capacitação dos profissionais de saúde. Ele informa também que a última atualização do protocolo terapêutico aconteceu em 2017 com incorporação do Dolutegravir, uma medicação muito efetiva e com poucos efeitos colaterais.

“A prevenção é sempre o melhor caminho e vai desde uso frequente de preservativos em todas as relações sexuais, acesso a PEP e PREP, exames específicos regulares a fim de diagnóstico e tratamento precoces. Lembrando que estes recursos terapêuticos estão disponíveis gratuitamente no SUS e passam frequentemente por atualizações e incorporação de novas medicações, sendo assim o médico deve estar em constante estudo para oferecer o que há de melhor aos pacientes”.

Este e outros assuntos serão abordados durante o II Congresso de Infectologia do Centro-Oeste. O evento acontece nos dias 30 de agosto e 01 de setembro em Campo Grande/MS, e tem como objetivo elevar ainda mais o patamar científico dos profissionais de saúde debatendo diversos temas, entre eles: HIV/Aids.

”Eventos como este tem o propósito de promover a troca de experiências entre toda a sociedade médica e demais profissionais da saúde, propiciando um rico canal de debate científico, possibilitando assim, a atualização de todos os presentes que consequentemente levarão um atendimento cada vez melhor para os pacientes”. Declarou.

Durante o congresso serão abordadas as atualizações de protocolos e diretrizes do Ministério da Saúde, prevenção da transmissão vertical do HIV, profilaxias pós exposição (PEP) e pré exposição (PREP) ao HIV, direito reprodutivo em casais sorodiferentes, e ISTs na era da PREP e discussão sobre transmissibilidade do HIV em pacientes em tratamento regular (indetectável=intransmissível?).
Filardi enfatiza que apesar do HIV de ser uma infecção crônica que pode ser controlada com o uso das medicações antiretrivirais, pode causar Aids, uma doença grave e que pode matar se não tratada é acompanhada corretamente.

Deixe seu Comentário

Leia Também

POLICIAL
Pedestre é atropelado por caminhonete, arremessado e corpo encontrado 1h depois em matagal
Várias testemunhas procuraram corpo por cerca de uma hora
SAÚDE
Cruz Vermelha Internacional completa hoje 158 anos
POLICIAL
Idoso de 86 anos morre após ser atropelado e arrastado em Campo Grande
INTERNACIONAL
Pfizer deve produzir 4 bilhões de doses de vacina contra covid em 2022
GERAL
Sábado é o último dia para matrícula para aprovados da UEMS da 4ª convocação
POLICIAL
Polícia Militar Ambiental resgata tucano atropelado em rodovia
SAÚDE
Centro de Atendimento à Covid-19 está funcionando em novo endereço
GERAL
Procon divulga pesquisa de preços com opções de presentes para o Dia das Mães
GERAL
Pequenos negócios são responsáveis por quase 70% dos empregos gerados em março em MS
GERAL
Senac Corumbá oferece opções de cursos nas áreas de beleza e saúde

Mais Lidas

GERAL
Senac Corumbá oferece opções de cursos nas áreas de beleza e saúde
POLICIAL
Pedestre é atropelado por caminhonete, arremessado e corpo encontrado 1h depois em matagal
POLICIAL
Idoso de 86 anos morre após ser atropelado e arrastado em Campo Grande
CIÊNCIA E TECNOLOGIA
Pesquisadores do Estado desenvolvem gel cicatrizante à base de planta nativa