Menu
sábado, 18 de setembro de 2021
Expresso Mato Grosso - Junho
Geral

MPE pede bloqueio de R$ 1,342 milhão de dois oficiais da PM

27 novembro 2020 - 10h49O Jacaré

O Ministério Público Estadual pediu, em ação por improbidade administrativa, o bloqueio de R$ 1,342 milhão de dois oficiais da Polícia Militar condenados por dar apoio à Máfia do Cigarro. Na denúncia, o promotor Humberto Lapa Ferri pede a condenação a perda do valor acrescido ao patrimônio, multa civil de três vezes, exclusão da PM e suspensão dos direitos políticos por até 10 anos.

 

 

A denúncia na esfera civil foi protocolada na quarta-feira (25) contra os ex-comandantes do Batalhão de Jardim, tenente-coronel Admilson Barbosa Cristaldo, e de Bonito, tenente-coronel Luciano Espíndola da Silva, presos na Operação Oiketicus, deflagrada pelo Gaeco (Grupo de Atuação Especial contra o Crime Organizado) em maio de 2018. Eles já foram condenados a 13 anos de prisão em regime fechado por corrupção passiva, lavagem de capitais e integrar organização criminosa.

A ação por improbidade administrativa deveria tramitar em sigilo, porque o promotor Humberto Lapa Ferri pediu o bloqueio de bens. No entanto, o processo continua público e foi revelado ontem pelo jornal Midiamax.

Ferri acusa Cristaldo de ter acrescido R$ 280,5 mil indevidamente ao patrimônio, o que caracterizaria enriquecimento ilícito. Como comandante do batalhão, ele recebia propina da Máfia do Cigarro para não apreender as cargas. O MPE diz que houve queda de 80% na apreensão de cigarro durante o período em que ele comandou o batalhão de Jardim.

O oficial usava a influência política para nomear e fazer transferências de policiais para atender aos interesses da organização criminosa. Um dos acusados de integrar era o então motorista e segurança do governador Reinaldo Azambuja (PSDB), o sargento Ricardo Campos Figueiredo, preso e já condenado na Operação Oiketicus.

Cristaldo ficou famoso por ostentar vida de luxo, por meio de veículos caros, viagens, relógios, entre outros. Ele pode ser condenado a devolver aos R$ 280.563,40 e pagar multa civil de R$ 841,6 mil, totalizando R$ 1,122 milhão. Luciano pode ser condenado a ressarcir R$ 55 mil e pagar multa de R$ 165 mil, totalizando R$ 220 mil.

O tenente-coronel Cristaldo teve o pedido de habeas corpus negado pelo Supremo Tribunal Federal. A turma chegou a revogar dois habeas corpus concedido pelo polêmico ministro Marco Aurélio. No entanto, o militar acabou deixando o presídio após obter alvará de soltura no Superior Tribunal de Justiça.

Já menos sorte teve o ex-segurança de Reinaldo. Campos voltou para a prisão por determinação do Supremo e acabou tendo novo pedido de liberdade negado neste mês pela 2ª Câmara Criminal.

A Operação Oiketicus é uma das maiores ofensivas do Gaeco contra policiais militares envolvidos com o crime organizado no Estado. A última leva de oficiais envolvidos aguarda o julgamento na Auditoria Militar de Campo Grande. Mais de 30 policiais foram presos desde maio de 2018.

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

Queimadas
Bombeiros abrem aceiro na vegetação seca para deter incêndios do Pantanal
Balanço
Em três dias, operação Fronteiras e Divisas apreendeu R$ 12 milhões em drogas
Alerta
Com umidade do ar registrando 10%, cidades de MS voltam a ficar em alerta
Preconceito não!
Jogo da Diversidade acontece hoje com cobertura ao vivo do Capital do Pantanal
Flagrante na fronteira
PMA desmonta acampamento mas caçadores escapam para o Paraguai
Programação
Criançada aprende a usar cores primárias na oficina do Sesc deste sábado
Retomada
UEMS lança Guia de Retorno de Atividades Presenciais
Salve Vidas
Para repor estoques de O-, O+ e A+ Hemosul da capital abre o dia todo neste sábado
Tempo
Sábado de sol, calor e tempo seco em todo Estado
Tentativa de Homicídio
Adolescente é socorrido com perfuração de bala na coxa

Mais Lidas

Espancamento
Rapaz vítima de agressão é socorrido inconsciente no bairro Camalote
Trânsito
Motociclista é socorrido com fratura na perna
23 vagas
Inscrição para o processo seletivo da Saúde de Corumbá termina às 17h de hoje
Homenagem
Praça Palestina em Corumbá completa dois anos de criação