Menu
quinta, 04 de março de 2021
Governo do Estado - Campanha de Março
Geral

Ministro do STF homologa delação premiada de Delcídio do Amaral

15 março 2016 - 15h21Campo Grande News
O ministro Teori Zavascki, do STF (Supremo Tribunal Federal), homologou nesta terça-feira (15) a delação premiada fechada entre o senador Delcídio do Amaral (PT-MS) e a Procuradoria-Geral da República, para colaboração nas investigações da Operação Lava Jato. De acordo com o Portal G1, a partir deste ato, que concede validade jurídica às declarações do senador, na colaboração premiada, a PGR poderá separar os fatos contados pelo parlamentar sobre crimes e pessoas supostamente envolvidas. Há duas semanas, a Revista IstoÉ divulgou trechos da delação de Delcídio, que pediu período de seis meses de confidencialidade, para que suas declarações não afetassem seu processo de cassação no Senado. O pedido não foi aceito pelo ministro. Agora, já com o depoimento, a Procuradoria pode pedir novas investigações ao STF ou anexar elementos a inquéritos já em andamento. Atualmente, são ao menos 40 parlamentares e ministros investigados, além de 32 pessoas sem foro privilegiado. O depoimento ainda segue sob sigilo, embora alguns trechos já tenham sido revelados na publicação semanal. Conteúdo - Em 400 páginas de depoimento na delação premiada pela Lava Jato, o senador Delcídio do Amaral afirmou que o ex-presidente Lula e a presidente Dilma Rousseff atuaram diretamente para atrapalhar a Operação Lava Jato, que investiga desvios na Petrobras, de acordo com a Revista IstoÉ. De acordo com a revista, a delação teria sido feita poucos dias antes da liberação do senador, em 19 de fevereiro, depois de quase três meses preso. Segundo a publicação, o senador afirma que a presidente Dilma tentou por três ocasiões interferir na Lava Jato, da qual a mais grave trata-se da nomeação do ministro Marcelo Navarro para o STJ. A função dele seria cuidar do “habeas corpus e recursos da Lava Jato no STJ”. Ela também teria tido participação na indicação de Cerveró, antes atribuída apenas a Lula e José Eduardo Dutra, ex-presidente da BR Distribuidora, falecido no ano passado. Mas segundo Delcídio, a atuação de Dilma foi “decisiva”. As revelações têm, segundo a revista, o potencial de acelerar o processo de impeachment da presidente, no Congresso. Sobre o ex-presidente Lula, o senador revelou que ele foi o mandante de pagamentos à família de Nestor Cerveró, ex-diretor da Petrobas, este, por sua vez, pivô da prisão de Delcídio em 25 de novembro. A revista confirma, inclusive divulga trechos do que seriam os documentos da deleção, que Lula pediu “expressamente” para Delcídio intervir.  

Deixe seu Comentário

Leia Também

BOLETIM COVID
O mês começa com média de 6 mortes por Covid a cada 24 horas
SAÚDE
MS é o estado que mais aplicou as duas doses da vacina contra a Covid-19
GERAL
Ministério Público denuncia servidores de Ladário por corrupção passiva
GERAL
Bombeiros continuam buscas por homem desaparecido na região do Paiaguás
CONSUMIDOR
Vereador pede relatório ao Procon sobre processos, multas e empresas penalizadas em 2020
ESPORTE
Fluminense estreia no Carioca de olho na final da Copa do Brasil
ECONOMIA
Governo adia para dia 31 reinício de bloqueio e suspensão de benefício
OPORTUNIDADE
Máscara + Renda já beneficiou mais de 1.900 costureiras em todas as regiões do país
RECONHECIMENTO
Câmara vai prestar homenagem às corumbaenses pelo Dia Internacional da Mulher
ACIDENTE DE TRÂNSITO
Colisão de carro e moto deixa mulher ferida no Maria Leite

Mais Lidas

GERAL
PMA realiza trabalhos de orientação sobre minhocas em casas de iscas no MS
ABANDONO
Ladário sofre com descaso e abandono das autoridades municipais
INFRAÇÃO ADMINISTRATIVA
PMA autua morador de Corumbá por transporte ilegal de pescado
GERAL
Reinaldo Azambuja autoriza concurso público com 250 vagas para Polícia Civil