Menu
terça, 21 de maio de 2024
Câmara de Corumbá - Maio Laranja 2024
Andorinha - Novos Ônibus - Agosto 2023
Geral

Mesmo sob impasse, empresa que vai gerir Aquário descarta romper contrato

07 março 2016 - 13h46Campo Grande News
Em meio ao impasse jurídico entre o governo do Estado e a Egelte, empresa responsável pela obra do Aquário do Pantanal, em Campo Grande, o grupo Cataratas do Iguaçu, que administrará o local depois de pronto, descartou o rompimento do contrato e diz aguardar apenas a conclusão para assumir a administração. A empresa paranaense, que ganhou a licitação em 25 de dezembro de 2014, será a administradora do Aquário e cobrará a entrada do centro turístico de R$ 15,44 a R$ 30,88. O contrato tem duração de 25 anos e seu valor estimado é de R$ 145.000.000,00. Em resposta, a empresa afirmou que quanto à necessidade de atualização de prazos ou até mesmo dos valores, as tratativas acontecerão somente depois da entrega da obra. Por enquanto, a orientação é aguardar a conclusão do Aquário. Isto porque o Executivo Estadual trava uma batalha judicial com a Egelte. O governo entende que a empresa tem de retomar as obras, já que venceu a licitação, desde que o MPF-MS (Ministério Público Federal em Mato Grosso do Sul) recomendou a retirada da Proteco, esta, por sua vez alvo da Operação Lama Asfáltica. Com a suspensão, o governo, então, pediu que a Egelte assumisse novamente, mas a empresa disse não ter mais obrigação, já que foi substituída pela Proteco. Depois, condicionou seu retorno a uma auditoria no Aquário, para saber a condição da obra. O caso foi parar na Justiça, que tenta intermediar um acordo para obra ser, finalmente, retomada e concluída. Enquanto isso, a Cataratas do Iguaçu, que administra centros turísticos em todo o País, disse que as medidas adotados pelo governo não mudaram "absolutamente nada" a relação contratual com o Executivo Estadual. O edital prevê que a empresa só assumirá quando a obra estiver pronta. Na ocasião da licitação, o representante da empresa, Carlos Eduardo de Melo Guimarães, no entanto, havia dito que pretendia discutir tão logo os modos de operacionalização com o então governador do Estado, André Puccinelli (PMDB) e o que assumiu em janeiro de 2015, Reinaldo Azambuja (PSDB). Valores – A entrada integral, fechada no contrato, custará R$ 30,88 e a meia R$ 15,44. Nas compras em grupo haverá desconto, com ingressos por R$ 20,70. Estes valores devem prevalecer por 180 dias. O edital também prevê a isenção de estudantes carentes e de escolas públicas.  

Deixe seu Comentário

Leia Também

Agenda Cultural
Evento de som automotivo arrecada doações para RS e Instituto Novo Olhar
Destaque
Músico sul-mato-grossense é selecionado para intercâmbio na Orquestra Sinfônica Brasileira
Em pauta
Piso salarial e jornada de trabalho dos profissionais da enfermagem são discutidos na Câmara
Desdobramentos
Presidente da Federação é preso após quase 28 anos no comando do futebol em MS
Educação
Apresentações culturais e palestra marcam abertura da Semana do Brincar em Corumbá
Desdobramentos
Sobe para 161 número de mortes por chuvas no Rio Grande do Sul
Desdobramentos
Fornecedora de uniforme de times de MS está entre alvos em operação do Gaeco
Centro da Cidade
Vereador pede providências para recuperação da iluminação do Jardim da Independência
Gaeco
Operação apura desvio de R$ 6 milhões e 1.200 saques para driblar fiscalização no Futebol
Investigação
Padre de MS é denunciado por relacionar bruxaria e satanismo à tragédia no RS

Mais Lidas

Ia para São Paulo
Passageiro é preso no aeroporto de Corumbá com 125 cápsulas de cocaína no estômago
Manifestação
Setor de transporte protesta por falta de combustível e ameaça fechar a fronteira
Assistência Social
Caixa paga Bolsa Família a beneficiários com NIS de final 2
Oportunidade
MS abre semana com 4,1 mil vagas de emprego em diferentes setores