Menu
domingo, 01 de agosto de 2021
Geral

MDB pede impugnação da chapa de Reinaldo por Murilo não deixar comando de faculdade

21 agosto 2018 - 14h25Midiamax

Cortejado inicialmente por MDB e PSDB, o ex-prefeito de Dourados e ex-vice-governador Murilo Zauith, presidente regional do DEM, optou por integrar a chapa tucana e sair candidato a vice-governador. Agora, emedebistas tentam na Justiça Eleitoral impugnar a candidatura do democrata, bem como toda coligação encabeçada por Reinaldo Azambuja (PSDB).

A coligação ‘Amor, Trabalho e Fé’, encabeçada pelo MDB, alega que Murilo ‘é notoriamente conhecido como fundador, Diretor e proprietário da Universidade da Grande Dourados – UNIGRAN’, entidade que mantém convênio e recebe recursos do Governo do Estado.

A defesa da coligação emedebista anexou provas ao processo, incluindo um convênio firmado entre a Unigran, no valor de R$ 1.107.777,27 (um milhão, cento e sete mil, setecentos e setenta e sete reais e vinte e sete centavos), e a Sedhast (Secretaria de Estado de Direitos Humanos, Assistência Social e Trabalho).

O convênio, alega o MDB, já foi aditivado e ultrapassou R$ 2,5 milhões. O extrato inicial é de 2015, e foi assinado inicialmente pela então titular da Sedhast, Rose Modesto (PSDB), e por Mariana Zauith, filha de Murilo.

Nas provas anexadas, a coligação emedebista apresentou ainda afirmações da atual reitora da Unigran, Rosa Maria D’Amato De Réa, de que o candidato do DEM a vice-governador é o ‘mantenedor’ da universidade, , razão pela qual, defende o MDB, ele deveria deixar a função com pelo menos seis meses antes do pleito (Art. 1º, II, i, da LC nº 64/90).

Os advogados do MDB e aliados pedem que a Jucems (Junta Comercial de Mato Grosso do Sul) seja oficiada para apresentar contrato social e todas as alterações da Unigran, para comprovar o período em que Murilo esteve à frente da entidade.

O pedido da coligação ‘Amor, Trabalho e Fé’ é pela impugnação do registro da candidatura de Murilo, e, em consequência, de toda a chapa majoritária ‘Avançar com Responsabilidade’, encabeçada pelo governador Reinaldo Azambuja, candidato à reeleição.

A chapa tucana e o ex-prefeito de Dourados só foram intimados pela Justiça Eleitoral na tarde de ontem, segunda-feira (20), que concedeu prazo de sete dias para que ambos apresentem contestação ao pedido do MDB.

 

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

Fiscalização
Drogas postadas nos Correios de Corumbá e Capital seguiriam até para Hong Kong
Calendário
Enem 2021 está marcado para 21 e 28 de novembro
Apoio Internacional
Governo busca investimento dos Estados Unidos para Pantanal e Rio Taquari
Sorte
Mega-Sena pode pagar R$ 38 milhões neste sábado
Facilidade
Autorização de viagem para menores de 16 anos poderá ser feita online
Olímpiadas
Brasil vence Egito e vai à semifinal do futebol masculino olímpico
Boa Notícia
AGESUL vai construir duas pontes de concreto entre a BR-262 e Porto Esperança
Plantão
Cinco incêndios urbanos são registrados nas últimas 24 horas em Corumbá
Acidente
Carro sai da pista na BR 262 e motorista morre logo após resgate
Destaque
Policiais Militares de Corumbá recebem nova homenagem por combate à criminalidade

Mais Lidas

Acidente
Carro sai da pista na BR 262 e motorista morre logo após resgate
Fiscalização
Drogas postadas nos Correios de Corumbá e Capital seguiriam até para Hong Kong
Boa Notícia
AGESUL vai construir duas pontes de concreto entre a BR-262 e Porto Esperança
Previsão
Mais duas frentes frias devem atingir MS em agosto