Menu
quinta, 18 de abril de 2024
Andorinha - Novos ônibus - agosto 2023
Andorinha - Novos Ônibus - Agosto 2023
Geral

Máscaras devem ter 3 camadas de tecido para evitar contaminação pelo coronavírus

21 junho 2020 - 08h30Midia Max

A OMS (Organização Mundial de Saúde) referendou e, pelo mundo, o uso de máscaras de tecido se tornou comum como meio de prevenção ao novo coronavírus (Covid-19). Desde sexta-feira (19), seu uso é obrigatório em Campo Grande e, a partir desta segunda-feira (22), a exigência valerá para todo o Estado.

No entanto, o item deve ter algumas especificações a serem seguidas, entre elas a existência de três camadas de tecido para que realmente evite a disseminação do vírus no ambiente.

Conforme a OMS, as máscaras de tecido devem ter uma camada interna de algodão, uma externa de material hidrofóbico (como poliéster) e uma camada intermediária feita de material sintético –como o polipropileno (cuja fibra é usada, por exemplo, no TNT, sigla de “tecido não tecido”).

“Essas máscaras são indicadas para o uso da comunidade em geral na prevenção da Covid-19 e precisam ter três camadas de tecido. A que fica em contato com a pele deve ser de um tecido de algodão 100%, a camada do meio deve ser de tecido sintético, como TNT ou usa-se outra camada de tecido de algodão 100%. A camada externa deve ser de um tecido que não absorva água, como o poliéster. Um exemplo de tecido poliéster que pode ser utilizado é o oxford”, explicou a professora Ana Lúcia Marran, do curso de enfermagem da Uems (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul).

Segundo a professora, as máscaras podem ser feitas em dois modelos: plana (fixa ao rosto) e a “bico de pato”. “A máscara tipo bico de pato pode ter uma costura na frente, que deve estar bem fechada para que a máscara te proteja”.

É importante que as máscaras sejam justas e tenham o tamanho adequado para cada pessoa. Os tecidos devem ter tramas bem fechadas e cobrir nariz, boca e queixo. O elasteno não pode ser usado porque, ao se colocar a máscara no rosto, a mesma estica, reduzindo sua eficiência.

“Quando elas apresentam desgastes, já não está ficando bem justa, o elástico já não está tão firme, é necessário descartar a máscara”, explicou Ana, reiterando que o uso da proteção não dispensa hábitos de higiene como lavar as mãos e evitar o contato físico e aglomerações.

Higienização da máscara de tecido

A limpeza da máscara é importante e deve ser feita após o uso. A proteção deve ser pega pelo elástico ou laço traseiro (não se pode tocar na parte da frente, que pode estar contaminada) e a imergir em um recipiente com água potável e água sanitária (2 a 2,5%) por 30 minutos.

Não é necessária uma grande quantidade de água sanitária: a proporção de diluição é de uma parte do produto para 50 de água –10 ml de água sanitária para meio litro de água– por 30 minutos. Depois, lave-a com água e sabão e enxágue em água correte.

As máscaras funcionam por até 2 horas de uso, devendo ser trocada depois por conta da umidade natural produzida pela respiração.

Deixe seu Comentário

Leia Também

4ª convocação
Atleta corumbaense disputa Pan-Americano de Basquete Máster no México
Destaque
Plano de Combate a incêndios prevê instalação de 13 bases avançadas no Pantanal
Obrigatório
FUNPREV convoca aposentados e pensionistas por invalidez para perícia médica bianual
Assistência
Povo das Águas atende moradores da região do Baixo Pantanal a partir de segunda, dia 22
Destaque
Corumbá promove, na 6ª feira, 2ª Conferência de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde
Economia
Exportação de industrializados de MS atingem US$ 434,7 milhões em março
Mudança
Novo sistema de cadastro no Programa Precoce MS já está disponível
Abril Verde
Campanha promove conscientização contra assédio a mulheres no trabalho
Plantão
Moradores do Centro América acionam os Bombeiros para conter Pitbull agressivo
Eleições 2024
Em novo partido, vereador Luciano Costa confirma pré-candidatura à prefeitura de Corumbá

Mais Lidas

Prata da Casa
Campanha arrecada doações para estudante competir em provas de atletismo na Capital
Segurança Alimentar
Supermercado de Ladário recebe autorização para manipular alimentos de origem animal
Segurança
Em 1º mês de atuação, Gafip recupera 100% das tornozeleiras rompidas em Corumbá
Corumbá
Banda faz apresentação cultural em celebração aos 376 anos do Exército