Menu
quarta, 20 de janeiro de 2021
Andorinha Janeiro/Fevereiro
Andorinha Janeiro/Fevereiro Mobile
Geral

Marun diz, "Eleições em Mato Grosso do Sul deveriam ser adiadas

14 setembro 2018 - 15h03Correio do Estado

O ministro de Governo, Carlos Marun (MDB), disse, nesta sexta-feira (14), durante encontro para visitar a obra de ampliação do anel viário em Campo Grande, que as "Eleições em Mato Grosso do Sul deveriam ser adiadas".

A declaração dele tem relação com a prisão de André Puccinelli (MDB), um dia antes da convenção estadual em que Puccinelli seria lançado como candidato ao governo do Estado e a operação Vostok, deflagrada pela Polícia Federal na quarta-feira (12), tendo o governador  Reinaldo Azambuja (PSDB) com um dos alvos.

“Tenho uma certa contrariedade com medidas que são tomadas nas vésperas do pleito. Isso aconteceu com André, na véspera da convenção, e agora acontece com Azambuja. Penso que isso poderia ter acontecido há dois ou três meses atrás”, completou Marun.

O ministro reforçou que o candidato ao governo pelo partido é Junior Mochi e pontuou que este é o momento de a população prestar atenção. “Não vejo espaço legal para esse adiamento”, declarou sobre a possibilidade levantada por ele de adiamento das eleições,  “mas dentro de uma racionalidade é uma eleição que digamos que preocupa muito. “A gente que a população tome as decisões corretas nesses dias que antecedem o pleito”, finalizou.

PRISÃO DE PUCINELLI

André Puccinelli (MDB), o filho André Puccinelli Júnior e o sócio do Instituto Ícone, o advogado João Paulo Calves estão presos desde o dia 20 de julho no Complexo Penitenciário localizado no Jardim Noroeste, em Campo Grande, por conta de denúncias do Ministério Público Federal (MPF) com base em documentos apreendidos na Operação Lama Asfáltica.

OPERAÇÃO VOSTOK

Na quarta-feira (12), o filho do governador do Estado de Mato Grosso do Sul, Rodrigo Souza e Silva e outros 13 nomes ligados ao governo do Estado foram alvos de mandado de prisão decretado pela Polícia Federal (PF).  Eles são apontados pela PF como integrantes de um esquema de pagamento de propina envolvendo pecuaristas, a cúpula dos Poderes Executivo e Legislativo estaduais, além do Tribunal de Contas do Estado.

Deixe seu Comentário

Leia Também

COVID-19
Pandemia ainda não acabou: MS registra mais de mil casos em apenas um dia
GERAL
Batida de carro e moto deixa criança ferida no Popular Nova
POLICIAL
PRF recupera dois veículos em MS que seriam levados para a Bolívia
JUSTIÇA
Alexandre de Moraes nega HC para anular seis prisões e mandar Jamil Name para casa
p
ECONOMIA
Preço da gasolina começa o ano acima do valor registrado em todos os meses de 2020
Combustível está 19,5% acima da média do mês com preços mais baixos de 2020
DEFESA CIVIL
Com previsão de mais chuva, Defesa Civil orienta população que mora em áreas de risco
EDUCAÇÃO
Professores dão dicas para o segundo dia de provas do Enem
GERAL
MPT divulga nota técnica sobre medidas de proteção a trabalhadoras gestantes
GERAL
Comando do 6º Distrito Naval abre inscrições para concurso de nível superior
GERAL
INSS: prova de vida de aposentados é suspensa até fevereiro

Mais Lidas

POLICIAL
Empresário de MS é preso durante Operação da Polícia Civil contra crime organizado
SAÚDE
Servidora há 30 anos, Vitória aplicou primeiras doses da vacina contra COVID-19 em Corumbá
PRIMEIROS IMUNIZADOS
Corumbá e Ladário já tem os primeiros imunizados contra a Covid-19
GERAL
Justiça do Trabalho leva sinal de internet para guatós que vivem isolados no Pantanal