Menu
terça, 19 de outubro de 2021
Andorinha - Setembro e Outubro
Andorinha - Outubro e Novembro - MOBILE
Geral

Marinha defende mudanças na logística da Operação Pantanal

04 agosto 2020 - 08h34Gesiane Sousa

A notícia divulgada no final desta segunda-feira (3) pela Marinha do Brasil, de que os Centros de Coordenação da Operação Pantanal, em combate às queimadas na região, seriam transferidos para o Estado vizinho Mato Grosso, causou descontentamento aos moradores de Corumbá e Ladário, que há dias sofrem com a má qualidade do ar provocada pela fumaça dos incêndios, que ocorrem próximos ao perímetro urbano das cidades.

A decisão de alterar a logística da operação foi tomada em reunião no Comando do 6º Distrito Naval, em Ladário, com representantes do Corpo de Bombeiros de Mato Grosso e de Mato Grosso do Sul e do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama).

Comentários referentes a postagem na notícia na página do site Capital do Pantanal ontem à noite. Foto: Reprodução Facebook

No final do dia de ontem, o site Capital do Pantanal, veiculou a notícia de que parte da equipe empenhada no Pantanal de Corumbá seria enviada para Mato Grosso, onde irão combater grandes queimadas na cidade de Poconé (MT). Não demorou para os comentários negativos a decisão começassem a surgir. Acontece que na prática, as pessoas não percebem que os incêndios reduziram de 31 para quatro, conforme afirmado pela Marinha, porque ainda há muita fumaça encobrindo a cidade e o ar continua muito poluído. A revolta fez com que a Marinha do Brasil, quem coordena a operação, emitisse nota esclarecendo a mudança na logística e a nova estratégia de atuação das equipes.

A Marinha defende que não se trata de uma retirada das equipes, mas sim de uma ampliação da operação. O Estado vizinho, Mato Grosso, também enfrenta  momento difícil com as queimadas e segundo a nota a seguir, os esforços serão garantidos em ambos os Estados.

“O Comando do 6º Distrito Naval (Com6ºDN) informa que as decisões tomadas na reunião são frutos da extensão da área de abrangência da operação e da constatação de que os focos de incêndio mais intensos são registrados na porção sul de Mato Grosso e ao norte de Mato Grosso do Sul. O objetivo é garantir os esforços no combate aos focos de incêndios em ambos os estados.

Assim sendo, as ações desencadeadas pelas Forças Armadas e demais agências envolvidas serão ampliadas e a decisão de alterar o local dos Centros de Coordenação tem o propósito de buscar a economicidade no emprego dos meios, haja vista a proximidade da região do SESC Pantanal com os pontos considerados mais críticos: Sul de Poconé-MT e região de Mato Grosso do Sul ao sul de Porto Jofre.

O Com6ºDN ressalta, ainda, que aeronaves e equipes mantidas em Corumbá e Ladário poderão ser empregadas de acordo com as necessidades”.

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

Flexibilidade
Com redução dos casos de Covid-19, Prefeitura altera Toque de Recolher em Corumbá
Monumento Histórico
Vereadores defendem resgate de antigo Farol do Balduíno no Rio Paraguai
Sem Emendas
Câmara aprova Moção em Apoio à regulamentação da profissão de podologia
Pobreza Menstrual
Vereadora pede apoio de deputados para derrubar veto presidencial na distribuição de absorventes
Em tramitação
Proposta cria programa de apoio a catadores de recicláveis em Corumbá
Briga Antiga
Anatel convoca a Oi para reunião sobre internet em Corumbá
Na Câmara
Vereador questiona índices do ICMS Ecológico estabelecidos para 2022
Desdobramento
Denúncia contra os nove indiciados pelo Dracco na Operação "Dark Money" vira processo judicial
Desdobramentos
PF apreende arma, munição e faz termo de conduta durante operação Mercês
Crime na Capital
Após disparos, polícia prende ladrões que fizeram idosa e cuidadora de reféns na Capital

Mais Lidas

Capital e Chapadão do Sul
SAD divulga abertura de Processo Seletivo da Agepan
Crime
Motorista de aplicativo é sequestrada e tem carro roubado; dois dos assaltantes foram presos
Prisão
Homem é preso após invadir e roubar escola no centro
Impressionante
Moto Titan com débitos de R$ 107 mil é aprendida em blitz do Detran-MS no fim de semana