Menu
quarta, 04 de agosto de 2021
Expresso Mato Grosso - Junho
Expresso Mato Grosso - Maio
Geral

Luciano Leite diz que disputa na Famasul fortalece o setor produtivo

15 maio 2018 - 11h47Sindicato Rural de Corumbá

A disputa pela presidência da Famasul (Federação da Agricultura e Pecuária de Mato Grosso do Sul) na eleição marcada para junho, depois de 40 anos de votação por aclamação ao candidato único, é salutar e democrático e fortalece a classe produtora, na opinião do presidente do Sindicato Rural de Corumbá, Luciano Aguilar Leite.

O dirigente ruralista pantaneiro integra a chapa da candidata Terezinha Cândido, que se apresenta como a primeira mulher a disputar o cargo na entidade maior do agronegócio sul-mato-grossense, mas esclarece que nem por isso existe uma divisão do meio rural no Pantanal.

“A nossa classe produtora não está dividida, nem no Estado, nem no Pantanal, onde o companheiro Leonardo de Barros está na chapa do Saito (Maurício Saito, atual presidente da Famasul)”, disse Luciano. “Estamos trabalhando em cima de propostas e vencerá a que for melhor”, completa.

Um grande avanço

Para o presidente do Sindicato Rural de Corumbá, que integra a atual diretoria da Famasul como vice-presidente no Pantanal, a disputa inédita pela presidência da entidade fortalece o setor do agronegócio no Estado ao estimular um debate sadio e amplo em defesa dos interesses da classe.

A candidata Terezinha Cândido é veterinária e produtora e atualmente ocupa o cargo de diretora secretária da Famasul. Concorrendo à reeleição, Maurício Saito, também veterinário, é o nono presidente da entidade, eleito por aclamação do maior quórum de delegados já representado em eleições.

“Acreditamos que a concorrência estimulará um debate democrático e aberto dentro da federação e isso é bom para a nossa classe”, defende Luciano Leite. “Isso proporcionará a discussão de projetos e propostas que venham de encontro com o desejo do agronegócio, o que considero um avanço”, avaliou.

Força do campo

A Famasul é uma das 27 entidades sindicais que integram a Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), congregando atualmente 69 sindicatos rurais. Foi constituída em 29 de outubro de 1977, e fundada efetivamente com a assinatura da Carta Sindical, pelo Ministério do Trabalho, em 22 de fevereiro de 1979.

A primeira diretoria foi empossada em 18 de agosto no ano de 1979, tendo como primeiro presidente o produtor Sylvio Mendes Amado. O pecuarista Eduardo Machado Metello, presidente da entidade por duas vezes (1988-94), reformulou seu estatuto e integrou a instituição às atividades do Senar (Serviço Nacional de Aprendizagem Rural).

 

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

Assistência Social
Povo das águas encerra com 180 famílias atendidas do Taquari
Melhorias
Vereador solicita pavimentação da Rua Edu Rocha, no Guaicurus
De volta!
Câmara de Corumbá adota medidas mais flexíveis e retoma atendimento presencial
Como fica?
Universidades de MS devem manter aulas presenciais suspensas até o fim do ano
Olímpiadas
Rebeca Andrade será porta-bandeira do Brasil no encerramento
Calendário
Inscrições para o Incentiva+MS Turismo termina neste fim de semana
Destaque Nacional
Mais de 6 mil policiais já receberam a imunização completa em MS
Tempo
Primeira quinzena de agosto será marcada por calor e tempo seco
Vereador
Luciano Costa solicita psicólogos e assistentes sociais nas escolas municipais
Campanha
Dia 13 tem sessão solene em homenagem ao Agosto Lilás na Câmara

Mais Lidas

Acidente
Motociclista sofre fratura na perna após colidir com carro
Doença
Primeiro caso de Fungo Negro em MS é confirmado na Capital
Boletim
54 cidades de MS têm taxa de letalidade da Covid abaixo do índice nacional
Vereador
Luciano Costa solicita psicólogos e assistentes sociais nas escolas municipais