Menu
quinta, 23 de maio de 2024
Andorinha - Novos ônibus - agosto 2023
Andorinha - Novos Ônibus - Agosto 2023
Geral

Líder de movimento contra Dilma em Corumbá, acredita que “impeachment é fato consolidado”

18 abril 2016 - 11h30Gesiane Medeiros
O fato histórico de cassação a presidente Dilma Rousseff, movimentou todo o país durante todo este domingo (17), ocupando horários nobres na televisão brasileira, a votação na Câmara dos Deputados, em Brasília, foi transmitida ao vivo e na íntegra. No final, o impeachment ganhou de “lavada” com 367 votos a favor, enquanto os os contra somaram apenas 137. Em Corumbá, o ainda pequeno movimento popular contra a atual política do Brasil, celebra com satisfação o resultado positivo ao pedido do povo. O grupo líder do movimento em Corumbá, possui possui pelo menos 15 pessoas empenhadas em resgatar a consciência cidadã dos corumbaenses por um Brasil com “ordem e progresso”. Somente este ano, o grupo mobilizou cinco passeatas na cidade, a última, de maior representatividade, no dia 13 de março, levou 800 pessoas em média, para as principais ruas de Corumbá e aconteceu em concomitância com a mobilização nacional “Vem pra rua”, onde registros do movimento, apontam que 6 milhões de pessoas pediram a queda da atual presidência do país. Elano Holanda, um dos líderes do movimento em Corumbá, cedeu entrevista ao Capital do Pantanal, e comentou sobre a vitória do povo contra o atual governo. CDP: O que significa a aprovação do processo de impeachment para quem está envolvido diretamente na luta contra a corrupção no Brasil? Elano Holanda: O momento é histórico, e cada cidadão tem que pensar como participe, nada vai mudar se a população não participar. Ouvimos de diversas pessoas, que não participariam da mobilização porque não tinha ônibus disponível. Essa mobilização nacional é o começo para resgatar a construção cidadã no país, porque está longe de chegarmos onde queremos, o impeachment é só o começo, o governo que vai assumir após a saída da Dilma também não é o que o país necessita. A população tem que continuar vigilante, o povo foi pra rua e obteve a vitória. O grande passo agora seria unirmos as eleições, e esse ano já trocar todo o comando do Brasil junto com as eleições de prefeito e governador. A partir disso termos mandatos que durem seis anos, vejo o mandato de quatro em quatro anos, muito curto. CDP: Qual a expectativa para o próximo passo no Senado? EH: Não existe clima no Brasil, para que as coisas permaneçam como estão, o impeachment pra mim é algo concretizado, é questão apenas de concretizar as próximas etapas, não vejo a recusa como uma possibilidade, foram seis milhões de pessoas na rua pedindo por isso, em Corumbá continuaremos com a mesma motivação. Defendemos um país com ordem e justiça sem corrupção, e esse governo que está no comando, não se encaixa nessas exigências, nem Dilma, nem Cunha. É necessário um saneamento global. CDP: O que você acredita que vai mudar no país após o impeachment da presidente, se consolidado? EH: Observa-se que o movimento “Vem pra rua” não possui uma liderança política, é uma mobilização popular, quem não estiver sintonizado com a vontade do povo, de acabar com a roubalheira no país, não vai conseguir se sustentar, eu acredito que a população brasileira está muito mais consciente e atenta. Preferimos não fazer movimentação ontem, porque não vemos o caso como ganhar ou perder, o Brasil está destruído com essa administração, a questão é retomar a governabilidade. A força consciente da população está sendo despertada. CDP: Você acredita que a delação premiada de Delcídio do Amaral foi peça fundamental para o ganho do impeachment? EH: O Delcídio quando fez as colocações, tinha propriedade para fazê-las, tinha autoridade enquanto participante, apresentou sustentação e provas, sem dúvidas o processo se fortaleceu com os depoimentos do senador.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Fiscalização
Ação conjunta apreende 4 toneladas de mercadorias em Corumbá
Esporte
Com trinta equipes, 1ª Copinha do Futuro de Futsal tem primeiro jogo nesta quarta-feira
Oportunidade
IHP abre vagas para jovens aprendizes com idades entre 16 e 20 anos
Afroturismo
Corumbá participa pelo segundo ano consecutivo do projeto Caminhadas Negras
Meio Ambiente
Show com Seu Jorge e Daniel Jobim vai arrecadar recursos para o Pantanal
Economia
Começa amanhã consulta a maior lote de restituição do IR da história
Economia
Quase 50 mil pessoas buscam negociar dívidas em MS
Saúde
Projeto que institui vacinação nas escolas vai à sanção presidencial
Na Zona Rural
Vereador quer equipes da Assistência Social, atendendo assentamentos de Corumbá
Segurança
Táxis de Corumbá tem até 21 de junho para implantar QR Code de identificação

Mais Lidas

Agenda Cultural
Evento de som automotivo arrecada doações para RS e Instituto Novo Olhar
Na Câmara
Projeto de Lei Municipal torna laudos de TEA permanentes
Segurança
Denúncia de moradora recupera moto furtada no bairro Vila Mamona
Gaeco
Operação apura desvio de R$ 6 milhões e 1.200 saques para driblar fiscalização no Futebol