Menu
domingo, 26 de maio de 2024
Andorinha - Novos ônibus - agosto 2023
Andorinha - Novos Ônibus - Agosto 2023
Geral

Levantamento aponta Guató como o bairro de maior incidência do Aedes

21 abril 2016 - 10h00Gesiane Medeiros
Último levantamento do Índice Rápido do Aedes aegypti (LIRAa), realizado pelo Centro de Controle de Vetores (CCV) da secretaria de saúde do município, apontou que o índice de infestação do mosquito transmissor de doenças como dengue, chikungunya e zika vírus, diminuiu 1,69%. Mesmo com a queda significativa, Corumbá se mantém no grupo considerado de alto risco pela secretaria estadual de saúde. O levantamento do CCV aconteceu entre os dias 11 e 15 de abril, e registrou nível de infestação de 3,30%, menor que os 4,99% confirmando em janeiro. O índice aceitável pelo Ministério da Saúde é de até 1%, por isso a secretaria de saúde do município, já declarou que vai intensificar ainda mais os programas de conscientização da população, através das palestras em escolas municipais e também diretamente com a população, com as visitas dos agentes de endemias. O bairro Guatós, ocupa o primeiro lugar no ranking dos bairros com maios infestação do mosquito Aedes, a comunidade da parte alta da cidade soma 10,14%; seguido da Popular Velha com 9,09%; Cristo Redentor com 8,19%; Maria Leite com 5,31%; Previsul com 4,76%; Popular Nova com 3,45%; Centro América com 2,78%, Centro II com 2,67%; Nova Corumbá com 2,48%; Aeroporto com 1,89%; Jardim dos Estados com 1,64%; Universitário com 1,49%; e Centro I com 0,53%. Os bairros Arthur Marinho, Cervejaria, Dom Bosco, Generoso, Beira Rio, Industrial, Nossa Senhora de Fátima e Guarani, ficaram com incidência zero. Entre os destaques positivos estão os bairros Beira Rio que no primeiro levantamento estava com 28,57%, zerou agora; Aeroporto que caiu de 16,92% para 1,89%; Centro América que caiu de 8,33% para 2,78; Maria Leite que reduziu para 5,31%, estava com 7,38%; Nova Corumbá reduziu de 5,34% para 2,48%; Dom Bosco que estava com 5,48% e agora zerou; Jardim dos Estados que reduziu de 4,82% para 1,64%; Universitário que ficou agora com 1,49%, estaca com 3,45%; Centro II (da Antônio Maria Coelho até a Albuquerque) de 3,38% reduziu para 2,67%; Centro I (da Edu Rocha até a Antônio Maria) que caiu de 1,08% para 0,53%. Já o destaque negativo ficou por conta do bairro Guató, que subiu de 8,05% para 10,14%; seguido do Cristo Redentor que subiu de 7,30% para 8,19%; Popular Velha que estava com 6,30%, foi para 9,09%; Popular Nova subiu de 1,59% para 3,45%, e Centro I (da Edu Rocha até a Antônio Maria) com 1,08%. Segundo último boletim epidemiológico divulgado pela secretaria estadual de saúde, em 20 de abril, Corumbá registrou 555 notificações de dengue; 19 de Chikungunya, 1 de Zika Vírus e 42 notificações de Influenza.  

Deixe seu Comentário

Leia Também

Meio Ambiente
Relatório da ONU sobre o clima responsabiliza a humanidade por aumento de fenômenos extremos
Facilidade
Mais de R$ 1,8 milhão em taxas judiciárias já foram pagos via Pix
Variedades
Cassinos Online: Sorte e estratégia na era digital
Reitoria
Colégio Eleitoral da UFMS mantém Camila Ítavo em primeiro lugar na lista tríplice
Meio Ambiente
Juiz mantém proibido o desmate no Parque dos Poderes
Crime
Na delegacia, assassino "confesso" diz que conheceu corretora em aplicativo
Educação
UEMS e Fundect investem R$ 4 mi para fortalecer ensino superior em Mato Grosso do Sul
Em Maracaju
Estudantes do IFMS levam tecnologia a maior evento agro do Estado
Destaque
Dia da Indústria: Longen destaca força do setor industrial de Mato Grosso do Sul
Extrema magreza
Polícia resgata cães em situação de maus-tratos no Popular Nova

Mais Lidas

Tráfico de Drogas
Boliviana é presa com 12,7 kg de cocaína em botijão de gás transportado dentro de mala
Soldado Cidadão
Projeto da Marinha vai oferecer formação de condutores para recrutas em Ladário
Interdição
Ponte sobre o rio Paraguai fecha às 17 horas deste sábado; interdição deve durar 19 horas
Investigação
Polícia Civil prende homem acusado por furto de joias e celulares na cidade