Menu
sábado, 06 de março de 2021
Andorinha Fevereiro
Andorinha Fevereiro
Geral

Lei facilita registro de crianças nascidas de barriga de aluguel ou proveta

23 maio 2016 - 11h28Sylma Lima
Os nascimentos de crianças geradas por técnicas de reprodução assistida, inclusive mediante gestação substituta, para efeito de registro civil, ganharam regulamentação nacional com o Provimento 52/2016. A reprodução assistida começou a se desjudicializar e, partir de agora pais que optaram por esse tipo de gestação podem registrar a criança com uma simples ida ao cartório e apresentação do documento de nascido vivo, expedido pela maternidade e consentimento dos pais biológicos. A Corregedora-Nacional de Justiça, ministra Nancy Andrighi, em louvável iniciativa, vem editar o Provimento 52, de 14 de março de 2016, dispondo sobre o registro de nascimento e emissão da respectiva certidão dos filhos havidos por reprodução assistida, com latitudes que dignificam o tema, a partir de sua necessária uniformização em todo o território nacional. Segundo o juiz da terceira vara civil da comarca  de Corumbá Daniel Scaramella, “Quando a criança nasce ela precisa da declaração de nascido vivo, e o cartório de registro civil, só podia registrar no nome da parturiente e isso gerava um problema para casais que optavam por gravidez assistida, chamada bebe de proveta ou casos de barriga de aluguel, porque era necessário que a pessoa entrasse na justiça para conseguir a certidão. Agora basta o termo (DNV) , o instrumento público, com termo de consentimento do doador e o cartório já automaticamente já registra no nome da mãe verdadeira. E essa doadora, a barriga de aluguel não terá nenhum vínculo ou parentesco com a criança, inclusive para fins legais ou reclamação de herança, entretanto e criança terá conhecimento da identidade dos pais biológicos” . O magistrado explicou que essa decisão é um complemento da justiça ao processo de legalização de casamento entre homossexuais. Todos os cartórios já foram notificados a respeito do provimento e são obrigados a fazer o registro desde março deste ano. O Conselho Nacional de Justiça determinou que a medida fosse amplamente divulgada. Em Corumbá, o juiz disse que já houve caso de um casal (duas mulheres) tiveram que entrar na justiça para conseguir registrar a criança e seus nomes. Na certidão constará os nomes das duas mães e dos avós maternos. “Tem nesse provimento a reprodução assistida pós morte. Para isso basta deixar um termo de consentimento feito em cartório e o material genético. O documento diz que nas hipóteses de reprodução assistida pós morte deverá ser apresentado o termo de autorização previa, lavrado por instrumento público  pelo falecido , para uso do material biológico,  Isso preserva o direito da criança e acaba com a incerteza sobre a polemica questão da maternidade" , enfatizou o juiz. As diretivas registrais de reprodução medicamente assistida constantes nos provimentos consolidam uma conveniente, urgente  resolução administrativa para os milhares de casos de maternidade de substituição, a de gestação por outrem, quando, em situações que tais, a parturiente, como cedente temporária do útero, não será havida, para os fins da lei, como a genitora da criança nascida. A todo rigor, será lançado em registro civil o nome da mãe genética, fornecedora do óvulo e titular do projeto parental, nada obstante o nome daquela esteja na Declaração de Nascido Vivo (DNV).

Deixe seu Comentário

Leia Também

Geral
Aumento da gasolina também causa impacto no preço do etanol
OPORTUNIDADE
Receita Federal abre vagas de estágio em Corumbá
CULTURA
Eleitos os representantes não governamentais para o Conselho de Cultura do município
SEGURANÇA PÚBLICA
Em MS, Senad defende proposta de agilizar leilões de bens do crime organizado
POLICIAL
Bandidos armados usam carro oficial do Governo de MS para roubar casal na Afonso Pena
GERAL
Mãe é detida após espancar bebê de 9 meses com pedaço de madeira em cidade de MS
ESPORTE
Estadual de Futebol 2021 prossegue com mais quatro partidas neste fim de semana
SAÚDE
Redução de testa: Dermatologista de MS explica sobre melhores formas de tratamento
GERAL
Mulher tem bebê em casa e bombeiros prestam atendimentos
SAÚDE
Endometriose pode afetar 10% das mulheres brasileiras

Mais Lidas

POLICIAL
Homem é preso por roubo na forma tentada no bairro Maria Leite
POLICIAL
Em Corumbá três são presos com mandado de prisão em aberto
INCÊNDIO
Consultório Odontológico pega fogo no Maria Leite
POLICIAL
Polícia Militar de Corumbá prende homem por violência doméstica no Dom Bosco