Menu
domingo, 28 de fevereiro de 2021
Andorinha Fevereiro
Andorinha Fevereiro
Geral

Instituto receberá R$ 14 milhões para gerenciar vagas em hospitais de MS

20 julho 2016 - 10h27Campo Grande News

O governo estadual selecionou a organização paulista IABAS (Instituto de Atenção Básica e Avançada à Saúde) para assumir a gestão do complexo regulador de vagas em leitos hospitalares de Mato Grosso do Sul por R$ 14.219.868,72. O edital foi publicado no Diário Oficial do Estado desta quarta-feira (20) e faz parte do projeto da administração do Estado, que prevê gestão hospitalar compartilhada com o setor privado.

Ainda não há data definida para que a associação assuma a gestão, segundo a Secretaria de Estado de Saúde. O valor que será pago à empresa é referente a 12 meses de gestão.

Neste mês, o Executivo Estadual também fechou a empresa que vai assumir a gerência do Hospital Regional de Ponta Porã, por R$ 23 milhões.

De acordo com o governo, a Secretaria de Saúde vai elaborar um plano de metas e cobrará a aplicação de cada uma à empresa, que terá de prestar contas mensalmente. A empresa selecionada é de São Paulo (SP), mas também possui sede no Rio de Janeiro (RJ). Ao todo, o instituto gerencia 137 unidades de saúde e serviços públicos nas duas cidades.

Conforme a publicação, o contrato entre o governo e a empresa será de gerenciamento e operacionalização da "unidade de apoio das ações de regulação do acesso do complexo regulador estadual da SES-MS". Em Campo Grande, a central de regulação está localizado na Avenida Afonso Pena, com a Rua Bahia, no mesmo local onde fica o complexo de vagas do Município.

No ano passado, o projeto foi apresentado na Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul, com a intenção de adotar um sistema de gestão hospitalar semelhante ao realizado em Goiânia (GO), onde as unidades são administradas pelas chamadas OS (Organizações Sociais).

Vagas em MS- Em maio, o Campo Grande News conversou com os secretários de Saúde do Estado e do Município a respeito da situação de vagas de leitos. O secretário estadual de Saúde, Nelson Tavares, reconheceu que o sistema de ocupação de vagas nas unidades hospitalares, especialmente em Campo Grande, é complexo e a curto prazo não seria algo simples para resolver sem o auxílio dos municípios.

O funcionamento da central seria a saída mais eficiente para evitar que pacientes tenham de ficar esperando dentro de ambulância nas portas dos hospitais.

*Matéria editada para acréscimo de informação às 10h12.

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

PGE
Vídeo sobre planejamento financeiro está disponível no canal da PGE/MS
SAÚDE
Fiocruz espera ter 'protagonismo' na vacinação em abril com 30 milhões de doses
NOTA MS PREMIADA
Chance de ganhar no Nota MS Premiada é 28 vezes maior do que na Mega-Sena
TRÂNSITO
Capotamento na BR-163 mata adolescente e deixa motorista em estado grave
EDUCAÇÃO
IFMS oferece vagas para portadores de diploma e transferências no Campus Corumbá
SAÚDE
Brasil tem recorde de mortes por covid-19 pelo terceiro dia seguido
ECONOMIA
Acumulada, Mega-Sena sorteia hoje R$ 50 milhões
ECONOMIA
Banco do Brasil ajuda estados e municípios a cobrar impostos via Pix
TURISMO
Fornatur e ABEAR se reúnem para alinhar acordos com empresas aéreas durante pandemia
GERAL
Agesul conclui manutenção de muitas estradas após período de chuvas

Mais Lidas

EDUCAÇÃO
IFMS oferece vagas para portadores de diploma e transferências no Campus Corumbá
TRÂNSITO
Capotamento na BR-163 mata adolescente e deixa motorista em estado grave
GERAL
Complexo hospitalar de Corumbá está com 85% de sua estrutura pronta
PESCA
PMA lança e disponibiliza Cartilha do Pescador 2021 com todas regras de pesca