Menu
domingo, 03 de março de 2024
Andorinha - Novos ônibus - agosto 2023
Andorinha - Novos Ônibus - Agosto 2023
Geral

Indústria de MS volta a registrar saldo positivo na geração de empregos

12 março 2018 - 07h10Daniel Pedra

O setor industrial de Mato Grosso do Sul, que é composto pelas indústrias de transformação, de extrativismo mineral, de construção civil e de serviços de utilidade pública, voltou a registrar, em janeiro deste ano, saldo positivo na geração de empregos, conforme levantamento do Radar Industrial da Fiems. No primeiro mês do ano, foram efetuadas 4.378 contratações e 3.880 demissões, resultando em um saldo de 498 postos de trabalho.

Segundo o coordenador da Unidade de Economia, Estudos e Pesquisas da Fiems, Ezequiel Resende, o saldo positivo do ano no setor industrial pode ser creditado aos segmentos da construção (+152), de alimentos e bebidas (+133), química (+70), mecânica (+62), têxtil, confecção e vestuário (+55) e metalúrgica (+36). “Além disso, nos últimos 12 meses, os maiores saldos foram registrados pelos segmentos de alimentos e bebidas (+688), de papel, papelão, editorial e gráfica (+236), da borracha, couros, peles e similares (+213) e de madeira e do mobiliário (+86)”, detalhou.

Ele explica que, com esse saldo positivo, o conjunto das atividades industriais em Mato Grosso do Sul encerrou o mês de janeiro de 2018 com 120.504 trabalhadores empregados, indicando aumento de 0,41% em relação a dezembro de 2017, quando o contingente ficou em 120.006 funcionários. “Atualmente, a atividade industrial responde por 19,1% de todo o emprego formal existente no Estado, ficando atrás dos setores de serviços, que emprega 190.608 trabalhadores e tem participação equivalente a 30,2%, de comércio, com 125.569 empregados e 19,9%, e de administração pública, com 122.468 empregados ou 19,4%”, informou.

Detalhamento

No mês de janeiro, 88 atividades industriais apresentaram saldo positivo de contratação, proporcionando a abertura de 978 vagas, com destaque para abate de reses, exceto suínos (+126), obras especializadas para construção (+74), obras de terraplenagem (+70), construção de edifícios (+61) e fabricação de álcool (+58). Por outro lado, 85 atividades industriais apresentaram saldo negativo, ocasionando o fechamento de 480 vagas, com destaque para construção de rodovias e ferrovias (-98), fabricação de açúcar em bruto (-42) e fabricação de brinquedos e jogos recreativos (-21).

Em relação aos municípios, constatou-se que em 34 deles as atividades industriais registraram saldo positivo de contratação em janeiro de 2018, com destaque para Campo Grande (+343), Nova Andradina (+83), Naviraí (+41), Itaquiraí (+34), Sidrolândia (+32), Rochedo (+27), Aquidauana (+25), Eldorado (+24), Dois Irmãos do Buriti (+23) e Dourados (+22). Por outro lado, em 29 municípios as atividades industriais registraram saldo negativo, com destaque para Corumbá (-70), Três Lagoas (-50), Fátima do Sul (-30), Costa Rica (-25) e Maracaju (-22).

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

Dia D
Municípios de MS participam de mobilização nacional em combate à Dengue
Ecoa Pantanal
Relatório alerta sobre o efeito cumulativo das barragens no Pantanal
Plantão
Passageira sofre fratura exposta e é abandonada por motociclista
Em obras
Seilog garante que travesseia na ponte do rio Paraguai é segura
10 horas no trajeto
Criança é resgatada no Pantanal com miçanga no nariz
Em 5 cidades
Classificados para 3ª fase do Voucher Desenvolvedor participam de vivência no Senac
Campanha Nacional
Dia D contra a dengue convoca população a eliminar focos do mosquito
Atrasado
MEC divulga resultado da segunda chamada do Prouni
Aposta
Mega-Sena pode pagar R$ 185 milhões neste sábado
Destaque
Sistema E-Crie de MS é avaliado pelo Ministério da Saúde para implementação em nível nacional

Mais Lidas

Plantão
Passageira sofre fratura exposta e é abandonada por motociclista
Em ônibus fretado
Três bolivianos são flagrados com 3,1 kg de cocaína nos calçados
Benefício
Prefeito assina decreto que regulamenta aumento no plantão de profissionais da saúde
Necessário
Recadastramento em programa do Governo que paga a conta de luz segue até 10 de maio