Menu
sexta, 18 de junho de 2021
Andorinha - Maio
Andorinha - Maio
Geral

Incertezas na Saúde da capital

08 abril 2016 - 14h53Redação
Precarização do atendimento público e da relação do trabalho, com maior rotatividade e número de acidentes; ocorrências de assédio moral e facilitação para a corrupção. Esses foram alguns pontos negativos apontados pela audiência pública que discutiu a privatização da Saúde, na manhã desta quarta-feira (6), no Plenário Oliva Enciso da Câmara Municipal de Campo Grande. O vereador e médico Dr. Eduardo Cury (Partido Solidariedade) declarou o seu apoio aos usuários do Sistema Único de Saúde (SUS), enfermeiros, médicos e aos demais profissionais da Saúde que lotaram o auditório, posicionando-se contra a implantação das Organizações Sociais de Saúde (OSS). Ao fazer uso da palavra, Dr. Cury lembrou nomes de grandes empresas, inclusive do segmento da construção civil, que foram as primeiras a entrarem na gestão da Saúde em São Paulo e Rio de Janeiro. “Interessante. Como é que, sem fins lucrativos, temos empresas de grande porte entrando na área de gestão da Saúde”. Hospitais de São Paulo também foram citados pelo Dr. Cury, que possuem estruturas maravilhosas, mas com muitos fins lucrativos. Durante o evento, Dr. Cury alertou para as armadilhas que as avaliações de algumas OSS podem representar, pois estas organizações em seu primeiro ano de funcionamento são excelentes. Segundo ele, não podemos ter como referência o funcionamento de alguma OSS que não tenha uma história, sem informações que possam servir para comparações. Dr. Cury lembrou determinados programas que são referências nacionais como o “Brasil Sorridente”. Ele questionou: “Depois de privatizarmos isso, como vai ser o nome? ‘A Cárie Sorridente’? Ou será a ‘Dentadura Sorridente?’”. Após as discussões, por sugestão do Dr. Cury, foram feitos encaminhamentos, como a elaboração de uma carta oficial declarando que a Câmara Municipal não votará legislação em âmbito municipal, que permita a implantação de OSS em Campo Grande. “A conclusão desta Audiência Pública, extremamente legal e válida, é absolutamente contra a implantação das OSS em nossa Capital”.

Deixe seu Comentário

Leia Também

COVID-19
Comissão rejeita proposta de inclusão de jornalistas, bancários e vigilantes em grupos prioritários
SAÚDE
SES autoriza municípios a vacinarem com a Pfizer adolescentes acima de 12 anos com comorbidades
POLICIAL
PRF apreende 450 mil maços de cigarro contrabandeados na Capital
GERAL
MPF aponta risco de desaparecimento de espécies no Rio Paraná
Rio Paraná Energia, empresa da holding China Three Gorges Corporation (CTG), é acusada de descumprir regras ambientais e levar à beira do desaparecimento peixes como Pintado e Dourado
SAÚDE
SES prepara distribuição das 70.160 doses de vacina contra a covid-19 em MS
GERAL
Fórum apresenta avanços do Plano Estratégico em MS
POLICIAL
PMA e Bombeiros resgatam ave em extinção ferida
GERAL
Contribuintes têm até o dia 3 de agosto aderir ao REFIS 2021
EDUCAÇÃO
Terminam hoje as inscrições do Encceja 2020 para privados de liberdade
GERAL
Homem fica ferido após queda de cavalo no Pantanal

Mais Lidas

POLICIAL
PM de Corumbá prende autores de roubo logo após o crime no Popular Nova
GERAL
Empresa irregular junto a ANTT monta guichê na rodoviária de Corumbá
POLICIAL
PM de Corumbá durante rondas recupera veículo furtado na área central
POLICIAL
Homem é preso por perturbação da tranquilidade no Cristo