Menu
quarta, 27 de janeiro de 2021
Senar MS
Andorinha Fevereiro
Geral

Greve dos Correios não tem previsão para acabar, dizem funcionários em MS

12 março 2018 - 08h51Midiamax

Os funcionários dos Correios fazem manifestação em frente ao centro operacional da empresa nesta segunda-feira (12) a partir das 9h. O protesto é uma forma de pressionar o poder público sobre julgamento no TST (Tribunal Superior do Trabalho) de uma cláusula sobre o plano de saúde dos funcionários. A depender do que for decidido no Tribunal, a paralisação pode seguir por tempo indeterminado.

De acordo com a presidente do Sintect (Sindicato dos Trabalhadores nos Correios Telégrafos e Similares de Mato Grosso do Sul), Elaine Regina, os Correios têm cerca de 1400 funcionários em todo o estado e a paralisação é uma forma de pressionar o julgamento que acontece nesta segunda-feira (12). Segundo Elaine, a alteração deveria ser feita diante de discussão com os trabalhadores. “O Acordo Coletivo foi feito ano passado, a empresa vai fazer uma mudança que o trabalhador não tem condição de pagar. Por enquanto, pagamos uma coparticipação no plano de saúde, mas agora a proposta é que, além disso, cada funcionário pague uma mensalidade fixa de mais de R$ 200”, afirma. Além da mensalidade, o TST vai julgar a retirada de pais e mães no plano de saúde.

A presidente do sindicato acredita em uma precarização do serviço dos Correios. Segundo Elaine Regina, a empresa prevê uma demissão em massa e fechamento de diversas agências em todo o Brasil. “Aqui em Mato Grosso do Sul já fecharam algumas e tentaram fechar a de Anhanduí e de Nova Casa Verde. No último dia 27, aprovaram o fechamento de mais agências”. A presidente afirma que a proposta da empresa é realocar o efeito e demitir os trabalhadores restantes.

A programação para as manifestações é de protesto em frente ao centro operacional dos Correios, localizada entre a Rua Barão do Rio Branco e a avenida Ernesto Geisel, e concentração na sede do sindicato às 13h30 para que funcionários assistam o julgamento.

Greve Nacional

A mobilização nacional foi convocada pela Fentect (Federação Nacional dos Trabalhadores em Empresas de Correios, Telégrafos e Similares) para manter o acordo coletivo e para ir contra as demissões na empresa.

A decisão da categoria aconteceu em assembleia geral no dia 2 de março, aderindo a greve nesta segunda-feira. Conforme o sindicato, os trabalhadores temem a perda de outros benefícios. O número de agências que devem parar totalmente ou parcialmente deve ser divulgado até a terça-feira (13).

Deixe seu Comentário

Leia Também

TRANSPORTE ILEGAL
ANTT emite nota a pedido do MPF e diz que operação da Buser é ilegal e passível de penalização
PROMOÇÃO DE PASSAGENS
Andorinha disponibiliza passagens promocionais a R$59,90
ASSISTÊNCIA SOCIAL
Povo das Águas atende ribeirinhos da região do Taquari a partir do dia 30
CONSUMIDOR
Anatel divulga balanço de reclamações em 2020
EDUCAÇÃO
IFMS divulga lista de inscritos para cursos de idiomas em andamento
Candidatos com a inscrição homologada deverão fazer testes de nivelamento de Espanhol, Inglês e Libras. Provas online serão aplicadas entre 1º e 9 de fevereiro
COVID-19
Mato Grosso do Sul registra 582 novos casos de Covid e 9 óbitos
COVID-19
Mais de 1200 pessoas já foram vacinadas contra a Covid-19 em Corumbá
CULTURA
Prefeitura disponibiliza, na quinta-feira, espetáculo "Conectados" na internet
GERAL
MS participa da 3ª edição de maratona mundial de criação de games
ECONOMIA
Nascidos em dezembro podem sacar auxílio emergencial a partir de hoje

Mais Lidas

DENÚNCIA
Funcionários demitidos do hospital não recebem rescisão trabalhista
ECONOMIA
Governo federal aprova auxílio emergencial para 196 mil pessoas
CHUVA FORTE
Temporal em Corumbá causa queda de árvores e alagamentos
MORTE POR COVID-19
Cinco dias após morte do marido, ex-primeira-dama de Dourados não resiste à Covid-19