Menu
terça, 05 de março de 2024
Fipec 2024
Fipec 2024
Geral

Greve dos caminhoneiros faz inflação bater recorde dos últimos 22 anos

09 julho 2018 - 11h01Campo Grande News

Reflexo da greve dos caminhoneiros, a inflação em junho subiu 1,17% em relação a maio e bateu o recorde dos últimos 21 anos para este mês, segundo apurou o Nepes (Núcleo de Estudos e Pesquisas Econômicas e Sociais) da Uniderp. O indicador fechou em 1,17% e só perdeu para 1996, quando foi 1,57%.

O sexto mês normalmente tem baixas variações nos preços, mas o coordenador da pesquisa, Celso Correia de Souza, o desabastecimento causado pela interrupção no transporte de cargas elevou os valores a um alto patamar, principalmente no grupo alimentação.

Além disso, as projeções para os próximos meses não são nada favoráveis e a inflação acumulada em Campo Grande dificilmente fechará o ano abaixo do centro da meta do CMN (Conselho Monetário Internacional), que é de 4,5%.

Entre os fatores que devem influenciar negativamente os índices está a safra agrícola 7% menor, que pode atrapalhar a regulação dos preços dos produtos alimentícios, e a alta no dólar, que pode interferir nas importações, como trigo, máquinas de alta precisão, eletroeletrônicos e gasolina.

Vilões – A gasolina foi uma das responsáveis pela alta na inflação de junho, já que ela aumentou 7,39% no período. Também pesou no bolso dos consumidores a variação de 4,39% na energia elétrica com a bandeira vermelha nível dois e o gás de cozinha, que subiu 8,77%.

Com relação aos gêneros alimentícios, a batata, item mais afetado pelo desabastecimento, subiu 50,34%. Já o leite pasteurizado teve alta de 9,34%.

Pelo segundo mês consecutivo, o grupo alimentação registrou alta e fechou com índice de 3,22%. O A previsão do Nepes é que os produtos desse seguimento retornem aos patamares antigos com a normalização da distribuição.

Baixas – A inflação só não foi mais alta porque alguns itens pesquisados tiveram variações negativas e seguraram os índices.

Entre eles está o diesel, que também como efeito da greve teve o preço congelado nas refinarias e apresentou deflação de 9,54% nas bombas e o etanol, que ficou 1,64% mais barato no período.

Na análise por grupos, tiveram deflações transportes (-0,56%), despesas pessoais (-0,44%) e vestuário (- 0,54%).

Um fator que pode ajudar a segurar a inflação este ano é a continuidade do nível de desemprego do país, que deve reduzir a demanda influenciado também pelos altos juros na economia e o nível de endividamento.

O IPC/CG mede o nível de variação dos preços mensais do consumo de bens e serviços, a partir da comparação da situação de consumo do mês atual em relação ao mês anterior, de famílias com renda mensal de 1 a 40 salários mínimos.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Saúde Pública
Vereadora busca informações sobre exames do pré-natal na Saúde Pública
Destaque
Pesquisa mostra que diferença salarial entre mulheres e homens caiu
Aposta
Mega-Sena sorteia nesta terça-feira prêmio acumulado em R$ 205 milhões
Escalonamento
Governo de MS propõe indicadores de produção para aumentar salário de agentes de saúde
Boas Vindas
Moinho Cultural retoma atividades com 120 novos alunos
Bacia Paraguai
PMA aplica mais de R$ 53 mil em multas no primeiro final de semana de pesca aberta
Apresentação
Jiboia resgatada de circo é a embaixadora ambiental do Bioparque Pantanal
Tráfico de Drogas
Escaneamento identifica pasta base dentro de compressor
Tempo
Com temperaturas mais amenas, terça-feira tem tempo instável e probabilidade de chuvas
Corumbá tem mínima de 26°C e máxima de 31°C
Oportunidades
Qualifica Ladário divulga lista com os inscritos para as turmas 2024

Mais Lidas

Em Corumbá
Homem é preso acusado de abusar da sobrinha de 12 anos
Na BR 262
Boliviano é preso com 2kg de maconha em fundo falso de mala
Até dia 11
Processo Seletivo da UEMS tem 51 cursos de graduação com inscrições abertas
Ecoturismo
Baixa temporada em pleno verão em Bonito e Serra da Bodoquena tem tarifário reduzido