Menu
sábado, 18 de setembro de 2021
Expresso Mato Grosso - Junho
Geral

Funcionários dos Correios em MS paralisam atividades na segunda

10 março 2018 - 09h10Correio do Estado

Cerca de 1.400 funcionários da Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (ECT), em Mato Grosso do Sul, estão previstos para aderirem a paralisação nacional que será realizada na segunda-feira (12), a partir da 0h de domingo.

O protesto tem como alvo as mudanças no plano de saúde de trabalhadores e dependentes, prejudicando assim direitos adquiridos e firmados em acordos coletivos.

Na avaliação da presidente do Sindicato dos Trabalhadores nos Correios, Telégrafos e Similares (Sintect-MS), Elaine Regina de Souza Oliveira, a retirada do benefício é um retrocesso, visto que foi validade em 1989. 

"As mudanças serão votadas no dia 12 de março, no Tribunal Superior do Trabalho (TST), e somos veementemente contra. A empresa quer descontar o percentual do plano sobre o ganho bruto dos trabalhadores e retirar a possibilidade de incluírem pai e mãe idosos no benefício", detalha.

Outra preocupação sinalizada pela dirigente sindical é o fechamento de algumas agências definido em reunião no final de fevereiro, mas que não ainda não foram divulgadas.

"Anteriormente, com apoio de parlamentares, conseguimos impedir o fechamento de unidades localizadas em dois distritos: Anhanduí e Casa Verde. No entanto, não sabemos quais localidades serão afetadas com a última decisão da empresa, e não temos dúvidas que prejudicará ainda mais a prestação de serviços", argumenta.

Elaine Regina informou ainda que os funcionários devem se reunir na segunda-feira (12), a partir das 7h, em frente ao prédio dos Correios, localizado na Avenida Ernesto Geisel, esquina com Rua Barão do Rio Branco. 

NOTA RETORNO

A Empresa de Correios e Telégrafos divulgou uma nota oficial sobre a paralisação dos trabalhadores, a qual segue na íntegra:

"A greve é um direito do trabalhador. No entanto, um movimento dessa natureza, neste momento, serve apenas para agravar ainda mais a situação delicada pela qual passam os Correios e afeta não apenas a empresa, mas também os próprios empregados.

Esclarecemos à sociedade que o plano de saúde, principal pauta da paralisação anunciada para a próxima segunda-feira (12) pelos trabalhadores, foi discutido exaustivamente com as representações dos trabalhadores, tanto no âmbito administrativo quanto em mediação pelo Tribunal Superior do Trabalho. 

Após diversas tentativas de acordo sem sucesso, a forma de custeio do plano de saúde dos Correios segue, agora, para julgamento pelo TST.

A empresa aguarda uma decisão conclusiva por parte daquele tribunal para tomar as medidas necessárias, mas ressalta que já não consegue sustentar as condições do plano, concedidas no auge do monopólio, quando os Correios tinham capacidade financeira para arcar com esses custos".

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

Queimadas
Bombeiros abrem aceiro na vegetação seca para deter incêndios do Pantanal
Balanço
Em três dias, operação Fronteiras e Divisas apreendeu R$ 12 milhões em drogas
Alerta
Com umidade do ar registrando 10%, cidades de MS voltam a ficar em alerta
Preconceito não!
Jogo da Diversidade acontece hoje com cobertura ao vivo do Capital do Pantanal
Flagrante na fronteira
PMA desmonta acampamento mas caçadores escapam para o Paraguai
Programação
Criançada aprende a usar cores primárias na oficina do Sesc deste sábado
Retomada
UEMS lança Guia de Retorno de Atividades Presenciais
Salve Vidas
Para repor estoques de O-, O+ e A+ Hemosul da capital abre o dia todo neste sábado
Tempo
Sábado de sol, calor e tempo seco em todo Estado
Tentativa de Homicídio
Adolescente é socorrido com perfuração de bala na coxa

Mais Lidas

Espancamento
Rapaz vítima de agressão é socorrido inconsciente no bairro Camalote
Trânsito
Motociclista é socorrido com fratura na perna
23 vagas
Inscrição para o processo seletivo da Saúde de Corumbá termina às 17h de hoje
Homenagem
Praça Palestina em Corumbá completa dois anos de criação