Menu
domingo, 26 de maio de 2024
Andorinha - Novos ônibus - agosto 2023
Andorinha - Novos Ônibus - Agosto 2023
Geral

"Fumacê é só 3% do problema", diz secretário sobre combate a mosquito

27 fevereiro 2016 - 13h58Campo Grande News
O secretário de Estado de Saúde, Nelson Tavares, rebateu declarações do secretário Municipal de Saúde Pública, Ivandro Fonseca, sobre o caso de destinação, nesse ano, de inseticidas vencidos em 2013 para a Prefeitura de Campo Grande usar na pulverização – o chamado fumacê – de combate ao mosquito Aedes aegypti. Durante reunião com promotores públicos no MPE (Ministério Público Estadual) nesta sexta-feira (26), Ivandro reclamou de ter recebido 200 litros vencidos de inseticida, afirmando que devolveria o material pois não confia na informação do Ministério da Saúde de que, apesar de fora do prazo, o produto estava bem acondicionado e por isso era próprio para uso. "Foi uma coisa grave. Acionei o Ministério Público para que essa situação seja checada. Também solicitei à Vigilância Sanitária um laudo sobre esse inseticida", afirmou Ivandro, que não sabe quando fica pronto o resultado do exame. Porém, Tavares questionou as declarações de Ivandro. "Essa questão do fumacê é só 3% do problema. O mais importante é combater o foco de proliferação do mosquito. Não podemos parar de agir só porque está faltando kit, está faltando veneno". O chefe da pasta estadual de Saúde também afirmou confiar no laudo do Ministério da Saúde. "Fazem isso há quase 10 anos, muitas vezes é sobra de campanhas passadas, ou demora para importar", explica. Fracasso - Ainda durante a reunião, os promotores públicos que participaram sugeriram mudanças na atuação dos agentes no combate ao Aedes, enquanto Ivandro responsabilizou diretamente a falta de conscientização das pessoas para que hajam altos índices de infestação do mosquito. Porém, em certos pontos, Tavares discordou. "O poder público fracassou no combate à dengue e não pode responsabilizar a população disso. Comparo o advento do zika vírus à gripe espanhola, por exemplo", cravou.  

Deixe seu Comentário

Leia Também

Meio Ambiente
Relatório da ONU sobre o clima responsabiliza a humanidade por aumento de fenômenos extremos
Facilidade
Mais de R$ 1,8 milhão em taxas judiciárias já foram pagos via Pix
Variedades
Cassinos Online: Sorte e estratégia na era digital
Reitoria
Colégio Eleitoral da UFMS mantém Camila Ítavo em primeiro lugar na lista tríplice
Meio Ambiente
Juiz mantém proibido o desmate no Parque dos Poderes
Crime
Na delegacia, assassino "confesso" diz que conheceu corretora em aplicativo
Educação
UEMS e Fundect investem R$ 4 mi para fortalecer ensino superior em Mato Grosso do Sul
Em Maracaju
Estudantes do IFMS levam tecnologia a maior evento agro do Estado
Destaque
Dia da Indústria: Longen destaca força do setor industrial de Mato Grosso do Sul
Extrema magreza
Polícia resgata cães em situação de maus-tratos no Popular Nova

Mais Lidas

Tráfico de Drogas
Boliviana é presa com 12,7 kg de cocaína em botijão de gás transportado dentro de mala
Soldado Cidadão
Projeto da Marinha vai oferecer formação de condutores para recrutas em Ladário
Interdição
Ponte sobre o rio Paraguai fecha às 17 horas deste sábado; interdição deve durar 19 horas
Investigação
Polícia Civil prende homem acusado por furto de joias e celulares na cidade