Menu
domingo, 26 de setembro de 2021
Expresso Mato Grosso - Junho
Geral

Extração de madeira e pecuária estão entre ilegalidades praticadas em área de reserva indígena em MS

21 outubro 2020 - 16h15Texto do G1MS e TV Morena

A extração de madeira e a atividade de pecuária estão entre as ilegalidades investigadas de serem praticadas dentro de uma área de reserva indígena no interior de Mato Grosso do Sul. A afirmação, dada pelo Delegado Regional Executivo da Polícia Federal (PF) de Mato Grosso do Sul, Fabricio Martins Rocha, é sobre a Operação Ceuci, deflagrada na manhã desta quarta-feira (21) e que investiga crimes ambientais e possíveis invasões à Reserva Kadiwéu, no Pantanal sul-mato-grossense.

Ainda de acordo com o delegado, no curso da investigação que foi iniciada em junho de 2019, foi observado, por meio de imagens de satélite, que estaria havendo tanto extração de madeira dentro da reserva, quanto a utilização de área da reserva para pecuária, com a possível visualização de gados no local.

Segundo Rocha, ainda não é possível afirmar quem é responsável por essas condutas e a área do desmatamento também não pôde ser calculada. Conforme o delegado, a intenção dos mandados de busca e apreensão é de buscar individualizar os responsáveis pelas práticas criminosas.

"Procuramos elementos de convicção para que possa se levar a autoria dos crimes, bem como realização e mensuração para fins de perícia técnica para caracterização da materialidade no curso da investigação criminal", finaliza.

Operação Ceuci

Durante a Operação deflagrada nesta quarta, foram cumpridos 30 mandados de busca e apreensão, expedidos pela 5ª Vara da Justiça Federal de Campo Grande, nas cidades de Miranda, Bodoquena e Campo Grande, com o efetivo de 110 agentes da corporação, além do apoio do Exército Brasileiro, através da disponibilização de aeronaves, e de servidores do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama).

Além de cumprir os mandados, a Polícia Federal ainda pretende identificar os ocupantes das referidas áreas, bem como eventuais atividades econômicas desenvolvidas e a existência de danos ambientais.

O nome da operação é Ceuci e faz referência uma deusa indígena protetora das lavouras e moradias dos indígenas.

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

Denúncia
Homem morre e família acusa médica da UPA de negligência
Palestras
3ª edição da Semana da Saúde do Sesc tem foco nos reflexos da pandemia
SCT 2021
IFMS abre inscrições para Semana de Ciência e Tecnologia
Javaporco
PMA flagra criação ilegal de javalis em propriedade de Dourados
Alerta
De agendamentos a esquemas de 'pirâmides', entenda os maiores golpes do Pix em MS
Retomada
Fundtur recebe inscrições no Programa "Incentiva+MS Turismo" até 5 de outubro
Bonito
Mulher é multada em R$ 5 mil por desmatamento ilegal em área protegida
Imunização
Veja quem pode se vacinar neste fim de semana em Corumbá
Balanço
Mais de 50% das drogas apreendidas na Operação Fronteiras e Divisas I são de MS
Economia
Comércio deve facilitar pagamento e ser cauteloso para o Dia das Crianças

Mais Lidas

Denúncia
Homem morre e família acusa médica da UPA de negligência
Imunização
Veja quem pode se vacinar neste fim de semana em Corumbá
Desenvolvimento
Comissão mista homologa consórcio que vai construir ponte da Rota Bioceânica em MS
Bonito
Mulher é multada em R$ 5 mil por desmatamento ilegal em área protegida